A Laranja Mecânica

Esta selecção holandesa não é tão forte em individualidades como a de outros anos, mas não deixa de aparecer no grupo de possíveis outsiders juntamente com Portugal.

A Holanda é talvez um dos países que se calhar já merecia ter sido Campeão do Mundo. Em fases finais já foram vice-campeões do Mundo por duas vezes (1974 e 1978), semi-finalistas por uma vez (1998) Ficaram-se pelos ¼ Final (1994) por uma vez e nos 1/8 Final (1938,1990 e 2006) por três vezes. É sem dúvida uma das selecções mais poderosas da actualidade
A Holanda é um país com grandes tradições no futebol. O Ajax, a sua maior potência futebolística, é tetra-campeão europeu. PSV e Feyenoord também já ganharam a Taça dos Campeões Europeus, uma vez cada. Além disso da Taça dos Campeões Europeus, a Taça Uefa também já foi ganha por equipas holandesas, Feyenoord por duas vezes, e pelo o Ajax e PSV uma vez cada.Na selecção holandesa já jogaram grandes craques mundiais, todos eles de clubes de topo, como Cruyff, Neeskens, Arie Haan, Resenbrink, Koeman, Rijkaard, Van Basten, Gullit, Bergkamp, Frank de Boer, Kluivert, Seedorf, Van der Sar, Van Nistelrooy, Robben e Sneijder.

Também grandes treinadores vierem do País das Túlipas como Rinus Michels, Van Gaal, Advocaat, Verbeek, van Marwijk, Co Adriaanse, Gullit ou Cruyff.

Na África do Sul, o treinador será van Marwijk, ex treinador do Feyenoord e Borussia Dortmund. Marwijk não tem o curriculum de Mourinho, Van Gaal ou Capello, mas já ganhou uma Taça Uefa em 2002 e uma Taça Holandesa em 2008 ao comando do Feyenoord. Três dos seus quatro adjuntos também são nossos bem conhecidos: Frank de Bóer, Ruud Hesp e (Phillip) Cocu. Van Marwijk é conhecido por colocar as suas equipas a jogar futebol de ataque, normalmente em 4-3-3. A Holanda será com certeza uma das selecções que irá praticar um bom futebol na África do Sul.

A Holanda foi o primeiro país europeu a qualificar-se para a África do Sul. Conta por vitórias todos os jogos disputados na qualificação, pese embora de ter calhado num grupo bastante acessível com Noruega e Escócia a serem as únicas selecções que poderiam tirar pontos. Macedónia e Islândia encheram o grupo.

Van Marwijk pré-convocou primeiramente 30 jogadores, agora o grupo já só tem 27 jogadores (Bakkal, Mendes da Silva e Brama foram dispensados entretanto). A maior ausência na pré-convocatória inicial foi a de Ruud Van Nistelrooy. Não poderemos considerar uma surpresa, uma vez que van Gol já tinha deixado a selecção há algum tempo e apenas se mostrou disponível para voltar a esta no início da época quando a Laranja Mecânica já tinha o passaporte para a África do Sul praticamente carimbado.

Na baliza os três guarda-redes já estão escolhidos. Boschker (Twente), campeão holandês pela segunda vez na carreira vai se estrear nos grandes palcos de selecções aos 39 anos (!). Stekelenburg (Ajax) e Vorm (Utrecht) completam o lote de guarda-redes. Stekelenburg deverá ser o titular no certame. Escusado será dizer que nenhum destes três guardiões tem a qualidade de Van der Saar que deixou a selecção após o Euro 2008. Na 3ª e 4ª jornada da fase de qualifcação, Van der Saar voltou à selecção a pedido do seleccionador para colmatar as vagas de Stekelenburg e Timmer por lesão. Timmer (Az Alkmaar) ficou fora do Mundial por opção.

Na defesa, nenhum jogador de qualidade mundial. Heitinga (Everton), o Carniceiro Bouhlarouz (Estugarda), Mathijsen (Hamburgo) e Ooijer (PSV) são os jogadores mais experientes e conhecidos. Van der Wiel (Ajax) é uma meia-surpresa, apesar de ter somente 22 anos, van der Wiel fez uma grande época, já todos esperávamos pela sua chamada. O lateral-esquerdo Braafheid (Celtic) também foi chamado, é um jogador menos conhecido dos adeptos, mas o seu valor é inegável. Vai ser uma das surpresas neste Mundial seguramente. Ron Vlaar (Feyenoord) foi a maior surpresa. Vlaar foi bi-campeão europeu de sub-21 em 2006 e 2007 e não foi chamado por van Marwijk para ajudar na fase de qualificação. Esta época Vlaar assumiu-se finalmente como o patrão da defesa da equipa de Roterdão, fazendo 22 jogos e marcando 4 golos para o campeonato, números que terão ajudado van Marwijk a decidir-se pela sua chamada. Giovanni Van Bronckhorst (Feyenoord), com 35 anos, foi também chamado. Gio já disse que se retirará do futebol a seguir a este Mundial.

No meio-campo a qualidade dos convocados é impressionante. Os três titulares já deverão estar escolhidos. Sneijder (Inter), depois de ter sido fulcral na tripleta do Inter esta época, é obviamente o cabeça de cartaz. Van der Vaart (Real Madrid) e Van Bommel, o líder do Bayern e da selecção completarão o meio-campo. Para o meio-campo foram também chamados Schaars (Az Alkmaar) que fez uma época banal, de Zeeuw que foi um dos obreiros da excelente época do Ajax, o gigante (1,98) Engelaar (PSV) que não participou em nenhum minuto na fase de qualificação tal como o jovem médio-ofensivo Anita (Ajax) e Afellay (PSV).

No ataque a Holanda tem o mesmo problema que Portugal, muitos extremos de inegável qualidade e apenas um ponta-de-lança de alto nível. Van Persie (Arsenal) e Robben (Bayern) serão à partida os extremos titulares. Para o lugar de ponta-de-lança há duas opções credíveis: ou joga Huntelaar (Milan) mais fixo, ou joga Kuyt (Liverpool) num tridente ofensivo mais móvel. Lens (Az Alkmaar) com 12 golos esta época e Elia (Hamburgo) com 6 são as outras opções para ponta-de-lança. Babel (Liverpool) deve ter o seu lugar no banco de suplentes já confirmado.

A Holanda está inserida no Grupo E juntamente com a Dinamarca, Japão e Camarões. Por isso, se a Holanda não for primeira do grupo, será uma enorme surpresa. Nos 1/8 Final jogará provavelmente contra o Paraguai, sendo que um jogo contra a Itália ou Eslováquia também não está totalmente descartado. A Holanda deverá chegar aos ¼ Final sem dificuldade.

A minha aposta: Stekelenburg, Vorm e Boschker; Ooijer, Heitinga, Bouhlarouz, e Mathijsen; Braafheid e Van Bronckhorst; Van der Wiel; Sneijder, de Zeuw, Van Bommel, Van der Vaart, Afellay, Schaars e Engelaar; Van Persie, Robben, Kuyt, Babel, Huntelaar e Elia.

8 Passes de rotura:

Emanuel Ribeiro 23 de maio de 2010 às 21:55  

Boa tarde!

Boa análise, e de facto a Holanda é sempre uma das selecções que se sabe que podem ir bastante longe, e é uma potencial campeã do mundo.

Queria só fazer um reparo, em que injustamente e terá sido certamente por esquecimento, te esqueceste de te referir a um dos melhores pontas de lança que felizmente ainda consegui ver MARCO VAN BASTEN que foi campeão europeu com os seus dois compratiotas Rijkaard e Gullit em '88 e campeão italiano e europeu pelo Milan. Um dos meulhores goos que eu vi e dá para rever no youtube, foi marcado por ele. O chamado golo à Van Basten!
Fora isso, concordo com tudo o que escreveste!
Abraços!

Tomás Pipa 23 de maio de 2010 às 23:05  

Emanuel, tens toda a razão! Por acaso achava que tinha posto Van Basten, até porque me lembro de ter visto o nome dele quando estive a estudar a hst da Holanda!

Era de facto um grande ponta-de-lança mas que infelizmente só o vi quando andava de lesão em lesão. Os tempos gloriosos do MVB só os vi em vídeo!

Tens razão, golo à Van Basten, tal como ficou o penalty à Totti e o livre à Ronaldo! lol

Pedro Veloso 24 de maio de 2010 às 00:39  

Tomás excelente análise, acho que está tudo! Infelizmente não conheço suficientemente bem algumas dessas segundas linhas para poder perceber se a equipa vale muito.

Só uma coisa, o Van Persie saiu-se a dizer que deviam jogar sem ponta-de-lança de raiz, com um quarteto móvel com ele, Robben, Sneijder e Van der Vaart. E disse, como se fosse ele a mandar na equipa: "nada de negativo sobre o Kujt, bom jogador mas acho que devem jogar aqueles" lol. Adorava que agora o Van Persie ficasse no banco

Tomás Pipa 24 de maio de 2010 às 01:56  

O Van Persie só diz disparates.

Nesse quarteto móvel que ele fala, falta aí um médio atrás do Sneijder e Van der Vaart, que será Van Bommel provavelmente e mais um avançado que andará entre Kuyt,Huntelaar e Babel

lchampalimaud 24 de maio de 2010 às 17:27  

Tem um ataque que eu pessoalmente gosto bastante, mas na defensiva deixam muito a desejar.

Tomás Pipa 24 de maio de 2010 às 18:47  

Mas se vires bem o ataque, os 4 mesmo bons são todos para a mesma posição: Robben,Babel,Kuyt e Van Persie. Têm apenas um ponta-de-lança à antiga: K.J.Huntelaar e dois meia-coisa: Elia e Kuyt

João S. Barreto 25 de maio de 2010 às 00:38  

Também não espero grande coisa desta holanda. Na defesa tem um conjunto de jogadores ou muito velhos ou que acabaram por ter uma carreira aquém das expectativas. Numa competição como um Mundial, em que os treinadores não têm muito tempo para trabalhar o modelo de jogo, equipas com defesas mais coesas têm maiores probabilidades de ganhar.

No entanto, com um meio-campo (gosto muito de Engelaar e De Zeeuw, mais do que Bommel, e Sneijder para mim de é dos melhores centrocampistas do mundo) desta qualidade e um ataque que pode ser fortíssimo, arriscam-se sempre a ganhar também. O De Jong não foi convocado? Gosto muito também. O Anita acho que tem hipóteses de ir, porque além de ser um excelente jogador, pode jogar a lateral direito também.

Concordo que chegarão facilemente aos quartos e com alguma sorte no sortieo poderão chegar às meias finais.

portuguesesnoestrangeiro 25 de maio de 2010 às 12:05  

A Holanda é uma excelente selecção cheia de individualidades que podem fazer a diferença.. veremos como se comportam enquanto equipa!

~Aproveito para dizer que o "portugueses no estrangeiro" anunciou a segunda entrevista exclusiva.. vê o video e vem dar o teu palpite em:

http://portuguesesnoestrangeiro.wordpress.com/2010/05/24/anuncio-2%C2%AA-entrevista-exclusiva/

Cumprimentos,
Paulo Silva