Poker

Para a visita ao Restelo, Carlos Carvalhal quase não fez alterações no onze que goleou facilmente o Everton e FC Porto, apenas Anderson Polga entrou para o lugar do lesionado Daniel Carriço. Mexer foi novidade no banco de suplentes.

O Sporting começou bem o jogo, e por pouco que não se adiantou no marcador aos 3', Abel ganhou a linha de fundo e cruzou atrasado onde apareceu Liedson a rematar com estilo para uma defesa segura de Bruno Vale.


A primeira confusão na área aconteceu aos 22', após balão (não poderia ser de outra maneira) de Grimi para a área, João Moutinho assistiu Liedson de cabeça que foi desarmado in extremis por Beto. Pediu-se penalty a favor do Sporting, mas o árbitro marcou falta do matador português. Para mim não é penalty, mas também não sei donde surgiu da falta do Levezinho.

Na 2ª parte, apareceu Liedshow enraivecido por não ter assinado a lista dos marcadores nas goleadas caseiras ante o Everton e FC Porto. Liedson marcou 4 golos em apenas 45 minutos, a primeira vez que o fez desde que chegou a Portugal, nem mesmo contra a Académica e Benfica (as equipas que mais provaram do veneno do internacional luso). Nesta época já contabiliza 18 em todas as competições (21 se contarmos com os jogos de Portugal) e está a apenas um golo dos 160 marcados de Leão ao peito. E há para aí gente a dizer que Liedson deveria rever a sua postura como profissional... está bem está! Notável!

Liedson marcou aos 50' após centro de Izmailov, aos 60' após assistência de cabeça do Campeão do Mundo Anderson Polga, aos 80' após passe de Abel e um remate colocadíssimo de pé esquerdo e aos 88' a responder a um cruzamento açucarado de Saleiro. É bom que Liedson comece a aquecer para o Mundial que vem.

João Moutinho marcou de calcanhar aos 64', mas a equipa de arbitragem anulou (e mal) o lance por alegado fora-de-jogo.

O Sporting distancia-se na luta pelo 4º lugar e continua na senda de vitórias. A nova fórmula de Carlos Carvalhal parece estar a dar resultado. Próxima quinfa-feira terá um teste de fogo diante do At. Madrid de Forlán, Aguëro, Jurado e cª.

Quanto ao Belenenses, é cada vez mais certo que será o último desta Liga. Só não escrevo mesmo que vai descer porque depois do campeonato no relvado, há o campeonato na secretaria, onde o Belenenses tem-se mostrado muito forte nas últimas épocas. O Belenenses roubou também ao FC Porto o título de maior goleada sofrida com Sporting para o campeonato.

5 Passes de rotura:

LMC 8 de março de 2010 às 16:52  

Bom post.
No entanto, não posso deixar de salientar a completa apatia da equipa na 1ª parte.

LMC 8 de março de 2010 às 16:52  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Pedro Veloso 8 de março de 2010 às 23:55  

Não vi o jogo, mas há que tirar o chapéu a Liedson pelo poker, e a um homem que ontem foi decisivo em fazer pender o jogo para o lado leonino, Carlos Saleiro! Além dos atributos técnicos e de posicionamento que tem demonstrado, é mais rápido do que às vezes parece, ontem viu-se bem

João S. Barreto 9 de março de 2010 às 01:58  

Veloso, os defesas do belem é que sao lentos demais!

Pedro Veloso 9 de março de 2010 às 10:35  

lolol se calhar é mesmo isso, mas isso é a história do copo meio cheio ou meio vazio