Tetramagníficos

45 minutos, os primeiros do encontro, bastam para que seja contada a história do Porto x Leixões desta temporada. E se, em termos temporais, três quartos de hora são suficientes para ilustrar o que no Dragão se passou de relevante, competência é a palavra acertada para se resumir escrita e verbalmente a exibição portista.

Com Varela, Hulk e Falcao a formarem o trio atacante, os campeões nacionais até tiveram um início periclitante, altura em que permitiram aos homens de Matosinhos criarem duas boas oportunidades para se adiantarem no marcador. A partir daí, os azuis e brancos lançaram uma avalanche ofensiva que um frágil Leixões, com muitos jogadores novos e quase todos de dúbia qualidade, não conseguiu suster. Assim, o Porto chegou natural e calmamente à vantagem, numa jogada colectiva soberba que culminou no remate indefensável de Silvestre Varela. Os leixonenses ainda não estavam refeitos do primeiro tento sofrido e já Hulk aumentava a contagem através de uma grande penalidade. O jogo ficou sentenciado aí e os golos de Rolando aos 33 minutos e de Falcao aos 40, mais não fizeram do que aumentar a beleza e expressividade da vitória portista.

A segunda parte foi algo monótona, como era mais ou menos previsível. O Porto tinha o triunfo garantido e os matosinhenses, principalmente pela desvantagem no marcador, não tinham capacidade para ameaçar a vitória clara e inequívoca do seu opositor. Assim sendo, e porque na terça-feira há jogo para a champions, a formação de Jesualdo Ferreira limitou-se a gerir o tempo, permitindo ainda que o Leixões chegasse ao golo de honra por intermédio de Pouga. Claro que, principalmente num derby, os adeptos querem é que o seu clube construa o resultado mais volumoso possível, porém neste caso é compreensível que tal não tenha acontecido.

Uma coisa houve que causou, ou devia ter causado, um certo espanto no público. Ao intervalo, Jesualdo retirou Álvaro Pereira, um dos melhores em campo, e colocou Tomás Costa para ocupar o lugar de lateral direito - posição que de resto não é a sua -, passando Fucile para o lado esquerdo da defesa. Percebo a substituíção, na medida em que o uruguaio havia jogado pela sua selecção durante a semana, teve de fazer uma viagem longa e é bem possível que estivesse desgastado. O que causa alguma revolta é que se Jesualdo já tinha equacionado poupar o defesa vindo do Cluj, no caso do jogo ficar resolvido cedo, porque não convocou Sapunaru ou Miguel Lopes? De qualquer modo, nada invalida a péssima exibição do argentino. Errou passes consecutivamente, foi facilmente driblado e ultrapassado pelos adversários e, juntando isto à sua debilidade física, começa a ficar sem espaço no plantel.

Quanto a destaques individuais, todo o tridente ofensivo do Porto esteve irrepreensível. Ter de escolher um entre estes três é uma missão delicada. Ainda assim, talvez Hulk tenha sido o mais preponderante. Porque marcou, deu a marcar e desiquilibrou, fez, em síntese, aquilo que é habitual. Isto sem querer tirar obviamente valor ao contributo de Varela, que se assume cada vez mais como um caso sério na luta pela titularidade, e do inevitável Falcao, que lá marcou mais um.

14 Passes de rotura:

Tomás Pipa 14 de setembro de 2009 às 01:26  

sem duvida, uma exibição muito competente!
O FC Porto em organização não falha, eu por acaso não desgosto do T.Costa, mas também nao vi o jogo pois tava a alternar com o jogo dos Galáticos

Duarte 14 de setembro de 2009 às 03:44  

Eu percebo que não desgostes do Tommy, Tomás. Também lhe reconheço alguma classe e técnica, mas isso só pode até dar para fazer alguns minutos contra clubes de menor nomeada, mas, por exemplo,para a champions não dá.

Em relação ao meu último post, peço desculpa, mas só agora pude responder aos teus comentários e do Pedro.:)

Pedro Veloso 14 de setembro de 2009 às 04:34  

hmm concordo com o Duarte, acho que o Tommy está aqui está a reforçar o Setúbal para a 2a metade da época. Não vi o jogo, mas pelo que li o Leixões só durou 2 minutos - já agora, aquele Faioli fez alguma coisa? Tenho-lhe visto alguns bons pormenores, embora super individualista. A partir daí só deu Porto. De realçar o Álvaro Pereira, pois não é todos os dias que se vê um lateral ser tão decisivo numa partida, e o Varela, que eu não achava nada jogador para o FCP e por este andar me vai fazer dar a mão à palmatória.

P.S. Qual será a linha atacante do Porto em Londres?

Tomás Pipa 14 de setembro de 2009 às 12:11  

Hulk, Rodriguqez e Falcao, e se entrar alguem entra Mariano!

Duarte, o lance do atraso eu não tenho nada a dizer, ele deveria ter chutado obviamente para não haver duvidas!
Falo é das não expulsões de P.Emanuel (devia ter visto 2 vermelhos no mm jogo),Meireles e B.Alves

Numero Dez 14 de setembro de 2009 às 12:43  

Muitos falam do benfica, mas a verdade é que este porto esta muito muito forte! Saiu lucho lisadro e cissokho e o porto continua muito homogeneo. O sporting ta um pouco longe, ve-se que paulo bento tenta fazer omoletes com os ovos que tem...mas não chegará certamente se estas equipas manterem este nível exibicional!

Anónimo 14 de setembro de 2009 às 16:39  

continuam os apitos azuis a beneficiar os corruptos de contumil? sempre porquê..
NIMGUEM INVESTIGA ESTES CASOS ...

raio x 14 de setembro de 2009 às 16:50  

Pois e 45 m mais parece a BENFICA TV com as escutas !

Então e ainda zero e zero e aquele erro GRAVISSIMO do arbitro em beneficio dos de cedofeita , isso não consta no relatoprio do jogo PORQUÊ.....
E assim que se branqueiam os jogos .

João 14 de setembro de 2009 às 17:38  

Saudações! Apesar de só ter visto os principais lances da partida vi uma grande 1ª parte do Porto! E Continuo a não perceber a dispensa do varela se ela permitia que o SCP pudesse jogar num esquema táctico alternativo!Nunca pensei que singrasse no porto (a procissão tb só vai no adro) mas está-me a calar.

Old School 14 de setembro de 2009 às 17:39  

Na minha opinião penso que o plantel do fcporto se assemlha muito ao do ano passado em termos qualitativos, mas não nos esqueçamos que a época é longa e existirão lesões, castigos, viagens de selecções, etc.
O slbenfica parece-me mais forte embora me pareça também um plantel desiquilibrado, sem grandes opções embora com um treinador muito conhecedor do futebol português, o q é uma vantagem grande.
O scp é destes três o mais fraco em termos de plantel, por isso penso que terá tudo para melhorar e a pressão poderá jogar a favor deles, pois nem em investimento, nem em qualidade do plantel se assemelha aos outros dois.

Duarte 15 de setembro de 2009 às 01:29  

Caros anónimo e Raio X, fiquem a saber que o polémico penalty que dá origem ao golo do Hulk não foi o primeiro, mas o segundo tento do jogo. É de má fé pura dizerem que o Porto só ganhou por causa disso. Ou é isso, ou não viram o jogo e se foi esse o caso deviam abster-se de comentários. Eu pelo menos evito falar de coisas que ou não sei, ou não vi, é uma questão de honestidade intelectual, mas cada qual rege-se pelos padrões morais que quer.

Eu não queria pronunciar-me sobre o lance do penalty neste post, pois estava a pensar fazê-lo no post do Pedro sobre os casos da jornada, mas não me dão alternativa. Depois de ver a repetição num ângulo em que o Álvaro aparece de frente, parece-me não haver nada, no entanto depois de ver uma imagem mais global da jogada, vê-se o jogador do LSC a tocar na perna do uruguaio por trás. Neste caso, é justo que se diga que o Álvaro ia já em desequilíbrio e que se aproveita disso para cair. O lance é no mínimo duvidoso e admito que o árbitro possa ter errado.

No essencial, o que se viu foi um domínio esmagador do FC Porto, o resto é pura demagogia. Ah e ainda não percebi porque insistem em referir-se ao Porto como o "clube de Contumil, de Cedofeita, etc". Pois, o FCP é de Contumil, Cedofeita, Ramalde, Aldoar, Foz, Ribeira, Campanhã, Lisboa, Aveiro, Braga, Guimarães, Madeira, Açores... em suma de Portugal inteiro, porque é um clube nacional e internacional. Mas, já agora, deixem-me que vos diga que fico feliz por terem o mapa geográfico da invicta tão bem presente nas vossas cabecinhas.

Duarte 15 de setembro de 2009 às 01:34  
Este comentário foi removido pelo autor.
Duarte 15 de setembro de 2009 às 01:35  

Pedro, também estava à espera de mais do Faioli. Ele, quando chegou, disse ser parecido com o Lisandro. Naturalmente, está a anos luz, mas também acho que a equipa em que está inserido ainda não se conseguiu encontrar e vamos ver se alguma vez o vai fazer este ano.

Em Londres, penso que o Rodriguez irá regressar ao onze. Já ouvi também dizer que o Mariano também será titular (medo), mas para o lugar de quem?

Old School, não concordo que o plantel do Benfica seja desequilibrado globalmente. Acho apenas que ao Benfica faltam dois grandes laterais. Se à esquerda isso é mais que óbvio, à direita Maxi é um jogador esforçadíssimo, mas não tem o valor suficiente para que se possa ser considerado um lateral de top.

Old School 15 de setembro de 2009 às 14:21  

Duarte,

Quando referi desequilibrado, quis dizer que o banco não apresenta soluções á altura do onze tipo do JJ, concordo contigo em relação a´s laterais, mas não te esqueças da baliza que é também sofrivel.Também gostaria de ver um jogo sem Cardozo e Saviola.
Mas a época é longa.

Tomás Pipa 15 de setembro de 2009 às 17:02  

A grande novidade do Benfica esta época não é o plantel, mas sim o treinador. A época passada já tinham bons jogadores. Suazo e Reyes são bons jogadores em qualquer lado do mundo, Aimar, F.Coentrão,Di Maria,Amorim,Maxi,Luisão,Sidnei,D.Luiz,Cardozo já lá estavam, e ainda havia Katsouranis que é um bom jogador. Se não jogar Saviola e Cardozo, jogará Keirrisson (que é mesmo muito bom) , N.Gomes ou Weldon e acreditem que o SLB continuará a facturar