E Agora José?

Mais uma vez, o Inter entrava para esta jornada com a corda à volta do pescoço. A equipa havia jogado a meio da semana e jogava fora com a sempre combativa Fiorentina de Prandelli. Já os seus adversários directos, Milan e AS Roma, enfrentavam em casa adversários teoricamente mais fáceis, Catania e Atalanta respectivamente.

José Mourinho levou o seu Inter ao Artemio Franchi practicamente na máxima força, utilizando um "onze" próximo do que tem idealizado, desta vez colocando Zanetti no miolo, junto a Cambiasso. Já Prandelli enfrentava algumas baixas como Mutu e Vargas. Gilardino estava também condicionado e o treinador italiano decidiu não apostar naquela que tem sido a sua segunda opção, Babacar, lançando Keirrison aos leões. No meio-campo o ex-dragão Bolatti também foi titular. Começou melhor o Internazionale, ameaçando a baliza de Frey com um cabeceamento ao poste pelo suspeito do costume, Diego Milito. Um pouco contra aquilo que se passava em termos de futebol jogado, a Fiorentina faz o primeiro golo aos 11'. Montolivo faz uma abertura perfeita para Mario Alberto Santana que cruza magistralmente, para Keirrison (quem?!) aparecer em posição regular para finalizar com sucesso, demonstrando bom sentido posicional. A patir daqui o Inter passou a jogar dentro do meio campeo adversário, mas practicamente só conseguia criar perigo na meia distância, nomeadamente por Sneijder. Contudo, a Fiorentina nunca hesitou em colocar a defesa contrária em sentido, saíndo muito rápido no contra-ataque, sempre à procura da genialidade de Jovetic. Já com o jogo nos seus derradeiros 20 minutos, o Inter alcança a reviravolta com golos de Milito (74') e Eto'o (81') em duas boas jogadas no lado direito. Contudo, novo balde de água fria cai sobre os nerazzurri quando aos 82' aquele que é considerado como a pior contratação de sempre do Everton, Per Kroldrup, marca o golo do empate. Na equipa da casa devem ser destacados Santana, que foi infernal enquanto esteve em campo, Bolatti esteve muito bem a anular as acções de desequilíbrio de Pandev e Jovetic tem um talento que me faz pensar que daqui a uns anos vai estar entre os melhores do mundo.

Para a AS Roma, o fracasso do Inter era uma oportunidade para alcançar a liderança, especialmente quando o adversário em questão era uma Atalanta a fugir à despromoção. Vindo de quatro vitórias consecutivas que elucidam bem sobre o clima de confiança que se vive no clube da capital italiana, a Roma colocou-se em vantagem logo aos 12'. Vucinic remata de fora da área para o guarda-redes da Atalanta dar um frango "à Nuno Espírito Santo". Mais uma vez o montenegrino volta a ser decisivo. 15 minutos volvidos, é Cassetti que aparece na área, qual ponta-de-lança, para cabecear para os 2-0. Com o jogo controlado, a AS Roma sofre um golo aos 53' que não coloca qualquer dúvida quanto à justiça do resultado final. A equipa de Ranieri sobe assim ao 1º lugar da classificação, aproveitando da melhor forma os repetidos deslizes do Inter de Mourinho.

Em San Siro, e com o Milan também com a possibilidade de se aproximar do rival que divide consigo o estádio, os protagonistas foram dois pontas-de-lança: Maxi Lopez e Marco Borriello. Num jogo em que a defesa construída por Leonardo voltou a demonstrar grandes fraquezas, o Catania chegou a estar a vencer por 2-0 com um bom golo de Maxi Lopez, com direito a festejo à medida, com o argentino a imitar uma galinha e um outro golo de Ricchiuti, após excelente trabalho do ex-futuro avançado do Benfica. Parece não ser um flop tão grande quanto se dizia. Já na segunda parte, correndo atrás do resultado, o Milan chega ao empate com dois golos de Borriello (47' e 80'). Tem sido dos melhores da sua equipa esta época e merece uma chamada de Lippi para o Mundial. Os rossoneri voltam a mostrar-se incapazes de aproveitar as benesses dos seus adversários e já poucos acreditam na capacidade desta equipa para se candidatar seriamente ao título.

O Palermo regressou às vitórias, desta vez com um resultado de 3-1 frente ao Chievo, com golos das suas estrelas maiores, Miccoli (2) e Pastore. O segundo golo de Miccoli merece ser revisto. Porém, a luta pela última vaga de acesso à Champions continua intensa, pois a Sampdoria venceu o derby de Génova (frente ao Genoa), com o enfant terrible Cassano a marcar o golo solitário, mantendo-se com os mesmos pontos que os sicilianos. A Juventus também venceu o seu jogo pela vantagem mínima, golo de Chiellini, ficando a 3 pontos da pré-eliminatória.

Olhando para o que falta de campeonato aos três grandes candidatos, podemos perceber que o Milan é a equipa com calendário mais complicado, o que não ajuda ao panorama já por si pouco favorável. Tanto AS Roma como Inter têm jogos teoricamente acessíveis, mas o bom momento de forma dos romanos e os jogos a meio da semana do Inter podem fazer pender a balança para o lado de Ranieri. Se Il Speciale perdesse o Scudetto para o seu antecessor no Chelsea, seria uma pesada derrota pessoal e possivelmente irreparável para o treinador português.

9 Passes de rotura:

salvador 13 de abril de 2010 às 01:00  

bão, os nosso odiados kroldrup e casseti a fazerem o gosto ao pé. que delícia

Sá Pinto 13 de abril de 2010 às 01:01  

mutu teve envolvido outra vez com substância ilícitas. incrivel

Pedro Veloso 13 de abril de 2010 às 01:27  

O Inter não tem ainda que jogar com a Juventus? Bem sei que hoje em dia se pode considerar acessível;)

João porque dizes "provavelmente irreparável"? Mourinho não deixa de ser o boss por perder um campeonato! Deixa é de poder picar tanto o Ranieri nas conferências de imprensa...

João S. Barreto 13 de abril de 2010 às 12:43  

lol Salvador do Cassetti não desgosto especialmente, do Kroldrup sim, é um daqueles meus ódios de estimação. Foi dispensado do Everton com apenas uma partida disputada por alegada falta de capacidade no futebol aéreo, depois de ter sido contratado por 5M£!

Sá Pinto de facto é triste ver um jogador com tantas capacidades passar ao lado de uma carreira que poderia ter sido de grande nivel.

Veloso o Inter ainda vai receber a Juventus, pode ser difícil, mas ainda assim para mim o jogo mais complicado para Mourinho será a deslocação a Roma onde vai jogar contra uma Lazio provavelmente ainda à procura de garantir a manutenção. Quando digo "provavelmente irreparável" digo-o no ambito do campeonato italiano. Parece-me que fica um pouco "gasto" no Calcio e perde um pouco a folga que tem para ser arrogante nos seus mind games. Obviamente que isso não põe em causa o facto de ser o melhor treinador do Mundo. Simplesmente pode acelarar a sua ida, por exemplo, para o Real Madrid!

salvador 13 de abril de 2010 às 13:15  

naquele jogo eu odiava o casseti, tu o kroldrup. eu ate curto o kroldrup

Tomás Pipa 14 de abril de 2010 às 00:19  

Mas onde é que o Mourinho perdeu o campeonato? Calma lá...até ao levar dos cestos é víndima!

João S. Barreto 14 de abril de 2010 às 01:21  

Tomás ninguém disse que o Mourinho perdeu o campeonato, mas lá que está a ficar dificil está. Acredito e espero que seja campeão!

Tomás Pipa 14 de abril de 2010 às 14:52  

Sim,mas o Veloso pôs ali em cima a hipótese de Mou perder o campeonato.

lol,João,como sabes isso do Kroldrup?

João S. Barreto 14 de abril de 2010 às 14:57  

dele ser a +pior contratação de sempre do everton? vi num documentario sobre flops de transferencias. Claro que há sempre um pouco de exagero, tem tabem que haver com expectativas criadas, como no Bidão de ouro em itália.