Recordando...Cláudio Caniggia

Já tinha pensado fazer um post do género e, hoje quando estava num bar com os amigos eis que diz um deles, “…Olhó Caniggia faz tempo que não o via…”! Lembrei-me que numa fase em que os Argentinos dão que falar no Benfica, porque não recordar Cláudio Caniggia!

Antes de mais Caniggia ficou e ficará sempre recordado! Ou por alcunhas (como foi o caso que me fez recordar o jogador argentino), ou pelo nome que se deu ao cão ou ao gato na altura da sua passagem por Portugal!

Foi na época de 94/95, o Benfica tinha sido campeão na época anterior, renovação completa do plantel (… Bem mas essa história é outra…) e Caniggia chegava da Roma ao Benfica depois de uma época de suspensão por consumo de drogas.
Emprestado pelo clube italiano num acordo de patrocínio da Parmalat durante a presidência de Manuel Damâsio, chegou rotulado de estrela e a sua contratação fez vibrar a massa associativa!

Era um jogador bom em termos técnicos, rápido (tinha como alcunha “hijo del viento” ) e com faro de golo, começou bem, com boas exibições e golos, mas foi perdendo fulgor, passando a ser utilizado a espaços até desaparecer por completo da equipa na altura orientado por Artur Jorge. Faziam parte desta equipa nomes como Preud`Homme (na sua primeira época), Isaías, Paneira, Veloso (última época), Mozer, William, Dimas, João Pinto, Nelo e Tavares (provenientes do Boavista) , Kenedy, Abel Xavier, Edilson (melhor marcador do Benfica nessa época) Paulo Madeira, Mario Stanic (que viria mais tarde a representar o Chelsea e Parma) e…Paulo Bento!

O Benfica viria a ficar em 3º lugar num campeonato vencido pelo F.C.Porto, e foi eliminado pelo Milan nos 4-Final da Liga dos Campeões num total de 2-0.

Em Portugal ficaram para recordar bons golos mas a cena mais caricata, foi num Derby arbitrado pelo “amigo” Jorge Coroado…O argentino leva o vermelho, por acumulação, quando na verdade era o seu primeiro amarelo do jogo. Por causa desta situação o Benfica protestou o jogo fazendo com que o mesmo fosse repetido no estádio do Restelo onde, esse tal de Edilson marcou por duas vezes e deu a vitória ao clube encarnado! Mais tarde esse jogo seria anulado mantendo-se a vitória do Sporting por 2-1 do primeiro jogo.

O Argentino fez ao serviço do Benfica 23 jogos e 8 golos no campeonato, 3 jogos e 5 golos na taça e, 7 jogos e 3 golos na Liga dos Campeões. No total, 33 jogos e 16 golos.

Em toda a sua carreira Cláudio Caniggia fez aproximadamente 140 golos em 420 jogos, alguns deles importantes que o transformaram num ícone do futebol argentino. No Mundial de 90, contra Brasil e Itália, que contribuíram decisivamente para levar a Argentina à final contra a Alemanha. E no Mundial dos Estados Unidos, em 94, marcou dois golos na partida contra a Nigéria, que garantiram a vaga da Argentina nos oitavos-de-final.

Um dia, num sempre escaldante Boca Juniors 4 - River Plate 1, protagonizou com Diego Armando Maradona uma cena que correu mundo ficandoconhecida por El beso del Alma.
Claudio Caniggia ficou assim conhecido internacionalmente pelos seus vícios e atitudes controversas mas também pelo seu grande talento para a prática do futebol.

Nome completo: Claudio Paul Caniggia *
Alcunha: El Pájaro (O Pássaro) / Hijo del Viento (Filho do Vento)
Nacionalidade: Argentina
Data de Nascimento: 9 de Janeiro de 1967

Carreira:
1985-1988 - River Plate
1988-1989 - Hellas Verona
1989-1992 - Atalanta B.C.
1992-1993 - A.S. Roma
1993-1994 - Suspenso por consumo de cocaína
1994-1995 - S.L. Benfica
1995-1999 - Boca Juniors
1999-2000 - Atalanta B.C.
2000-2001 - Dundee F.C.
2001-2003 - Rangers F.C.
2003-2004 - Qatar S.C.
2004-2005 - Al Arabi
Selecção Argentina (80 Jogos Oficiais / 20 Golos);

- Disputou 3 Mundiais

Itália 1990 (Vice-campeão)
Estados Unidos 1994 (Oitavos-de-Final)
Coreia/Japão 2002 (Primeira Fase)

Palmarés:
1 Campeonato da Argentina - 1986 (River Plate)
1 Copa Interamericana - 1987 (River Plate)
1 Campeonato da Escócia - 2003 (Rangers)
2 Taças da Escócia - 2002 e 2003 (Rangers)
2 Taças da Liga Escocesa - 2002 e 2003 (Rangers)
1 Copa América - Chile 1991 (Selecção Argentina)
1 Taça das Confederações (King Fahd Cup) - Arábia Saudita 1992 (Selecção Argentina)
Vice-Campeão Mundial - Italia 1990 (Selecção Argentina)

5 Passes de rotura:

Pedro Veloso 13 de novembro de 2009 às 10:07  

Grande ideia, Número Dez! Grandes memórias. Por acaso tenho pena de o Caniggia não ter passado pelo SLB mais tarde, porque na altura ainda era muito puto para ter fixado situações que, estou certo dado o seu feitio excêntrico, seriam hilariantes.

Mas, ainda assim, tenho algumas memórias pessoais:

Lembro-me bem dele no Mundial 94 em grande contra a Nigéria, e depois sobretudo nos jogos da Champions da 1ª fase em que esteve bastante bem. Antes da 1ª mão dos 1/4 final, Claudio promete marcar em San Siro ao poderoso AC Milan(campeão em título e que seria finalista vencido nessa época). Nesse jogo o meu pai mandou-me para a cama ainda na 2ª parte (devo ter ficado furioso), perdi a(s) casa(s) do Mozer - não sei se foi uma ou duas - que deram golos ao Marco Simone; depois Caniggia marcou mesmo, golaço de cabeça, mas anulado polemicamente por se ter apoiado no defesa. Na 2ª mão (0-0)o Isaías rematou uma bola que bateu nos dois postes e não entrou lol.

Quanto à cena mais famosa, a da expulsão no derby, acrescente-se que Coroado sempre negou ter-se enganado. Argumentava que tinha sido mesmo vermelho directo por palavras. Ora as imagens mostram sempre Caniggia com a boca fechada. Como se disse na altura ironicamente, devia ser ventríloquo!

Estou surpreendido é com os números que puseste aí, 33 jogos 16golos, para uma primeira época, está longe do flop que pensava ter sido!

A propósito, para quem gosta destas biografias, cheias de curiosidades, sobre jogadores do SLB (calculo que também haja semelhante para os outros blogs), há um blog óptimo, o Vedeta ou Marreta, onde neste momento se vota sobre El Hadrioui, esse grande lateral marroquino.

http://vedetaoumarreta.blogspot.com/

Pedro Veloso 13 de novembro de 2009 às 10:08  

também haja semelhante para os outros clubes*

Tomás Pipa 13 de novembro de 2009 às 11:08  

Numero10, muito bom mm!
Cannigia um dos jogadores mais controversos que já vi. Falam que ele foi expulso sem abrir a boca, mas não foi mesmo nesse jogo que agrediu barbaramente o Peixe?

André Seixas 18 de novembro de 2009 às 01:16  

Não sou do Benfica, mas gosto de recordar as velhas glórias.

Bom post, com informações que desconhecia.

NunoFM2005 28 de março de 2015 às 19:11  

O Caniggia era um 7,11 ou 8!
Nunca um 9 - como o Arur Jorge o colocou. Mas jogadores como Caniggia já não existem! É único! Itália 90 que o diga!