Salir a ganar

São raros os jogos no nosso país que podem ver a sua história contada desde o princípio, sem ter de andar uns bons minutos adiante para que seja encontrado algo de relevante para referir. O FC Porto x Sporting CP de ontem fugiu a esta triste regra.

Os campeões nacionais entraram no jogo de forma afirmativa e até avassaladora, não dando tempo para respirar aos seus rivais leoninos. Falcao foi o primeiro a abrir as hostilidades, quando estava apenas decorrido um minuto de jogo, ao rematar, ainda que fraco, para defesa de Rui Patrício, após excelente recuperação de bola de Belluschi, lançando Hulk que, por sua vez, isolou o colombiano. Foi preciso esperar apenas mais sessenta segundos para ver o primeiro e único golo da noite. Falta de Polga sobre Hulk, livre marcado irrepreensivelmente por Belluschi e Falcao com o seu habitual instinto goleador a não dar hipóteses ao guarda-redes do Sporting, num golpe de cabeça mortífero.

O Porto não adormeceu à sombra do golo obtido e, pouco tempo depois, Falcao, novamente ele, e Bruno Alves tiveram hipótese de dilatar a vantagem. Primeiro, El Tigre não conseguiu dar o melhor seguimento a uma boa jogada de Hulk, depois foi o capitão azul e branco que não aproveitou da melhor forma um canto marcado por Belluschi, cabeceando por cima. E com tanta superioridade portista até aqui - estávamos no primeiro quarto de hora do jogo - ao Sporting parecia estar destinado um papel de submissão. Como se viu mais tarde, não foi nada disso que ocorreu.

Os leões conseguiram em seguida equilibrar as coisas. O meio campo, que até então era todo do Porto, passou a estar dividido e, fundamentalmente através de bolas paradas, o Sporting criou boas oportunidades para chegar ao empate. A situação mais flagrante, surgiu na sequência de um canto apontado por Miguel Veloso com Postiga a cabecear com violência à barra da baliza de Helton. Antes disto, Matias Fernandez tinha dado o primeiro aviso numa boa jogada individual que só não deu golo porque Helton fez uma boa intervenção. Nesta altura, o Porto tentou responder como pôde e Bruno Alves de livre criou perigo, com a bola a ser desviada pelo guarda-redes sportinguista. O Sporting respondeu mesmo no fim do primeiro tempo, no seguimento de um livre de Veloso que foi perigosamente desviado por Falcao, tendo valido a atenção do guardião brasileiro.

A segunda parte começa com um lance que podia ter sido capital. Hulk vai embalado e é tocado em falta por Polga dentro da área. Duarte Gomes assinala penalty e o central leonino é expulso. Na conversão, Falcao remata para defesa de Rui Patrício. A partir daqui o jogo mudou. Teoricamente, o Porto deveria consolidar a supremacia que evidenciou no primeiro quarto de hora do desafio, esperava-se que os tetra campeões fossem para cima dos homens de Alvalade e que, quando muito, aproveitassem a superioridade numérica em situações de contra ataque. Se no papel isto era previsível em campo as coisas foram bem diferentes. O Sporting soube ser inteligente e arrancou, a partir daí, para uma partida de grande personalidade. Com uma boa circulação de bola e muita dinâmica nas movimentações posicionais dos seus jogadores, os leões podiam até ter chegado ao empate, num remate acrobático de Vukcevic.

O Porto, por seu turno, nunca mais se encontrou, muito por culpa de mais uma fraca exibição de Mariano, rendido a meio do segundo tempo por Tomás Costa, que também não acrescentou nada, e de um desinspirado Raul Meireles que esteve péssimo na transição para o ataque, errando demasiados passes.

Até final, nota ainda para a expulsão de Miguel Veloso, algo que não aqueceu nem arrefeceu o jogo, já que esta aconteceu no último minuto dos descontos. Paulo Bento é que não deve ter pensado o mesmo, a julgar pela forma como protestou parecia que o jogo tinha começado há minutos. Os protestos foram de tal ordem que o técnico visitante recebeu também ele ordem de expulsão.

Quanto a destaques individuais, no Porto as atenções vão para Hulk. O senhor cem milhões parece estar de volta às boas exibições, ontem então esteve mesmo incrível. Também Belluschi e Falcao merecem elogios. O primeiro porque tem realmente uma qualidade de passe a cima da média e, quanto mais não seja, com ele as bolas paradas são realmente perigosas, em suma é outra música que toca naquele meio campo. Já Falcao porque marcou o golo, deu a vitória e insiste em desfazer as dúvidas dos arquirivais dos dragões acerca das suas qualidades, merece igualmente todo o realce. No Sporting há que realçar a boa exibição de Rui Patrício, que teve diversas intervenções de qualidade, e o esforço de Liedson e Veloso.

26 Passes de rotura:

Anónimo 27 de setembro de 2009 às 16:47  

ainda q bem escrito este post tenta camuflar duas coisas a meu entender.
um texto tao grande é de certeza para quando chegarmos ao fim nao nos lembrarmos q disseste q a falta de polga sobre hulk foi...falta! aserio nao consegues mm admitir q n ha nada?
a segunda é o facto do titulo ser uma frase conhecida de camacho. é bem patente a tua perturbaçao ao teres de olhar para cima para ver o benfica, nota se q andas inquieto com a superioridade benfiquista este ano duarte (mas va la ainda nao es daqueles q dizes q estamos a ser levados ao colo).

Duarte 27 de setembro de 2009 às 17:27  

Caro anónimo, houve algumas razões que fizeram com que não debruçasse sobre a arbitragem neste jogo.

1º- Porque pretendi realçar aquilo que, para mim, foi um bom jogo de futebol com uma primeira parte extraordinária.

2º- O Pedro é que trata em profundidade das questões desse departamento.

3º- Porque ainda não vi todos os lances polémicos na TV. Como aconteceu em todos os jogos do Porto esta época para o campeonato, desloquei-me ao estádio e de lá, como perceberás, não tenho sempre a percepção correcta dos lances.

Posto este esclarecimento, devo dizer que pelo menos o lance da falta que dá origem ao livre que dá o golo ao Porto, bem como do penalty, são lances que já tive oportunidade de ver. No do penalty nem há discussão, penso eu. No do livre, acredita que já vi e revi o lance vezes sem conta e não vejo onde está a polémica. O Hulk ludibria o Polga, a bola já lá não está e o defesa do Sporting barra intencionalmente a progressão do jogador do Porto.

Em relação à escolha do título, bem esta é uma expressão muito usada pelos espanhóis, não só pelo Camacho. Aliás usada por todos aqueles que falam a língua espanhola e como foi o Falcao que marcou e, ainda para mais, fê-lo cedo, achei adequada para o título.

Claro que não gosto minimamente de olhar para cima e ver o Benfica à frente. Não gosto agora, como não gostei o ano passado com Quique Flores. Pior mesmo é ter de esticar ainda mais a cabeça e ver o Braga, esse sim primeiro classificado, com cinco pontos de distância.

Pedro Veloso 27 de setembro de 2009 às 17:59  

Por acaso acho o título muito feliz e adequado para a excelente análise que depois fazes Duarte. Concordo com tudo, embora tenhas omitido aí a dualidade de critérios que pautou alguns lances capitais.

Destaco a entrada do Porto, fortíssima como poucas vezes vi alguém fazer num clássico - não houve cá "fases de estudo mútuas". O Jesualdo sabia que os adeptos não tolerariam três desaires consecutivos. Para isso também muito contribuiu o Hulk, que deu um show de primeira nesse período.

E destaco também a força mental dos jogadores do SCP, já patente nas últimas jornadas e que ontem foi bem visível quer no equilibrar do jogo quando o Porto ameaçava arrancar para uma vitória gorda, quer mais tarde durante todo o período de dez contra onze. Se na qualidade de jogo o Sporting tem apresentado muitas debilidades, na personalidade e atitude merecem um elogio, sem ponta de ironia.

Tomás Pipa 27 de setembro de 2009 às 18:39  

Duarte, não deves desvalorizar o facto do M.Veloso ter sido expulso.
Não é por se expulsar nos descontos que a expulsão é indifrente. Actualmente o MV24 é um dos nossos melhores jogadores e eu quero ver quantos jogos vamos ficar sem ele. Polga idem.Meireles jogará para a próxima semana segundo sei, pois não terá castigo algum.

Não vou discutir contigo arbitragem porque tu acreditas na inocência do PC e sendo assim é dificil.

Anónimo 27 de setembro de 2009 às 19:17  

Polga é dos vossos melhores jogadores tomas?LOL

Tomás Pipa 27 de setembro de 2009 às 21:17  

Vamos por partes:

Anderson Polga está fora de forma, como teve em 2004/2005, mas ele é um excelente central (não agora obviamente).

Há 2 épocas era claramente melhor que qualquer central do SLB, tal como o ano passado. Depende da forma.

Não tenham memória curta. Lembrem-se que Polga foi campeão do mundo em 2002, por algum motivo foi convocado e até jogou regularmente, mesmo sendo o 4º central (pois o Brasil jogava com 3 centrais). Não é por estar fora de forma que é um jogador péssimo.

SLB também ficou em 4º com David Luiz e Luisão e agora está em 2º com os mesmos jogadores.

Polga agora está em fora de forma, mas vai melhorar.

Esse "LOL" é ridiculo. Como se eu tivesse dito uma barbaridade. Actualmente um dos melhores jogadores do Sporting é o M.Veloso e na última época esteve longe de o ser.

Alfredo Barbosa 27 de setembro de 2009 às 21:22  

No que toca aos às expulsões, penso que está a haver muita celeuma desnecessária. Primeiro, sou da opinião que Miguel Veloso foi mal expulso, aos 90 minutos, pelo que não houve influência nesta partida. No máximo, poderão clamar a influência no próximo jogo. Na expulsão do Polga é que não podem alegar rigorosamente alguma coisa! Aliás, podem é agradecer o facto de o Polga ter chegado à segunda parte...ainda não ouvi ninguém falar porque é que o Polga não levou amarelo no lance do golo...

Anónimo 27 de setembro de 2009 às 21:47  

puto o LOL foi pelo facto de dizeres "Actualmente o MV24 é um dos nossos melhores jogadores e eu quero ver quantos jogos vamos ficar sem ele. Polga idem."

o idem levou me a pensar q querias dizer "Actualmente o polga é um dos nossos melhores jogadores (...)", mas ja percebi q tb reconheces q tem q melhorar muito para vos deixar de enterrar.

nao me leves a mal mas nunca perco uma oportunidade para invocar este grande mito do nosso futebol: nao achas q polga no seu actual momento de forma deveria jogar com a camisola 16 e por cima do numero as iniciais J.M.P. ?

Domingos 27 de setembro de 2009 às 22:47  

http://oladodofutebolquenuncaviram.blogspot.com/

gostava que os nossos blog´s tivesse o link um do outro.

responda-me sff no meu blog

abraço

ps: não se esqueça de votar nas nossas sondagens

Tomás Pipa 27 de setembro de 2009 às 23:22  

Lol..JMP está a anos-luz do "novo" Polga.

Caro Alfredo, então consideras que por não fazer qualquer diferença ao jogo, pode-se expulsar qualquer jogador aos 90min?

Não levou amarelo, no lance do golo porque não tem que levar amarelo. Nem era falta..(comprovado nos 3 jornais desportivos)

Isso de nós termos que agradecer de o Polga ter sido expulso compete a nós sportinguistas decidir isso. Claro que qualquer sportinguista prefere jogar com 11 do que com 10.
No meu caso, até prefiro o Polga ao Tonel. Um ou Dois jogos no banco não lhe fazem mal nenhum, mas no geral o Polga é superior ao Tonel.

Duarte 28 de setembro de 2009 às 00:58  

Tomás, gostava de saber o que é que o facto de acreditar na inocência de Pinto da Costa tem a ver com a arbitragem neste jogo.

Claro que a expulsão do Veloso condiciona o Sporting, nem me viste escrever o contrário. O que eu disse é que a sua expulsão não tem nenhum tipo de interferência no resultado. Terá interferência no onze leonino do próximo jogo, mas com isso tanto beneficia o Porto como o Benfica e o Braga.

A questão que Alfredo Barbosa levanta é pertinente. Também não achava escandaloso se o Polga fosse amarelado nesse lance, especialmente porque o Meireles também o foi minutos depois por um lance idêntico com Liedson. E essa dos três jornais dizerem que não é falta é uma inverdade. No Record e na Bola não posso falar porque não li a versão impressa, porém no Jogo o habitual "tribunal arbitral" é praticamente unânime a dizer que há falta. Até o benfiquista António Rola o escreveu, só mesmo o Coroado para destoar da opinião geral, devia estar com azia. Eu não percebo como é que há pessoas com lata para dizer que aquilo não é falta.

Não sei se o Meireles devia ou não ser expulso, pelos vistos, tudo analisado, é a única coisa que objectivamente os sportinguistas se podem queixar. De qualquer modo e fazendo fé nalgumas opiniões, a sua expulsão pouco mudaria o jogo pelo simples facto de que o Raul pouco ou nada acrescentou. Como escrevi, falhou passes a torto e a direito e se o Porto não conseguiu aproveitar a superioridade numérica, a ele muito deve.

Depois a conversa de vir dizer que a nomeação de Duarte Gomes é uma provocação rossa um bocado o ridículo. O DG teve realmente um atrito com um membro do SCP, mas era o treinador de guarda-redes. Por favor! Uma provocação é as presenças constantes do Bruno Paixão em jogos do Porto, noemadamente em partidas com o SCP, depois da vergonha que fez em Campo Maior em 2000.

Como deves calcular o dia de hoje não foi propício para que os lances capitais do clássico tenham sido por mim esmiuçados, mas amanhã concerteza já terei uma opinião mais global.

Duarte 28 de setembro de 2009 às 01:08  

Ainda para ti Tomás, desculpa mas há outras coisas que tenho que acrescentar.

Estás praticamente a centrar o debate na arbitragem. Vindo de um sportinguista é natural, esta-vos no sangue. Eu se fosse ao contrário perugntar-me-ia o seguinte: porque é que Vuk alinhou do lado direito? Porque é que Polga, que já manifestou estar completamente fora de forma, ainda é titular? Angulo foi contratado para quê? Porque é que, após o penalty, Paulo Bento retirou o Matias quando este tinha sido no primeiro tempo aquele que mais dores de cabeça deu à defesa do Porto? Mais; porque é que o Sporting não conseguiu bater o pé a um Porto que jogou com um RM limitado e que foi forçado a alinhar com Mariano, em virtude das lesões de dois jogadores fulcrais como CR10 e Varela?

Foram estes erros de palmatória que custaram a vitória ao Sporting, muito mais do que os erros arbitrais que alegas. A reacção do Paulo Bento é também ela reveladora. Reveladora da grosseria que ele insiste em exibir. Assim vai desviando as atenções e os adeptos leoninos, que tanto gostam de desculpabilizar as incompetências com factores externos, deliciam-se e identificam-se com este tipo de reacções. Achas que aquilo que se passou, mesmo que a tua versão seja a verdadeira, é motivo para o teu treinador entrar dentro das 4 linhas e ter dito ao árbitro sabe deus o quê?

Duarte 28 de setembro de 2009 às 01:12  

Pedro, subscrevo aquilo que dizes. Aliás, mais não fazes do que confirmar a ideia geral que deixei num post.

Deixa-me, no entanto, acrescentar que, em matéria de destaques individuais, também Fucile e Helton, que tão mal estiveram na passada jornada, estiveram muitíssimo bem. Já agora, Valeri jogou pouco mas no curto espaço de tempo em que actuou, deixou a ideia de poder vir a ser utilíssimo.

Quanto ao Sporting, estamos de acordo que demonstrou uma atitude e personalidade fantásticas. Algo que só foi estragado pelo habitual ressabiamento do seu treinador, com a particularidade deste mau comportamento ser uma constante nos jogos em que perde com o Porto.

Alfredo Barbosa 28 de setembro de 2009 às 01:23  

Tomás, respondi seguindo o raciocínio do Paulo Bento quanto à arbitragem. Nada mais. O que se passou com Veloso, que é o único caso em que Duarte Gomes pode ser contestado (em relação ao Sporting), passou-se há uma semana com o Fernando, no jogo contra o Chelsea, quando este levou o primeiro amarelo por vez do Guarin. Alterou em alguma coisa o jogo? Não! O Chelsea saiu beneficiado? Também não. Viste algum portista a espumar-se de raiva por causa disso? Creio que não. Notaste alguma reacção intempestiva do Jesualdo tendo em conta esse lance? Óbvio que não... Saber perder não está no ADN de todos...

Duarte 28 de setembro de 2009 às 01:36  

Só um aparte.

Hoje de manhã acordo todo satisfeito pela vitória no clássico. Ligo o PC e vou ver a imprensa desportiva. No Jogo a manchete é feita com o clássico, vou ver os outros dois -Bola e Record, entenda-se- e é o Benfica x Leixões que centra as atenções.

Não deixa de ter piada que um jogo do Benfica seja primeira página destacada, quando se jogou um Porto x Sporting no dia anterior. A piada assume maiores proporções se for tido em linha de conta que, na jornada passada, o Porto fez a capa do Record depois da derrota em Braga e, no dia do clássico, as primeiras páginas quer de Record quer de Bola vinham a dar destaque ao jogo entre leões e dragões, remetendo o jogo entre os encarnados e os matosinhenses para segundo plano. E se o Sporting tivesse ganho, será que aí o clássico já teria honras de primeira página? (Que pergunta tão estupidamente ingénua)

Conclusão, com este cenário, enchi-me ainda mais de satisfação e pensei:"ai Porto, estás mesmo vivo e já os andas a chatear outra vez":) .

Pedro Veloso 28 de setembro de 2009 às 01:44  

Duarte percebo um bocado a tua indignação, mas não creio que seja perseguição, antes política comercial:) Como sabes os jornais precisam de vender e esses são de Lisboa, onde não há muitos portistas. Ora tendo o SLB ganho por 5 e não havendo lagartos com vontade de comprar o jornal, há que salvar o dia com capas benfiquistas para a malta comprar lol

Duarte 28 de setembro de 2009 às 01:58  

Pedro essa da política comercial não colhe. Podíamos estar aqui a noite toda a discutir, até podiam vir os directores dos jornais comentar que não me convenciam do contrário.

Sem dinheiro a entrar, os média não sobrevivem, claro. Mas sem uma certa objectividade o jornalismo deixa de existir. O dinheiro não justifica tudo. Mesmo do ponto de vista comercial, não tenho a certeza se não seria mais lucrativo uma primeira página com o Porto x Sporting.

Os sportinguistas poderiam não ter muita vontade de comprar o jornal e aos portistas isso não iria faltar. Mas a pergunta que pus é outra. Achas que se o Sporting ganhasse quer a Bola quer o Record não fariam as primeiras páginas com o jogo de ontem? É óbvio que sim, e aí já seriam os portistas a não querer comprar o jornal.

Mesmo sendo verdade que Bola e Record se encontram sedeados em Lisboa, o facto é que estes são vendidos em todo o país.

Como vês, esta é uma lógica simples e a velha desculpa dos cifrões não é aceitável. Neste caso, o jogo do Benfica caiu que nem ginjas porque caso os encarnados não tivessem jogado no dia anterior, seria difícil fugir ao Porto 1-0 SCP. Em síntese, era praticamente impossível não dar destaque, não à vitória do Porto, mas a UMA vitória do Porto.

Pedro Veloso 28 de setembro de 2009 às 02:17  

Sim eu sei que se vendem por todo o país, mas vendem-se mais...nas zonas em que há menos portistas. Mas isto também é daquelas coisas que só com estudos fiáveis de quotas de mercado por zonas se pode dizer com alguma certeza.

Até se calhar tens mesmo razão Duarte, não faço a mínima ideia do que vai na cabeça dos directores de jornais nem conheço nenhum para lhe perguntar.

Duarte 28 de setembro de 2009 às 02:48  

Claro Pedro, percebo perfeitamente que só um estudo de mercado é que poderia revelar se o Porto x Sporting vendia mais do que o Benfica x Leixões globalmente.

Seja como for, acredita que a grande fonte de receitas dos jornais são os anúncios publicitários que lá são colocados.

Mais, hoje em dia a internet tem ganho imensa força e grande parte dos internautas que lêm jornais desportivos, já não compram a edição impressa dos mesmos. Não sei se é o teu caso, mas é o meu que não gasto dinheiro a comprar o jornal, quando, pela web, posso ter acesso a todos, ou praticamente todos, os conteúdos sem pagar. De resto, a internet dá-nos a possibilidade de não ter de esperar pela ida ao quiosque na manhã seguinte para termos acesso a um acontecimento que se tenha passado na tarde ou na noite anterior, já que a actualização é feita no imediato em cada um dos sites dos respectivos jornais.

Isto só para te demonstrar que a importância das vendas, sob o ponto de vista de tiragens dos jornais impressos, que provêm das pessoas que os compram, tem vindo a perder peso. Por isso, era bom que o facciosismo perdesse também ele a sua força, quanto mais não seja na aparência dos jornais impressos.

Tomás Pipa 28 de setembro de 2009 às 15:06  

Duarte, vou te responder por partes para não me esquecer.

Vukcevic jogou à direita, para puxar para dentro e rematar forte (lá isso ele remata,apesar de mal), são opções tácticas, esta não discordo muito.

Polga joga, porque quando o Tonel jogou na pré-época foi um desastre e jogos maus como tem tido o Polga todos os jogadores têm. No geral o Polga é superior ao Tonel. A isto tenho que acrescentar o facto do Caneira se ter lesionado, que a meu ver o P.Bento antes do Tonel, usaria o Caneira a central.

Isso de aproveitar o facto do Varela e CR10 não terem jogado não quer dizer nada. Quando não joga o CR10 joga o Mariano que é um bom jogador, não é um fora de série, mas tomara ao Sporting tê-lo. Quando não joga um titular do Sporting, joga um jogador mt mais fraco.

O onze do FCP sem Rodríguez, sem Varela e com RM3 a meio gás, continua a ser um 11 forte, mais que o do Sporting. E mesmo assim o jogo foi bem equilibrado. Ninguém se admiraria se tivesse ficado 2-0, mas olha que o 1-1 também não assentava mal, com as opurtunidades de: Postiga, Matías e um desvio de Rolando para a própria a bola podia perfeitamente ter entrado. Se o Meireles também tivesse sido expulso na primeira parte como deveria ter sido também podia ficar 1-1. Acho que estamos todos de acordo não? Ou achas que foi um jogo desiquilibrado?

Quanto ao PB se ter manifestado contra o árbitro, claro que acho mal.
Mas acredita que o entendo perfeitamente. Os árbitros gozam com ele na cara. Em 2001/2002 foi expulso no Dragão pelo "inocente" Martins dos Santos porque disse : "Assim não dá" , lembras-te?
Ao P.Bento tiraram o título de campeão nacional através de um golo com a mão do Ronny, tiraram a Taça da Liga da maneira que foi, empurram o SCP neste jogo da maneira que foi. O golo do FCP nasce de uma falta que não existe, o 1º amarelo do Veloso vem de uma falta que não existe nas barbas do P.Bento, o 1º amarelo do Polga não é amarelo em lado nenhum e não te esqueças que o árbitro nomeado foi D.Gomes, o mesmo que insistiu em aquecer em frente da baliza de Rui Patrício em Alvalade e por pedirem para ele sair da frente da baliza onde Patrício estava a aquecer foi encostar a cabeça e empurrar R.Peres.
Por estes motivos e muitos mais Duarte, compreendo perfeitamente que o P.Bento esteja muito desgastado. Ele não interfere no trabalho dos outros, mas estão sempre a prejudicar o seu. Todos de acordo?

Pode não ser o melhor treinador do mundo (que não é), mas é um treinador a quem tudo de "esquesito" lhe acontece

Tomás Pipa 28 de setembro de 2009 às 15:13  

Duarte, quando falei nos 3 jornais, falei nos 3 jornais: A Bola, Record e a Jornada. Não me estava a referir ao orgão oficial de comunicação do FC Porto, o jornal O Jogo.

Não percebo como não discordas com a nomeação do DG (se calhar até percebo lol). Se o Sporting tem um processo contra o "artista" é óbvio que ele não tem que apitar o jogo, pois tem motivos contra o Sporting. Foi contra o R.Peres, e então? R.Peres também é pago pelo SCP que eu saiba e é um empregado do Sporting, faz parte do clube. Não é por ser treinador de GR que afinal já se pode dar uns empurrões e encostar a cabeça ou é?

A falta do Polga, desculpa, mas óbvia como tu dizes não é de certeza. É um lance que o Polga entra de carrinho, joga a bola e o Hulk já em desiquilibrio cai.

E achas que não temos motivo para nos queixarmos da expulsão do Miguel? Achas mesmo que fez falta sobre o Hulk?

Percebes agora porque digo que ao acreditares na inocência do Jorge Nuno, é dificil falar contigo? Tu dizes que a falta do Polga é óbvia...

Tomás Pipa 28 de setembro de 2009 às 15:17  

Duarte, acredita que é por questões comerciais.
O jornalismo não deixa de existir por falta de objectividade, deixa de existir por falta de vendas acredita, eu conheço +- bem o meio e acredita que isso é verdade.

Eu sei que és do FC Porto e é dificil veres isso, mas aqui no sul, qualquer coisa que meta Benfica na capa, vende num instante. Eles agora já não são o "Glorioso", agora são o "Enorme", de rir.

Eu por acaso compro o jornal todos os dias, nada me dá mais gozo do que ler o jornal desportivo a seguir ao almoço, é um luxo do qual não me privo. Acredito que com o Veloso seja o mesmo, bem me lembro dele na escola sempre de jornal debaixo do braço.

Duarte 30 de setembro de 2009 às 02:36  

Então o Paulo Bento foi expulso em 2002 nas Antas por ter dito ao Martins dos Santos, "assim não dá"? Quem é que disse que ele disse isso? Deixa-me adivinhar, foi o próprio Paulo Bento, ou tu conseguiste ouvir?
Desse jogo, recordo-me perfeitamente dos dois penaltys que o Sporting conseguiu. Todos limpos como água, claro, mas uma água bastante turva deixa-me que te diga.

O Ronny marcou um golo com a mão que devia ter sido anulado, de acordo. Foi por isso que o Sporting não foi campeão? Discordo. O Porto perdeu em Leiria depois de lhe terem sido roubados 2 penaltys e de aos jogadores do leirienses lhes ter sido permitido todo o tipo de traulitada. Na jornada seguinte, perdeu com o Estrela 0-1, depois de lhe ter sido roubado um penalty. No jogo antes da mão do Ronny, o Sporting tinha ido vencer ao Nacional com um golo precedido de uma falta clara do Nani sobre o Avalos.

Portanto, tu podes alegar que esse golo do Ronny te tirou o campeonato nesse ano, eu posso dizer que estas três arbitragens que referi, me impediram de festejar mais cedo.

O golo do Porto nasce de uma falta inexistente? Para não me irritar, vou dar de barato que a falta é discutível, sendo que a maior parte das opiniões, como hoje o Rui O. e Costa acabou por comprovar, dizem que sim, que é falta. O Miguel Veloso vê mal o 1º amarelo? Mas que moral tens tu para dizer que o Veloso é mal admoestado, quando dizes - e aí, depois de já ter visto algumas vezes a repetição, até concordo contigo - que o Raul Meireles merece ver o amarelo que viu?

E sim, voltando atrás, para mim a falta do Polga é óbvia, mas até já recuei na minha opinião publicada só para dar uma de bom senso. Agora a falta não só existe, independentemente de se achar mais ou menos clara, como, a ser marcada como foi, devia ter dado lugar a cartão amarelo.

Duarte 30 de setembro de 2009 às 02:43  

Ok Tomás, a objectividade não vende jornais, logo aceitaremos a mediocridade.

Deixemos todos de comprar o Público e o Expresso e passemos a gastar diariamente dinheiro no Correio da Manhã para nos deliciarmos com as capas do "padrasto que matou o filho que era amante da prima". Mandemos a baixo o CCB ou a Casa da Música para, nos seus lugares, construirmos pavilhões gigantescos com capacidade para albergar concertos do Tony Carreira e da Ana Malhoa. Aceitemos passivamente que todos os estudantes de medicina escolham a especialização em cirurgia estética - nestes dias é o que dá mais dinheiro - em vez da oftalmologia, dermatologia ou pediatria.

Em resumo, para ti, em função dos cifrões, os princípios culturais, éticos e deontológicos de cada profissão, sociedade ou país devem ser remetidos para um plano inferior. Deixemos, portanto, o nosso país afundado num caos ainda maior do que já se encontra.

Anónimo 2 de outubro de 2009 às 05:42  

duarte, votas bloco de esquerda, n votas?

Mílcar

Duarte 2 de outubro de 2009 às 12:32  

O voto é secreto Milcar. Não sei porque fazes essa pergunta e, como é óbvio, não vou aqui dizer-te em quem voto. De qualquer modo, o que te posso garantir é que não voto, e conto nunca votar, no BE.