Liga dos Campeões - A elite

"We are the champions - my friends

And we'll keep on fighting - till the end
We are the champions
We are the champions
No time for losers
'Cause we are the champions - of the world"
É com a voz de Freddie Mercury que milhares de cachecóis azuis e brancos se agitam, incluindo o meu, ao mesmo tempo que entram as estrelas no magnifico tapete do Dragão.
Apenas em 16 estádios de todo o mundo se ouve "We are the champions" antes de um jogo. Pelo menos oficialmente e nesta altura, outros podem ouvi-lo para sonhar, mas esta é a realidade apenas da nata do futebol europeu e é a realidade do FC Porto.
O FC Porto enfrenta o Arsenal, às 19h45, no Estádio do Dragão, em jogo a contar para os oitavos de final da Liga dos Campeões.
Agora é a doer. Os erros pagam-se caro e as oportunidades não se podem desperdiçar.
Os portistas atravessam um ciclo complicado e depois de escorregar em Matosinhos, recebe o poderoso Arsenal, isto antes de receber o SC Braga, numa jornada importantíssima para a Liga Sagres. Importantíssima, decisiva não.
Decisivo é este jogo com o Arsenal e de fácil nada tem.
A equipa de Arsene Wenger é das que melhor futebol praticam em Inglaterra e no mundo. Mas nesta fase já não há equipas fracas e é assim que o Arsenal tem que pensar. O FC Porto não será uma equipa fácil.
Gallas, Song, Arshavin, Almunia, Eduardo e o, há muito lesionado, Van Persie são baixas confirmadas, o que me agrada, acima de tudo o criativo russo e o letal avançado holandês. Contudo em campo estarão os experientes Campbell e Silvestre e os criativos Nasri, Fabregas, Rosicky, Vela, Walcott e Bendtner, entre outros, todos eles cheios de talento, como é óbvio.
Quando ao FC Porto tem um "reforço" de peso e pronto a explodir: Givanildo Viera de Souza, mais conhecido no mundo do futebol como Hulk.
Portugal preocupado com a prestação azul e branca na Liga dos Campeões resolveu fazer descansar Hulk para que este pudesse estar na máxima força para estes dois decisivos encontros. O brasileiro está encostado a um canto, como peça sem valor, desde 20 de Dezembro de 2009. Quase há 2 meses. Acredito que o 12 portista esteja cheio de "ganas" de jogar, de driblar, de rematar e de, quem sabe, balançar as redes da baliza inglesa.
Contudo, receio que Hulk, como acontece sempre que se espera muito dele, não venha a fazer nada. Compete ao Professor Jesualdo trabalhar a cabeça e o pensamento do brasileiro e saber aproveitar ao máximo a "raiva" que há dentro dele.
O FC Porto deve alinhar com Helton na baliza, Fucile na direita, Bruno Alves e Rolando no meio e Álvaro Pereira na esquerda; mais à frente Fernando no vértice invertido de um triângulo que deverá ser completado com Ruben Micael mais descaído para a esquerda e Raul Meireles mais encostado à direita; o trio atacante deverá ser composto por Hulk, Varela e o nosso matador Radamel Falcao.
Cristian Rodriguez e Ernesto Farias são baixas confirmadas, infelizmente, mas o futebol é mesmo assim e os que lá estão vão dar tudo o que têm para que o FC Porto saia vencedor deste encontro.
A estreia de Ruben Micael nesta competição será um dado a analisar. Espero que o nível exibicional se mantenha elevado, que ele continue decisivo e, acima de tudo que ele ajude o FC Porto a vencer.
É importante marcar golos e acima de tudo não sofrer, para assim evitarmos ir para Londres à procura do prejuízo, porque lá sim, lá as coisas serão de complicadas, mas falaremos disso na devida altura.
Espero que se pratique um bom futebol e que o nome Arsenal não intimide ninguém. Quero-os de peito feito e capazes de comer a relva se preciso.
Já fiz uma vez contra o Arsenal e espero fazer outra daqui a umas horas. Quero saltar da cadeira e gritar golo e no fim quero subir a Alameda feliz da vida, a falar de como foi bom vencer o Arsenal.
Peço humildade e dignidade. É duro, mas não é impossível. Venham eles!!
Cumprimentos azuis e brancos.

27 Passes de rotura:

Pedro Veloso 17 de fevereiro de 2010 às 01:53  

Como é que o Ruben joga se já actuou esta época pelo Nacional na Liga Europa? Ou a proibição é só para a mesma competição?

Bruno_Mega 17 de fevereiro de 2010 às 11:16  

Acho que no sábado o Braga vai ter um 11 mais forte na relva do dragão...
Sinceramente o digo, este arsenal é uma equipa muito, mas muito acessível!
Em todo o caso, força Arsenal!

Cristiano Moreira 17 de fevereiro de 2010 às 11:17  

Penso que a inibição de jogar só se aplica na mesma competição, como por exemplo o João Pereira.
Penso eu.

Anónimo 17 de fevereiro de 2010 às 13:44  

"Sinceramente o digo, este arsenal é uma equipa muito, mas muito acessível!"

Fabregas, Rosicky, Vela, Walcott, Bendtner, Nasri, Campbell e Silvestre.

Sim, de facto muito acessível...

Se este é acessível, o benfica e o sporting são o quê? O sertanense lá do sítio?

Bruno_Mega 17 de fevereiro de 2010 às 19:54  

Fabregas e Nasri... No max walcott tb... tudo o resto... nas o queria nem no Benfica...

André Pinto 17 de fevereiro de 2010 às 20:57  

Olha, confusão depois do apito para intervalo entre, adivinhe-se, Ruben Micael e Fabregas.

De certeza que o Benfica está por detrás disto!

Ou então o Fabregas meteu-lhe dois dedos na cara!

Um anjinho este Ruben de facto.

Anónimo 17 de fevereiro de 2010 às 21:12  

Este segundo golo do Porto... nem nos regionais acontecia...
Que VERGONHA...
Nos "inúmeros" beneficios do benfica deste ano... já houve alguma como esta??
Tenham vergonha...

Marco 17 de fevereiro de 2010 às 21:49  

Anónimo, vergonha? Então pq? Por jogar na champions? Nunca teremos vergonha disso pah...
Se não gostas de ver o PORTO ganhar é fácil, não vejas jogar eheh

Anónimo 18 de fevereiro de 2010 às 00:39  

E já agora, quem fala em vergonha, devia primeiro saber as regras antes de mandar postas de pescada.

Lei 13:

Distância

Se um jogador decide executar um pontapé-livre rapidamente e um adversário, que se encontra a menos de 9,15 metros da bola, a intercepta, o árbitro deve permitir que o jogo prossiga.

Se um jogador decide executar um pontapé-livre rapidamente e um adversário, que se encontra perto da bola, o impede deliberadamente de o executar, o árbitro deverá advertir esse jogador por retardar o recomeço do jogo.

Se, quando uma equipa é beneficiada com um pontapé-livre dentro da sua própria área de grande penalidade, um jogador decide executá-lo rapidamente, um ou vários jogadores adversários se encontram dentro da área porque não tiveram tempo de sair dela, o árbitro deve deixar prosseguir o jogo.

Esclarecimentos adicionais:

7. Um jogador executa um pontapé-livre de forma rápida e a bola entra na baliza. O árbitro não teve oportunidade de indicar que o pontapé-livre era indirecto. Que decisão deve tomar o árbitro?

Deve mandar repetir o pontapé-livre indirecto no mesmo local, já que não teve tempo de indicar que o mesmo era indirecto.

8. Um pontapé-livre é assinalado e o jogador decide executar rapidamente o pontapé. Um adversário que se encontra a menos de 9.15 metros intercepta a bola. Como deve agir o árbitro?

Deve deixar prosseguir o jogo.

9. Um pontapé-livre é assinalado e o jogador decide executar rapidamente o pontapé. Um adversário que se encontra junto da bola impede-o de realizar o pontapé. Como proceder?

O jogador deverá ser advertido por retardar o recomeço de jogo.

Acho que é esclarecedor.

E já agora:

http://www.youtube.com/watch?v=gCWjioIR5MM&feature=related

Bruno_Mega 18 de fevereiro de 2010 às 01:40  

"7. Um jogador executa um pontapé-livre de forma rápida e a bola entra na baliza. O árbitro não teve oportunidade de indicar que o pontapé-livre era indirecto. Que decisão deve tomar o árbitro?

Deve mandar repetir o pontapé-livre indirecto no mesmo local, já que não teve tempo de indicar que o mesmo era indirecto."

Acho k foste arranjar lenha para te queimar...

Anónimo 18 de fevereiro de 2010 às 02:04  

Realmente bruno_mega. Isto foi exactamente o que aconteceu. lol.
O arbitro ainda nem o braço tinha levantado e já a bola estava na baliza. Feio, muito feio!

Lembro-me de umas 2 ou 3 vezes em k isto já aconteceu na história do futebol. Mas ou porque a barreira não estava completamente formada, ou porque o arbitro não tinha apitado, etc... Agora um livre indirecto dentro da área!?! Da maneira k foi?? Nunca visto...

Deixo-vos a opinião de alguém com mais conhecimentos que eu...

"O treinador do Arsenal criticou hoje o trabalho do árbitro a propósito do golo que ditou o triunfo do FC Porto por 2-1, na primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

Insatisfeito com o segundo golo portista, sobretudo pela forma como Hansson permitiu a marcação rápida do livre indirecto dentro da área, Arsene Wenger permitiu-se até ao humor para criticar o árbitro sueco.

“Se for sempre assim, isto é melhor que uma grande penalidade. Se deixam o jogador colocar a bola em jogo sem qualquer tipo de defesa por parte do adversário, é impossível conseguir defender. É melhor que uma grande penalidade”, disse.

O treinador francês da equipa inglesa disse mesmo “nunca” ter visto nada assim.

“É difícil perceber isto, mas quem sou eu. Se calhar não sou inteligente o suficiente para perceber. O árbitro fez um golo de um lance sem perigo.”, avançou.

Além da crítica a este lance, Wenger falou ainda de uma grande penalidade não assinalada sobre Rosicky, momentos antes do segundo golo do FC Porto.

Se fosse ao contrário? O que já aqui teria sido dito...

Anónimo 18 de fevereiro de 2010 às 02:07  

Anónimo ainda não fomos a uma final com um golo feito com a mão!!
A celebre mão de Vata!!
Desculpa lá relembrar te essa vergonha!!!
Pascoal

Hugo 18 de fevereiro de 2010 às 03:34  

Foda-se este pessoal é tão mesquinho que nem consegue disfarçar a azia.
Que tristeza

keller CARALHO! 18 de fevereiro de 2010 às 05:34  

Tenham vergonha caros adeptos do SL(ol)B. Se fosse no vosso caso era a mesma coisa. O golo é regular. ponto final. Azia de nao saber o que é champions é FODIDA!

Marco 18 de fevereiro de 2010 às 09:54  

Ó meu caro anónimo, isto tudo se resume a inteligencia e mt experiencia na liga dos campeões ( coisa que o teu clube não deve ter). Quantas vezes o porto já sofreu golos assim ou de forma semelhante nesta competição? Quantos golos ja não se viu desta forma? Que eu me lembre algumas. Logo o PORTO aprendeu com os seus erros e desta vez não fomos nós a sofrer mas sim a marcar. Isto revela as qualidades que eu referi, por isso esta na hora de parares de arranjar prai desculpas para o PORTO ter ganho...

Anónimo 18 de fevereiro de 2010 às 11:35  

"Acho k foste arranjar lenha para te queimar..."

"Realmente bruno_mega. Isto foi exactamente o que aconteceu. lol.
O arbitro ainda nem o braço tinha levantado e já a bola estava na baliza. Feio, muito feio!"


E eu acho que se deve ler bem antes de (novamente) mandar postas de pescada.
O problema que fere o ponto 7 tem a ver com o facto do livre ter sido supostamente marcado de forma directa (e entrar na baliza) sem que o árbitro tenha indicado se era indirecto ou não.

Aliás, o ponto 8 não deixa margem para dúvidas:

"8. Um pontapé-livre é assinalado e o jogador decide executar rapidamente o pontapé. Um adversário que se encontra a menos de 9.15 metros intercepta a bola. Como deve agir o árbitro?

Deve deixar prosseguir o jogo."

Ora, se por acaso o guarda-redes ou o campbell tivessem interceptado a bola o árbitro deve deixar prosseguir o jogo, sendo legal, porque é que o contrário também não o é?

Este tipo de lances é comum acontecer, embora na área seja raro. É até irónico que o Henry no Arsenal fe-lo umas poucas vezes, pelos vistos.

Sejam isentos, caramba! Todos os clubes são beneficiados de vez em quando, mas será que não percebem que perdem credibilidade quando insistem em apontar para o Sol e dizer que é a Lua?

PS: Apesar de ser um lance perfeitamente legal, na minha opinião deviam existir ressalvas quer para o tipo de situações como a de ontem quer como por ex. o golo do Henry frente ao Chelsea. O problema aqui é como é que se cria a regra? Se um jogador marca rapidamente um livre a meio do campo e o mesmo dá golo também se deve anular? Sinceramente, por mais 'injusto' que possa parecer o lance de golo do FCP, acho que criar uma regra que o impeça de acontecer seria provavelmente contra o espírito do jogo.

Alfredo Barbosa 18 de fevereiro de 2010 às 11:57  

É óbvio que se fosse o Benfica a marcar seria matreirice e inteligência inusitada. Como foi com o Porto, enfim... quando se começa a falar sem conhecimentos das leis de jogo, dá nisto...

Quantos lances nas defesas e meios-campos se vêem deste género, sem que Brunos_Megas e companhia reclamassem? Ora, desta vez foi no ataque, deu golo, aconteceu. Deixem-se de mariquices!

Podem achar o golo pouco ético, isso não discuto, mas segundo as regras ele é legal, como já foi aqui exposto. O próprio Jorge Coroado diz que não há qualquer irregularidade à luz dos regulamentos. Agora, se os normas deveriam ser estas, é uma outra questão que se deve debater...

Bruno_Mega 18 de fevereiro de 2010 às 13:28  

Têm razão! Desculpem os meus limitados conhecimentos desportivos. Estão muito longe dos supra sumos que aqui falam.
O golo foi legal, foi tudo normal tanto técnica como éticamente.
São coisas que acontecem quase todos os fds. Fui pura inteligência!
Acho k ainda na jornada passada houve 11 ou 12 lances destes.
E mesmo o Wenger... tá maluco da cabeça e só diz desparates. tb não percebe nada de futebol...
Acho que mesmo a mão do henry que este gigante da arbitragem também validou, foi uma decisão correcta!
Siga a dança...

Luís Marques 18 de fevereiro de 2010 às 14:38  

Oh Pascoal, o Vata marcou de mão sim. Mas antes disso houve uma falta sobre ele para penalti.

Mais tarde o árbitro deu uma entrevista onde disse que não viu a mão, mas viu antes desse lance uma falta sobre o Vata, e só não marcou penalti porque foi golo. Nesse tempo ainda existia lei da vantagem dentro de área julgo eu.

Convém dizer tudo, não apenas metade.

Alfredo Barbosa 18 de fevereiro de 2010 às 14:45  

Das duas, uma, Bruno_Mega: ou és mesmo do contra, ou não tens capacidade para ler e compreender o que uma simples regra diz.

O golo foi legal, de acordo com os regulamentos que tu leste aqui e que não foram inventados por nenhum portista. És assim tão burrinho para não dar o braço a torcer?

Eticamente pode ser condenável, muitos lances o são, mas segundo as leis é permitido! Agora, tu, nem nenhum adepto, deve saber ao detalhe este tipo de demandas, pelo que, até sermos confrontados com as leis, nos deveríamos abster de comentar; já o senhor Wenger fez-se de ingénuo e revelou uma cobarde memória selectiva.

Anónimo 18 de fevereiro de 2010 às 16:14  

Na mouche.

Anonimum 18 de fevereiro de 2010 às 18:29  

Grande jogo do Porto, dominou o Arsenal como quiz, meteu dois golos de elevado nível técnico, jogadas de grande envolvimento colectivo, só não goleou por manifesta falta de sorte tantas e tão boas foram as oportundades de golo! O resultado peca claramente por escasso, sofreu um golo contra a corrente de jogo numa jogada de "chouriço" do adversário, mas face à superioridade demonstrada não é difícil acreditar que vai conseguir nova vitória fácil em Londres.

Ah, Ah, Ah.... era isto que o grande Porto gostava que fosse a crónica do jogo, mas infelizmente andam a defender as coisas do costume: casos! este não legal mas moral!
Mas de facto ganharam num jogo limpo!

Cristiano Moreira 18 de fevereiro de 2010 às 18:33  

A crónica do jogo sai o mais tardar amanhã.
É bom ver tantos adeptos do Arsenal aqui no Settore. Estamos mesmo a crescer. Thank you gunners.
We are (in) the champions - my friends!!

José Faria 18 de fevereiro de 2010 às 18:50  

o 2º golo do Porto está carregado de irregularidades, mas a que eu gosto mais é aquela em que árbitro pede a bola ao Guarda Redes, fica a bloquear o defesa do Arsenal e permite que com com Guarda Redes de costas a Associação marque o livre e o consequente golo.

"É bom ver tantos adeptos do Arsenal aqui no Settore. Estamos mesmo a crescer. Thank you gunners."

Cristiano, essa foi para rir ou para chorar?
Tu apoias o Benfica mais logo se calhar.

Anonimum 18 de fevereiro de 2010 às 19:24  

We are (still) (in) the champions - my friends!!

Espero então pela crónica corrigida...

Anónimo 18 de fevereiro de 2010 às 23:39  

O que é ainda mais interessante é ver a quantidade de indefectíveis que, apesar de lhes chaparem com as regras do jogo, continuam a falar em irregularidade!

Constata-se o que há muito se vem dizendo: as hostes benfiquistas seguem de facto uma cartilha diferente no que toca às regras do jogo definidas pela FIFA e pela UEFA.

Cristiano Moreira 19 de fevereiro de 2010 às 12:00  

José Faria, nem apoio, nem deixo de apoiar. Não vi o jogo sequer, como é hábito meu.
Mas não perco tempo, de certeza, a defender o Hertha.
Cumprimentos.