Manipulação intelectual

Raras são as derrotas do Sporting em que os responsáveis deste clube, nomeadamente na pessoa do seu treinador, perdem a oportunidade para exibir a tremenda falta de fair-play que começa por lá a ser apanágio.

Desta vez, tudo começou com a nomeação de Duarte Gomes, árbitro com o qual os leões mantêm um diferendo por um desaguizado que o mesmo protagonizou com o treinador de guarda-redes leonino. Pois bem, dizem eles que tal nomeação representa uma enorme provocação para o seu clube. Presumo que diriam o mesmo se o escolhido fosse João Ferreira, ou Lucílio Baptista, ou Soares Dias, ou Pedro Proença, ou Jorge Sousa. Conclusão, a maioria dos árbitros não serve para arbitrar jogos que envolvam o Sporting e, no último encontro em particular, o desejável seria mesmo que um qualquer Elmano Santos, Carlos Xistra, ou Bruno Paixão fosse o designado pela Comissão de Arbitragem da Liga, presidida por Vítor Pereira, sócio cinquentenário do clube de Alvalade.

Findo o jogo, e como já seria de esperar tendo em conta o resultado desfavorável, a histeria tomou conta das hostes leoninas. Paulo Bento, encabeçando a lista de "vítimas", não perdeu tempo a fazer um sumatório de afirmações inconsequentes, mal educadas e sem o menor encadeamento lógico. A este juntaram-se o habitual rol de comentadores verdes e brancos, sempre prontos para defender o seu líder.

Acontece que, e depois de tudo ser bem esmiuçado pelas imagens televisivas, a única coisa que pode ser alegada, como sendo desfavorável ao Sporting, é a não amostragem do segundo cartão amarelo a Raul Meireles. Tudo o resto é subjectivíssimo, e já estou a ser muito amável ao usar esta expressão. A falta que dá origem ao golo do Porto, no limite dos limites, é pelo menos duvidosa, merecendo o árbitro o benefício de causa. Miguel Veloso vê, e muitíssimo bem, o segundo amarelo e a primeira cartolina que lhe é exibida também é aceitável. Polga comete grande penalidade inequívoca. No meio disto, Liedson passa o jogo inteiro a refilar e nem um cartão para amostra, mas isto também é irrelevante.

Perante tudo isto, haverá alguém de boa fé que poderá culpabilizar o árbitro pela atribuição do vencedor final? Em consciência, claro que não. Ainda por cima quando da única jogada em que o árbitro ajuizou mal, não resultaria nenhum golo, nem sequer um penalty para nenhuma das partes. Levaria, isso sim, à saída de campo de um dos piores jogadores do encontro, agora daí a afirmar que o resultado seria outro, vai uma distância considerável.

Então porquê tanta celeuma alimentada pelo treinador leonino antes, durante e após o jogo? Simples, para desviar as atenções de uma forma vil e desordeira. A isto chama-se manipulação intelectual. A expressão, associada ao mundo futebolístico, foi trazida pelo actual treinador do Inter e, neste caso, encaixa na perfeição. Porém esta manipulação é mais interna do que externa. Paulo Bento está a cumprir a sua quinta época como técnico principal à frente de um clube grande e sem um único título de campeão no bolso. Alguns adeptos - poucos - acham isso intolerável, outros há - a maioria - que se preferem refugiar neste discurso impulsivo e grosseiro do seu treinador para não terem de constatar a realidade.

Quem ler este post ainda vai pensar que eu sou algum fiel defensor do senhor Duarte Gomes. Não se trata disso, muito pelo contrário. Considero que este árbitro é dos piores que este país tem o que, tendo em conta a péssima qualidade dos seus colegas de apito, é dizer muito. Só que, nesta situação concreta, as ondas que se levantaram à volta da sua última arbitragem roçam um ridículo inusitado. Um ridículo que só tem paralelo no jogo da taça que opôs as mesmas equipas na época passada e que foi arbitrado pelo inefável Bruno Paixão, esse bom samaritano, sempre tão amigo do FC Porto. Também nesse jogo o Sporting saiu derrotado e igualmente revoltado com a arbitragem, mesmo tendo sido beneficiado descaradamente.

Convenhamos que, para quem está tão habituado ao sabor da derrota, os sportinguistas podiam encarar os desaires com um pouco mais de serenidade, até porque os fiscais de linha não podem andar sempre com comichão no olho.

20 Passes de rotura:

Tomás Pipa 30 de setembro de 2009 às 10:51  

Duarte, ainda não percebi porque achas o B.Paixão lagarto. Só por causa de Campomaior?
É dos árbitros que mais odiamos,é dos maiores ladrões que conheço. Elmano Santos e Soares Dias, por não ter memória deles nos terem assaltado não quer dizer que sejam lagartos. Aliás, parece que estás a querer dizer que para ser árbitro tem que se assaltar o Sporting (tipo baptizado).

Bem sei que acreditas na inocência de PC, mas como também consegues dizer que o 1º amarelo que Veloso leva é aceitável? Nem falta é...continuas a bater na mesma tecla? Foi mergulho..

O jogo da taça deve ser outro que estás a gozar, se bem me lembro as duas equipas queixaram-se, eu tenho ideia que vocês se queixaram para disfarçar, foi um roubo inacreditável! Escusas de insistir com o B.Paixão..errou uma vez contra voces!

Queria ver o que vocês faziam se vos acontecesse o golo do Luisão, o golo do Ronny e o penalty do P.Silva..eu queria ver!1 Mas não vejo..porque os árbitros não têm coragem!

Tomás Pipa 30 de setembro de 2009 às 11:01  

Duarte:

Manipulação intelectual é o que tu estás a tentar fazer. Coitadinho do FC Porto, não digam isso...

Alfredo Barbosa 30 de setembro de 2009 às 13:31  

O Duarte acusa-vos de manipulação intelectual e vocês o que é que fazem? Reforçam a manipulação! Resumir campeonatos nacionais a um jogo, com um erro, é definhar por completo, é bater mesmo no fundo.

Da mesma maneira que o Ronny meteu a mão na bola para fazer golo, o senhor Elmano expulsou o Quaresma sem motivos - o próprio Tixier admitiu que Quaresma não fez nada propositadamente - e marcou uma falta inexistente que deu o golo à União de Leiria. Moral da história: ficamos na mesma.

Quanto ao lance do Luisão, dou apenas meia-razão, na medida em que julgas um campeonato inteiro com base num único jogo, até porque não é num jogo que se decide um campeão. Agora, se me falares dos erros colossais dos árbitros ao longo dessa época 2004/2005, considerando o tipo de futebol o campeão de então praticava, sou forçado a dizer que foram gamados, não menos do o FCPorto, claro.

Tomás Pipa 30 de setembro de 2009 às 13:37  

Repara, não digo que o lance do Luisão tivesse sido falta ou não, é polémico. Eu gostava a ver é o que seria se em vez de ter sido o Sporting a sofrer esse golo e perder o campeonato, tivesse sido o FC Porto, se vocês fazem esse alarido todo por causa do José Soares e Jardel, um roubo normal para uma equipa como o Sporting, imagino o que fariam se vos tivesse acontecido isso.....mas não acontece eu sei!

Quaresma e Tixier,isso é o pão nosso de cada dia nos jogos do SCP! Vocês tão tão mal habituados que cada lance duvidoso contra voces é logo uma roubalheira!

Não é num jogo que se decide o campeonato? Vamos ver qual vai ser a diferença de pontos no final..a ver se este jogo decidiu ou não o campeonato! Esse do Ronny decidia..

Pedro Veloso 30 de setembro de 2009 às 15:26  

Uma crítica para cada lado:

- Tomás, de facto reduzir um campeonato a um jogo como se o resto da liga não tivesse tido casos é um pouco falacioso. Por esse andar eu também me posso queixar de não ter sido campeão em 06/07. Basta recordar que no jogo do Dragão na 1ª volta dessa liga, depois de recuperarmos de 2-0 para 2-2, o Bruno Moraes marca nos descontos na sequência de um lançamento mal efectuado (tinhas os pés no ar). Porto teria menos dois pontos e SLB mais um. Tendo em conta que o Porto foi campeão com 1 pt de avanço sobre Sporting e 2 sobre SLB - e tendo nós vantagem no confronto directo sobre o SCP - seriámos campeões.

- Duarte, também efectivamente já é demais falar do Paixão só por causa de um jogo que aconteceu há 10 anos quase...os portistas falam sempre disto como se fosse o escândalo do século

Pedro Veloso 30 de setembro de 2009 às 15:27  

Queria dizer no golo do Moraes: o Fucile tinha os pés no ar

Tomás Pipa 30 de setembro de 2009 às 15:33  

Veloso, ok..mas nesse ano vcs ficariam em segundo por causa do Golo do Ronny, ou já te esqueceste?

lol..só porque o Paixão não fez o combinado não largam o homem!

Duarte 30 de setembro de 2009 às 15:47  

Pedro, eu não falo do Bruno Paixão apenas pelo que aconteceu em Campo Maior, mesmo que isso tenha sido de facto o roubo do século. Falo também pelo jogo da taça no ano passado e pelo da supertaça em Leiria. E falo por dois penaltys roubados ao Porto num jogo com o Boavista no Bessa em 2005 e também não me esqueço daquele Porto x Braga, em 2005/2006, em que o mesmo inventou o penalty que deu o golo do empate aos bracarenses. Os roubos do sr. Bruno nos jogos do Porto são recorrentes e nunca ninguém viu um responsável do Porto a dizer que não o quer mais a arbitrar os jogos do FCP, nem a dizer que a sua nomeção é imprudente, embora houvesse razões de sobre para que tal acontecesse.

Tomás, contrariamente ao que dizes, eu acho que o Bruno Paixão fez o combinado em Campo Maior. Aliás não tenho a menor dúvida e é exactamente por isso que não o largo.

Duarte 30 de setembro de 2009 às 16:15  

Tomás, se achas que o lance do Veloso nem falta é, então não vale mesmo a pena discutir mais.

Se dizes que o Sporting foi roubado no jogo da taça no ano passado, então a manipulação intelectual do teu treinador, que é uma forma simpática de não lhe chamar lavagem ao cérebro, funciona na perfeição. Sim, porque num jogo em que pelo menos ficam por marcar dois penaltys para o Porto, em que o Rochemback espeta com o cotovelo na cara do Rolando e o Caneira crava os pitons na face do Hulk, vir dizer que o SCP é que é o grande prejudicado, é estar completamente fora do contexto.

E não, o Porto praticamente não se queixou dessa arbitragem, mesmo tendo sido espoliado. Quem armou o circo todo, para não variar, foi o senhor Bento, mesmo tendo sido levado às cavalitas pelo senhor Paixão.

É por isso que falo em manipulação intelectual. Pedes-me para imaginar como seria a reacção do Porto se alguma vez os dragões perdessem um jogo com um golo apontado com a mão. Eu ponho-te a situação ao contrário. Imagina que o Sporting marcava um golo, o árbitro não validava e o fiscal de linha ficava a esfregar o olho, como reagira Paulo Bento? Imagina que em vez do Tonel, era o Bruno Alves que jogava a bola com a mão dentro da área? Provavelmente o teu treinador ainda hoje falava nisso, tu falavas nisso, no youtube havia para aí uns 5 ou 6 vídeos. Como não foi, nem tu te lembras do Tonel ter feito mão e se não fosse eu aqui não me cansar de afirmar, nem sequer farias ideia. Porquê? Porque o Porto praticamente não levantou ondas e hoje ninguém se lembra disso.

Mas há mais, não te lembras do golo do Tello de livre no Dragão? Lembras-te da falta que origina esse livre? Achas que também ela não é pelo menos susceptível de discussão? Claro que é, mas ninguém a discute e se fosse ao contrário levantar-se-ia um tremor de terra. Tu, como todos os sportinguistas, falam mal do Olegário Benquerença. Diz-me um só jogo em que ele vos tenha prejudicado. Eu lembro-me bem de no Jamor ele ter expulso, e bem, o João Paulo, mas também me recordo de ter inacreditavelmente deixado o Abel e o Grimi sem o vermelho. Como me recordo de que o 1º golo do Tiuí nasce na sequência de uma recuperação de bola do Polga ilegal, já que este tem uma entrada faltosa clara sobre o Lisandro à entrada da área do Sporting. Uma entrada mesmo à frente do árbitro que mandou seguir. Vês algum responsável do Porto falar nisso? Não!

O presidente da liga é sportinguista confesso, o presidente da comissão de arbitragem, sócio do mesmo clube há 50 anos, mas isso não chega. Para termos uim futebol limpo era preciso que no lugar de Hermínio Loureiro estivesse o Dias Ferreira e no de Vítor Pereira o Eduardo Barroso. Aí sim, os Patrícios, Caneiras, Andrés Marques e Pereirinhas iriam finalmente trazer o título de campeão nacional para Alvalade.

Tomás Pipa 30 de setembro de 2009 às 16:57  

Tens razão Duarte, há um sistema contra o FC Porto. Não tinha reparado, mas agora que me chamas a atenção tens toda a razão.

O FCP foi claramente prejudicado no jogo do Tiuí 2-0 FCP, foi prejudicado no jogo do livre do Tello e foi prejudicado no jogo da taça o ano passado e ainda na supertaça.

Vítor Pereira é um lagartão, 52 anos de associado, jantaradas em alvalade e tudo mais. Não deveria ser o presidente dos árbitros. Há uma cabala contra o FCP, devias denunciar isso!

luis 30 de setembro de 2009 às 17:45  

Duarte, felizmente para a tua pessoa vivemos numa democracia.Como tal, podes dizer livremente toda essa estupidez que anda nesse teu cérebro tripeiro.
Antes de falares de manipulação intelectual, devias lembrar a MANIPULAÇÃO REAL que o teu clube fez ( e ainda o faz) neste nosso Portugal.Vais dizer que não roubam?Vocês pagaram a àrbitros para beneficiar o vosso clube...Por amor de Deus
Vais dizer que a mão do ronny têm alguma desculpa?Pronto,agora vais me responder que o fiscal de linha tava a coçar o olho...E o fiscal de linha na luz,quando o Vitor Baia tira a bola meio metro lá de dentro tava a fazer o quê?

luis 30 de setembro de 2009 às 17:49  

"E não, o Porto praticamente não se queixou dessa arbitragem, mesmo tendo sido espoliado."

Como queres que se queixe, se são vocês próprios a encomendar?

Não tens hipótese de falar sobre arbitragem, és do Futebol Clube do Porto , que para além de ser reconhecido pelas suas vitórias é também reconhecido pela roubalheira que inflingiu durante anos no campeonato Português.

Vocês discutem se escutas são legais ou ilegais.Para se chegar a esse limite de discussão,o que passa a estar em causa são trâmites legais,e não aldrabice.Porque essa, há muitos anos está provada!

António Pista 30 de setembro de 2009 às 17:59  

Mas o Sporting não terá problemas internos bem mais graves que os de arbitragem??

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Anónimo 30 de setembro de 2009 às 20:50  

Duarte, na discussao porto sporting nao me pretendo meter, pq embora ache q ao mm tempo q o sporting faz um bcd de birra a mais, sendo tu do futebol clube do porto devias era evitar falar d arbitragem. foram anos e anos d roubo, e agora vens pegar em 3, 4 ou 5 lances em 20 anos q serviram pa (ridiculamente) tentar disfarçar o roubo q isto tem sido desde q o porto começou a crescer!

mas vinha aqui pedir sinceramente para nao falares de olegario benquerença pq eu gosto mesmo muito d ler este blog, diariamente, e se lanças o nome desse senhor pa cima da mesa pa dizer q ele roubou o porto, vou ter q deixar d aqui vir, pois nao posso pactuar com faltas d seriedade dessa envergadura. e se me disseres q a bola do petit q o baia tentou defender nao entrou na baliza vejo me obrigado a chamar a policia!

Paulo

Chama Imensa 1 de outubro de 2009 às 14:33  

O Duarte foi meu colega de turma durante 3 anos numa faculdade no porto.

Por respeito ao trabalho dele venho de vez em quando aqui espreitar mas muito pouco porque este é dos piores blogs que já calhei de ler.

Esta caixa de comentários é um circo ambulante. Que ridículo!

Duarte um abraço para ti e deixa-me dizer que nunca pensei que houvesse alguém tão fanático e faccioso como tu. Percebo a tua entrada neste blog...parece o jogo do Mata!

luis 1 de outubro de 2009 às 20:25  

Ouve lá oh chama imensa,tás bebâdo ou quê?

Duarte 2 de outubro de 2009 às 02:53  

Luís, a mão do Ronny é indisculpável, nem me viste escrever outra coisa. Agora aquilo que eu disse é que não foi isso que tirou o título ao Sporting. Se quiseres saber porque é que digo que não foi isso, então lê, salvo erro, o meu último comentário ao post que escrevi sobre o PortoxSCP.

Registo, com bastante pena, que não gostas de viver em democracia. É pena, é neste regime que vivemos desde 1974 e, como tal, posso expressar a minha opinião livremente.

O Bruno Paixão estava encomendado pelo Porto no jogo da taça contra o Sporting. Claro que sim, aliás o que os responsáveis do Porto mais lhe pediram foi para que ele perdoasse as agressões dos jogadores do Sporting, bem como os dois penaltys por eles cometidos.

Relativamente às escutas, eu tanto posso discutir a validade como o seu conteúdo. No entanto não o farei agora de certeza, pelo simples facto do post nada ter a ver com o apito dourado.

Luís e Paulo, em relação ao golo do Petit ao VB, não me vou pronunciar, porque já o fiz noutra circunstância e porque isso não tem nada a ver com o post.

Tomás, tem calma. O vosso choradinho já teve os seus efeitos, com o Belenenses já vão ter o Xistra apitar. Queres melhor?

Duarte 2 de outubro de 2009 às 02:56  

Chama Imensa, tens direito à tua opinião. Não gostas do blogue? Ok, se quiseres ser mais específico nas críticas todos ficaríamos a ganhar e se calhar até poderia estar de acordo com algumas delas, porque ninguém é perfeito.

Se respeitas o meu trabalho, é porque reconheces quando muito alguma qualidade de escrita nos meus posts. Só tenho a agradecer-te isso.

Se me achas a pessoa mais facciosa que já viste, também estás no teu direito. Algum dia terias de conhecer alguém que pudesse rivalizar contigo. Também tu estarias perfeito para este "jogo do mata".

luis 2 de outubro de 2009 às 18:38  

Ouve lá oh Duarte,alguém disse que eu não gostava de viver em Democracia?

luis 2 de outubro de 2009 às 18:39  

Não me venham dar lições de Democracia...