Aguenta Coração



Grande jogo na Luz entre Benfica e Liverpool, com um ambiente a fazer reviver outras noites de glória no velho Estádio. Jogo de nervos e com muita tensão, com a equipa a ter a alma e categoria suficientes para reagir muito bem à desvantagem inicial, criar inúmeras oportunidades e voltar a virar um jogo depois da remontada de Marselha. Poderíamos perfeitamente ter saído com um resultado mais dilatado, mas a verdade é que pela primeira vez desde a última meia-final a que chegámos (Parma 94) estamos na frente no "intervalo" de uns quartos de final europeus (em 94/95 com o Milan, 96/97 com a Fiorentina, 2005/2006 com o Barça e 2006/2007 com o Espanyol estávamos em desvantagem ou empatados depois da 1ª mão). E com toda a confiança do mundo.

Os técnicos fizeram alinhar as equipas previsíveis, sendo que no Benfica Aimar ocupou a posição do lesionado Saviola mas se introduziu uma nuance no início, com os alas Ramires e Di María trocados, talvez porque Glen Johnson é nesta fase muito mais sólido que Insúa e o argentino poderia aproveitar isso. O jogo começou equilibrado mas logo aos 8 minutos Agger colocou os Reds em vantagem com um golo bonito mas mal sofrido já que o dinamarquês desviou à vontade em zona proibida. Uma espécie de livre à Camacho dos tempos do SLB - com o qual curiosamente creio que o SLB nunca marcou um golo!

O Benfica reagiu muito bem em termos de espírito, os jogadores individualmente (à excepção do Carlos Martins, que esteve excelente no primeiro tempo) tomavam más decisões mas colectivamente a equipa quase sempre responde porque tem um plano de jogo completamente interiorizado e joga quase sempre bem. Por isso começaram a suceder-se oportunidades claras desperdiçadas (a de Cardozo então...), com o Liverpool muito pressionado e a defender lá atrás a vantagem (sendo que noutro lance de bola parada voltou a marcar um golo bem anulado). Foi nesse quadro que, aos 30', Babel deu uma ajuda sendo expulso infantilmente. Eu pessoalmente não gosto deste tipo de expulsões, acho que os árbitros devem ser mais pedagógicos neste lances e menos noutros (entradas violentas) mas também é verdade que ele aplicou a Lei.

O Benfica tentou então carregar no final da 1ª parte mas creio que só o intervalo trouxe de facto a lucidez necessária. A equipa voltou muito forte, a carregar virada para a sua bancada favorita, Cardozo volta a desperdiçar um golo cantado, depois manda uma bola ao poste e Aimar na sequência ganha um penalty claro que deveria ter resultado na expulsão de Insúa. Cardozo assumiu a responsabilidade e desta feita não deu hipóteses, para emoção deste jovem adepto, uma imagem fantástica.

Logo a seguir Jesus arrisca e lança Nuno Gomes para o lugar de Maxi mas eu creio que a alteração não resultou (nem essa nem a saída do Carlos Martins, mas também é verdade que estava a dar o berro) porque começámos a ter mais dificuldades em levar a bola aos dois avançados. Nesta fase, inclusivamente, um ataque mal concluído pelo SLB permitiu a Kujt conduzir um contra-golpe com mestria e isolar com classe Torres (Luisão mal nesse lance), que perdeu escandalosamente a oportunidade de bater Júlio César. Poderá ter sido um momento-chave na eliminatória, já que praticamente de imediato o SLB se colocou em vantagem com novo penalty do Tacuara, desta feita a castigar braço claro de Carragher (achei piada ontem toda a CS portuguesa achar indiscutível, se fosse num jogo da Liga consideravam "duvidoso"). Antes ficara outro claro por marcar sobre o paraguaio.

Até final JJ demonstrou muito bem ter aprendido a lição do Marselha na Luz e em vez de lançar a equipa sôfregamente à procura de mais um golo fez entrar Airton para segurar o meio-campo ao lado do Javi. E assim se chegou ao final com uma vantagem preciosa. Tudo em aberto para a 2ª mão, mas com a alegria de ter conseguido uma excelente vitória europeia e a confiança de ter uma equipa que pode perfeitamente fazer o mesmo daqui a 8 dias.

Individualmente, destacaria: Coentrão, talvez o mais regular a atacar e a defender; Di María teve um primeiro tempo excelente, com assistências perfeitas (o passe para o falhanço de Cardozo é do outro mundo) e bons remates, arrancou o 2º penalty mas durante muito tempo inventou demais; Cardozo acaba por ser decisivo mas está muito perdulário; Carlos Martins em grande forma mas caiu muito ao intervalo; Luisão ontem não tão calmo como habitual mas bem compensado pelo David Luiz, aliás foi bom a dupla ter-se aguentado só com um amarelo, visto cedo, o jogo todo. Gostei do Javi e do Aimar (da 2ª parte) também.

Finalmente, duas notas:

- (muito) negativa para os NN. Não sou nada do género de só dizer mal das claques; pelo contrário, se há quem esteja sempre a carregar o meu clube às costas, faça chuva, sol ou frio, a 100 ou 3000 km de Lisboa, são eles, e nunca devemos esquecer isso. Mas o que fizeram ontem com os repetidos petardos foi uma perfeita palhaçada (que aliás o resto do estádio, e bem, vaiou e insultou fortemente), a prejudicar o SLB pois cortou o ritmo de jogo e porque obviamente vamos levar, NO MÍNIMO, uma valente multa. Cambada de anormais quem toma esta atitude(que não confundo com toda a claque). E depois começam a cantar o "Quem nós somos" (mais uma vaia que levaram), parece que para eles antes do Clube está o seu grupo e isso é inaceitável. Até o Cardozo lá teve que ir pedir para pararem.

- positiva para o público em geral aquando da saída do Gerrard, um enorme jogador (mesmo em baixo de forma foi um prazer vê-lo jogar) e sempre um senhor. Muito ovacionado pelos adeptos do Benfica, foi bonito.


21 Passes de rotura:

Duarte 2 de abril de 2010 às 14:59  

A expulsão infantil do Babel ditou a sorte do jogo. Em Anfield o Liverpool é fortíssimo, mas já entra com o peso de ter de virar o resultado. A ver vamos o que se passará em Inglaterra, de qualquer modo o Benfica está de parabéns pela vitória alcançada.

PS: se eu fosse ao Benitez nunca mais convocava o Ryan Babel para um jogo esta temporada. Bem sei que tal é difícil devido às limitações do plantel do Liverpool, mas o que se passou ontem é de um ridículo a toda a prova.

Anónimo 2 de abril de 2010 às 15:10  

o torres parecia o mariano gonzalez e o gerrard parecia o balboa...ekipa ridicula!o benfica tem mais q obrigaçao de ir la ganhar...frakos mm!!!

Pedro Veloso 2 de abril de 2010 às 15:32  

De acordo Duarte, aliás o Babel depois de épocas medíocres ontem deve ter vista a sua sentença assinada no que toca a ficar no plantel do Liverpool...

Anónimo não achei o Gerrard tão mal assim, muito longe do seu melhor mas não faz disparates ao nível de um Balboa;) E ainda ofereceu um golo.

João S. Barreto 2 de abril de 2010 às 15:34  

Pedro pela primeira vez não concordo com partes essenciais da tua análise, o que possivelmente pode ser por teres visto o jogo no estádio (?) e eu ter visto em casa, infelizmente.

Penso que a nuance da troca do Ramires e Di Maria teve um objectivo mais de contenção, uma vez que Glenn johnson é um lateral mais dinâmico e atacante (no ultimo jogo da Liga marcou e deu a marcar) e o insua é mais fixo. Além disso no corredor direito havia também o sempre perigoso Kuyt. Penso que o JJ quis ver como entrava o Liverpool e controlar o flanco direito adversário com o Ramires. Quanto ao livre "à Camacho" também não me lembro de termos marcado um golo num lance desse tipo, mas sofremos um marcado pelo Deco, com Mourinho (aliás foi ele que admitiu ter copiado a jogada do Camacho).

Percebo que gostes muito do Carlos Martins, eu também gosto (não tanto claro), mas ontem na primeira parte quase sempre que o Liverpool conseguiu pegar no jogo e procurar o contra-ataque, tudo começou em passes falhados do Carlos. (Do outro lado, Gerrard não falhou qualquer passe na primeira parte, grande classe) Contudo, gostei de vê-lo vir buscar jogo cá atrás diversas vezes. Falhou também no apoio defensvio ao javi, algo que Aimar faz sempre com carácter e mestria.

Concordo contigo na análise à expulsão, não me chocava que o árbitro desse amarelo. O que me choca é a não expulsão de Insua ou o Agger ter saído do jogo sem ver amarelo.

Penso que JJ acertou em cheio nas substituições. nuno Gomes esteve excelente a abrir espaços e no passe, faltou-lhe aproximar-se mais de Cardozo, que esteve sempre muito sozinho. O Aimar desceu para o meio-campo e esteve muito bem. De resto até a mim me surpreendeu a boa exibição que fez no apoio a Cardozo. Ao início achei que era um erro, além de não termos o Saviola apto, não tirarmos o melhor da nossa maior estrela. Enganei-me. Além disso, se não me engano, o Maxi estava tapado por amarelos e assim mantém-se disponível para o jogo em Anfield.

Os meus destaques vão para Coentrão, que provou que pode jogar contra qualquer equipa como defesa-esquerdo, Javi, que não perde um duelo e é gigante nas bols aéreas, David Luiz, que meteu um tal de Fernando Torres no bolso (aquele corte num um-para-um já dentro da área valeu tanto quanto um golo), Di Maria pela quantidade de oportunidades que criou e Aimar, que protagonizou algumas das melhores jogadas do jogo, arrisco até mais que o habitual no drible. Cardozo tem que ficar depois dos treinos a tentar acertar com a bola na baliza, tem andado irreconhecível na finalização e arriscou demais no segundo penalty, felizmente teve sorte.
Do outro lado, a primeira parte de Gerrard foi excelente, Torres lutou sozinho durante 60 minutos e Mascherano + Lucas estiveram muito sólidos no meio-campo.

Vai ser muito difícil a segunda-mão, mas pelo que esta equipa nos tem dado, temos o direito e a obrigação de acreditar. O Liverpool é que vai ter de correr atrás do resultado e com as baixas que tem, não vai ser fácil (Babel, Riera e Insúa; Fábio Aurélio e Aquilani estão em recuperação).

Zéf F.A 2 de abril de 2010 às 17:09  

http://www.youtube.com/watch?v=7ur1XjVDoZE&feature=related
Aqui está a prova de que realmente existiu um golo bem sucedido de "livre à camacho". Foi o segundo golo do Benfica, marcado pelo esloveno Zahovic, na vitória sobre o Sp. Braga (1-3) na época 2002/2003

Nuvem 2 de abril de 2010 às 17:32  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo 2 de abril de 2010 às 17:33  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo 2 de abril de 2010 às 17:33  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo 2 de abril de 2010 às 17:33  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
João S. Barreto 2 de abril de 2010 às 17:47  

lol não me lembrava deste golo! Quim na baliza do Braga e Carlitos no banco do SLB, espectacular.

Tomás Pipa 2 de abril de 2010 às 18:47  

Duarte tens toda a razão,o Babel ontem assinou a sentença de morte do Benítez

Sá Pinto 2 de abril de 2010 às 21:15  

é uma pena este bruno moraes. sempre magoadinho, podia ser uma maquina.

1a parte do scp vs. rio ave bem controlado. grimi parece q ja sabe jogar, joao pereira perfeito a atacar e defender, postiga muito esforçado, presente nos dois primeiros golos (ate mais ver) mas também precisa de saber finalizar, senao nao e ponta de lança (nao marcou golos esta epoca em jogos oficiais), pedro mendes perfeito e liedson sempre mortifero, miguel veloso perigosissimo. joao moutinho tem de sair esta epoca e aproveitarmos o matias!

João 2 de abril de 2010 às 21:56  

Parabéns ao Benfica, acho que no cômputo geral foi prejudicado pela arbitragem pois o árbitro não sancionou certamente vários lances do Liverpool, ficaram mais penalties por marcar. Lá é sempre difícil mas eles estão ainda em baixo de forma e terão várias ausências. Boa sorte!

João 2 de abril de 2010 às 22:01  

Sá Pinto eu acho que o João Moutinho é um óptimo jogador e a sua plovalência é uma mais valia. Mas também é verdade que esta época não tem rendido muito e que a sua evolução nos últimos anos não tem sido tão boa quanto se esperaria (também a polivalência ajuda a monar essa tendência). Se a restruturação séria da equipa para a próxima época passar pela sua venda por um montante adequado (ou sobre valorizado,ainda melhor!) concordo.

João 2 de abril de 2010 às 22:01  

Sá Pinto eu acho que o João Moutinho é um óptimo jogador e a sua plovalência é uma mais valia. Mas também é verdade que esta época não tem rendido muito e que a sua evolução nos últimos anos não tem sido tão boa quanto se esperaria (também a polivalência ajuda a monar essa tendência). Se a restruturação séria da equipa para a próxima época passar pela sua venda por um montante adequado (ou sobre valorizado,ainda melhor!) concordo.

João 2 de abril de 2010 às 22:01  

*minar

Pedro Veloso 2 de abril de 2010 às 22:28  

João Barreto tenho que rever o jogo na TV mas achei o Carlos muito bem mesmo no 1º tempo. O Aimar jogou bem na minha opinião mas o golo do Liverpool nasce de uma perda de bola dele, adoro-o mas não é a primeira vez

Anónimo 3 de abril de 2010 às 13:55  

palhaços agora apagam os coments todos contra o benfica!!! fodass que vergonha!!!!

Anónimo 3 de abril de 2010 às 13:56  

é vergonhoso apagar coments so pk dizem q o liverpool é frakinho!! é mt baixo!! fexem esta m3rda!!

Pedro Veloso 3 de abril de 2010 às 17:44  

Calma lá, desculpem mas não aceito mentiras!! Eu apaguei vários comentários iguais e seguidos em que não se falava de futebol, nem de Liverpool nem do Cascalhense, somente se insultava outro membro do nosso blog. Mais nada!!! E quando isso acontece apaga-se o comentário. Se por acaso outro comentário desapareceu juro que sou totalmente alheio a isso, por isso não creio. Como vêem o 2º comentário desta caixa, de um anónimo, diz que o Liverpool é fraquíssimo e ficou aí visível, é uma opinião como outra qualquer que só tenho que respeitar e agradecer. Vamos lá a ser sérios. Obrigado.

Numero Dez 3 de abril de 2010 às 18:35  

Concordo com tudo Pedro!FOi uma grande noite, em que também a sorte esteve do nosso lado quando torres falhou aquele golo bem mais fácil que qualquer um dos falhados por Cardozo, mas a sorte acompanha sempre quem a procura. Eu acredito que passaremos em anfield road apesar do ambiente hostil que nos espera, e pela excelente qualidade do plantel de rafa benitez. O Braguinha ontem foi uma vergonha... Nem vale a pena comentar...