Benfica - o regresso



Voltou no passado dia 28 de Junho ao trabalho o actual campeão nacional, Sport Lisboa e Benfica. Para uma época em que o principal objectivo passa pelo bicampeonato – que foge desde 1984, na altura com Sven-Goran Eriksson ao leme – e por ir longe na Champions League, ainda há indefinição em relação a alguns nomes, mas a base da equipa manter-se-á, a começar pelo técnico Jorge Jesus. Um a um, segue-se a minha visão sobre o actual plantel e sobre o que estes jogadores fizeram no ano passado.

Guarda-Redes

Roberto – Contratado ao Atlético Madrid, o gigante espanhol (1,94 m) vem para ser titular e, assim o esperamos, marcar uma era à frente da baliza do SLB, que desde Preud’Homme e Enke não dispõe de um verdadeiro indiscutível. Escolha pessoal de Jesus, realizou uma excelente segunda metade da época em Espanha ao serviço do Saragoça e substitui Quim (a quem aproveito para desejar as rápidas melhoras pela lesão).

Alguns preferiam manter o internacional português, sem dúvida um bom guarda-redes, mas creio que o Benfica faz bem em tentar garantir alguém que, de facto, possa fazer a diferença. Muita celeuma tem levantado o preço (€8,5 M) pago por Roberto; sinceramente, sabendo que o Saragoça tinha uma cláusula de opção de...€1 M, que nós nunca vimos os famigerados “dois dispensados” do Atlético no âmbito da venda do Simão e que ainda detemos 25% do passe de Reyes, e por muito bom que seja Roberto, só posso compreender este preço se i) Simão chegar a baixo preço à Luz nas próximas semanas, como se fala insistemente nos bastidores; ii) naquele montante estiverem contemplados (como se falou, embora tenha sido desmentido depois) ordenados futuros do jogador por questões fiscais (algo que duvido muito, até porque estaríamos a "enganar" a CMVM descaradamente – sim já o fizemos no passado...).

Moreira – Depois de uma época à sombra de Quim, Moreira aceitou renovar (ao que se diz com redução do salário) por mais três épocas. Com 11 anos de Benfica, é um dos símbolos do actual plantel e, não só por isso mas por também ser bom guarda-redes, a decisão é, a meu ver acertada. Gostava de o ver jogar regularmente em competições como a Taça de Portugal ou da Liga, senão mais cedo ou mais tarde vai parecer que está numas férias prolongadas, do género Tiago no Sporting.

Júlio César – O jovem guarda-redes brasileiro, depois de uma primeira época que, Liverpool à parte, considero positiva, lutará em princípio com Moreira pelo posto de segundo guarda-redes do plantel. Continua a ser um guardião em quem deposito excelentes expectativas para o futuro, até porque não me parece ter acusado o peso da mudança do Restelo para a Luz, mas terá que ir jogando também. Fala-se que poderá ser emprestado, o que até poderia ser bom para não estar parado. Até porque contratámos recentemente o jovem esloveno Jan Oblak (17 anos, mas que já jogava na I divisão do seu país), que poderia ficar como 3º guarda-redes.


Laterais

Maxi – O uruguaio, actualmente um dos jogadores mais populares do plantel, está a assinar um Mundial de bom nível (bom, descontando aquele penalty para o quintal contra o Gana...) e não deve ter dificuldades em continuar como opção preferencial para o lugar, sendo que como alternativa preferencial (e de qualidade) deverá manter-se Ruben Amorim. Poderíamos certamente ter outra solução de raiz melhor que Luis Filipe, mas no cômputo geral estou satisfeito.

Luis Filipe – O ex-bracarense, repescado para o plantel depois da dispensa de Patric na época passada, acabou por aparecer apenas (e bem) no jogo com o FCP. Pode vir a ser emprestado.

Coentrão – Em alta depois das exibições soberbas no Mundial, o caxineiro está a ser muito assediado, sobretudo pelo Bayern de Munique; Jesus tem-no tentado dissuadir a sair já e parece-me que o Fábio, embora de forma sincera tenha reconhecido que mais cedo ou mais tarde quer dar o salto, se ficar vai ficar de corpo e alma, até porque gosta muito de trabalhar com Jesus. Obviamente espero que os €30 M da cláusula não sejam “batidos” por nenhum tubarão, porque perder toda a ala esquerda de uma assentada não é fácil de substituir. Está cada vez melhor na nova posição, encontra facilmente o equilíbrio defesa-ataque, tem naturalmente que melhorar alguns pormenores a defender como as bolas nas costas.

César Peixoto – Jogador que aprecio (para além de ter um excelente pé esquerdo, sobretudo por ser muito tranquilo a jogar e, em bom português, raramente se borrar), será em princípio suplente de Coentrão, podendo alinhar também circunstancialmente a médio (onde eu até o prefiro ver, como jogava no Braga). As lesões e a ascensão de Fábio acabaram por não lhe permitir fazer muitos jogos na época transacta, mas quando jogou esteve na maior parte das vezes a bom nível.

Centrais

Luisão – Tal como a maioria dos benfiquistas, mentiria se dissesse que neste momento estou contente com um dos nossos capitães. Sou grande admirador dele como jogador e líder incontestado do balneário, o que ainda mais me fez ficar perplexo quando veio para a CS queixar-se de não lhe ter sido comunicada a hipótese de ir para o Atlético Madrid. Recorde-se que Rui Costa negou cabalmente a existência de tal proposta (que se falava ser apenas de €6 M), e como não tenho razões para não acreditar no nosso Director Desportivo...Dada a relação muito próxima entre LFV e Luisão, creio que o presidente já lhe deve ter feito sentir o seu desagrado pela sua reacção (que até pode ser compreensível mas é para manifestar em privado) e, honestamente, creio que isto vá acabar como de outras vezes: com o Luisão a ficar. Espero bem que sim porque faz muita falta.

David Luiz – Uma das grandes afirmações na época passada e, hoje em dia, um defesa completíssimo, a ideia passa por mantê-lo e já recusámos €32 M do Man.City. Acredito que o David, até pela relação de verdadeiro amor que tem com o Benfica e seus adeptos, queira jogar a Champions com o clube e, até, esperar pela chegada à selecção brasileira antes de sair, mas claro, de boas intenções está o inferno cheio e se aparecer um Real Madrid a pagar uma barbaridade...

Sidnei – Central de bons recursos físicos e técnicos, o sucesso da sua época deverá estar ligado à permanência de David Luiz. Se o compatriota sair, e com Luisão ao lado, não creio que precisemos de ir buscar ninguém. Pode crescer muito com Jesus mas já hoje dá-me todas as garantias, até porque pelas declarações que tem feito e pelos cuidados com a forma que teve no Brasil parece disposto a apagar alguma imagem de excessos que lhe tem sido associada frequentemente. E convém lembrar que acabou de fazer apenas...21 anos.


Miguel Vítor – Um dos poucos produtos da formação a ter-se afirmado no plantel principal nos últimos anos, é um jogador que gosto bastante, forte na marcação e extremamente competitivo. Não tem características para sair a jogar, pelo que penso que tem que ser combinado com um central mais técnico. Se o D. Luiz ficasse, tentava emprestá-lo um ano a um clube de nível médio-alto da nossa Liga, tipo Guimarães ou Marítimo.

Fábio Faria – Central na linha de Miguel Vítor, fez uma grande época em 2009/2010 no Rio Ave e distingue-se por ser esquerdino, o que também lhe permite fazer sem dificuldades (tal como nos sub-21) a lateral esquerda. Gosto dele e espero que não acuse o peso da camisola. Não deverá ser, para já, primeira opção mas ficava com ele no plantel para aprender com os colegas e com o treinador.

Médios


Javi García – Dispensa grandes discursos, “pegou de estaca” o ano passado (quer no campo quer entre os adeptos), foi uma das traves-mestra do Benfica do ano passado e espero que, até porque este ano faz a pré-temporada logo desde início, ainda se apresente a melhor nível. Gostava de o ver arriscar mais no passe longo – sem prejuízo de manter a grande força do seu futebol: a capacidade de recuperação e de colocar a bola simples e jogável para os criativos na primeira fase de construção, para além de ser fortíssimo nas bolas paradas –, como já fez na parte final da temporada. E, já agora, que ajude o mais possível na integração do seu compatriota Roberto.

Airton – Clone negro de Javi, conquistou a massa associativa nos dois jogos seguidos (Leixões fora e Paços na Luz) em que alinhou a titular na ausência do espanhol. Campeão brasileiro e português, e agora com mais tempo de trabalho com os colegas, vai sem dúvida tentar ameaçar o lugar de Javi García (podendo pontualmente alinhar ao seu lado), representando uma alternativa de grande qualidade na posição 6.

Ruben Amorim – Extensão do 3º anel dentro das quatro linhas, Ruben acabou por fazer uma excelente temporada, ainda que ao contrário da sua 1ª época no Benfica não fosse titular indiscutível. Acabou por dividir as suas participações entre as posições de lateral e médio direito (uma ou outra vez também alinhou mais no centro), sempre com bom rendimento, e conseguiu mesmo – depois da lesão de Nani – ser convocado para a África do Sul. Numa entrevista recente afirmou – e eu concordo plenamente – que, para além da segurança, qualidade de passe (óptimo para o jogo de tabelas com Saviola, Aimar & Ca.) e leitura táctica que o caracterizam, pode desequilibrar individualmente muito mais. O ano passado já vimos momentos desses, como a arrancada no golo de Cardozo ao SCP na Luz, a assistência para o Tacuara na Choupana ou o golo de primeira em Coimbra, mas como aos nossos exigimos sempre mais, venham de lá mais rasgos!


Ramires – Foi recentemente eliminado do Mundial, onde acabou por fazer apenas uma partida a titular – mas um jogo muito bom, com o Chile, onde me surpreendeu pelo vigor físico que ainda revelou depois de época desgastante e de não ter férias há, pelo menos, ano e meio. Tem de facto grande resistência, acelera o jogo de forma única neste Benfica, e espero por isso que as férias lhe permitam recarregar baterias. Correm muitos rumores de que será vendido já este Verão, espero que não, embora saiba que a vinda dele para o Benfica – tal como se viu com a recente venda de 50% do passe à obscura Jazzy Limited, supostamente controlada pelo polémico Kia Joorabchian – não foi apenas com dinheiro nosso (e isso não tem mal nenhum, permitiu-nos ter um craque durante uma ou duas épocas).

Aimar – O mago argentino apresenta-se para a nova época como o dez da equipa, a par de Carlos Martins. Na senda da última época (sobretudo a partir do momento em que Carlos Martins superou as lesões e estabilizou a nível alto), deveremos assistir a uma relativa rotação entre os dois, até para gerir a condição física de Aimar. Em forma, já se sabe e viu-se muito o ano passado, põe a equipa a jogar com uma classe extra – e combina magistralmente com Saviola; aliás, as jogadas entre os dois e Di María revelaram-se os momentos de maior magia (para citar Jorge Jesus) do Benfica 2009/2010.

Carlos Martins – Injustamente, a meu ver, arredado do Mundial (deveria ter sido a alternativa a Deco), fez uma excelente época sobretudo a partir do Benfica-FC Porto (antes, já brilhara em...45 minutos contra o Paços), apagando fantasmas do passado, como as lesões crónicas e a fama de indisciplinado. Aprendeu a sentar-se no banco quando necessário, o que obviamente se aceita melhor quando se está integrado num plantel com outros grandes jogadores e...que ganha, como foi o caso. É um craque que decide jogos, e por isso, mesmo que não seja tão constante como outros (embora o ano passado já pouco se lhe tenham visto oscilações de rendimento, mesmo quando jogou sobre uma das faixas, mormente a direita), é imprescindível para JJ.

Felipe Menezes – Depois de alguma utilização e prometer bastante na primeira metade da época, desapareceu quase totalmente das escolhas, embora não fosse fácil afirmar-se. Acho que devia ficar no plantel, porque a época é longa e vai concerteza ter oportunidades.

Gaitán – Um dos jogadores mais caros da história do clube (€8,4 M), é um reforço que promete muito. Dono de uma zurda de classe, resta saber se Jesus o consegue adaptar bem à ala esquerda para substituir Di María (embora eu pessoalmente creia que ainda vai chegar Simão ou Leto) – até está habituado mas prefere claramente pisar terrenos mais interiores. Espero que não precise de três anos para se afirmar como o Di.

Avançados


Saviola – Talvez o melhor reforço do ano passado, deslumbrou na 1ª época na Luz, entendeu-se às mil maravilhas com Cardozo e Aimar, e este ano só lhe pedimos que continue assim.

Cardozo – Como admirador do Tacuara (e defensor dele até à exaustão naquele 3º Anel às vezes tão dividido...), gostava que ele continuasse. O jogo técnico do Benfica pede um finalizador nato que perceba e dê sequência ao trabalho dos criativos, e acho que o Cardozo percebe isso muito bem. Fez 38 golos na época, malgrado alguns falhanços escandalosos, mas de qualquer forma é uma marca notável. Dito isto, pelos €25 M que o Shaktar ofereceu eu tinha-o vendido, era um excelente preço e que já permitia ir buscar um bom substituto, estilo Huntelaar, que é melhor jogador que o Óscar. Alguma água se calhar ainda vai correr debaixo da ponte, mas a ficar espero que seja de boa vontade, que de queixumes na opinião pública já estamos fartos. Finalmente a semana passada o Vieira ligou ao inefável empresário Pedro Aldave para calá-lo e deixar de pedir aumentos todos os meses; é bom recordar que Cardozo renovou esta época e que, como o agente acabou por reconhecer, “ninguém lhe apontou uma pistola para o fazer”. A propósito de Cardozo, sou dos que acham que deve mudar o marcador de penalties, ele é o melhor mas está angustiado com os falhanços. Se vier o Simão estamos safos nesse aspecto.


Nuno Gomes – De parabéns pelo 34º aniversário e pelo nascimento do filho, já não está no seu melhor como jogador mas continua a ser uma referência do balneário e uma lição viva de benfiquismo para quem chega. Um senhor com S grande, talvez na sua última época (a 12ª!) no clube antes de, assim o desejo, um cargo na estrutura dirigente.

Mantorras – Bom, como nunca ouvi mais nada parece que alguém lhe terá metido juízo depois da birra ridícula no final da época passada. Continuo a achar que fica bem ao Benfica (o que é diferente de ter essa obrigação, por exemplo o Real Madrid com o De la Red também não quis pagar mais nada), como clube que voltou a prezar os seus símbolos, pagar-lhe uma pensão ou ordenado ou o que se lhe queira chamar (que não deve é ser uma barbaridade género €50 mil por mês...) em face do que se passou na sua carreira, mas sinceramente já tive mais paciência para amuos destes. E já nos diziam de uma vez por todas se ele pode ou não ser jogador.

Kardec – Acho que o JJ ainda o considera demasiado novo para ser o nº9 referência, mas quero vê-lo jogar muito este ano e marcar golos, porque acho que tem valor para isso. Além de que se adaptou bem ao futebol europeu e entrou sempre bem nos jogos, como em Marselha.

Jara – Outra aposta forte do Benfica, já internacional argentino, confesso que fiquei maluco com as arrancadas que se vêem no Youtube mas apresenta ainda marcas reduzidas de golos. Sendo um jogador bastante mais móvel e mais habilidoso que, por exemplo, Cardozo, será mais uma alternativa a Saviola como 2º avançado.

Weldon – Quando veio era uma espécie de patinho feio do ataque encarnado, mas provou, pela velocidade e faro pelo golo, que pode ser muito útil em várias circunstâncias, mesmo se jogar pouco tempo. Com características distintas dos colegas, creio que não faz qualquer sentido abdicar de tê-lo no plantel. E é barato, ainda por cima.


9 Passes de rotura:

Anónimo 6 de julho de 2010 às 12:49  

Boa análise ao plantel Pedro. A clausula do Roberto era mesmo de 1M? Por estas alturas quando chegou Javi Garcia disse que pelo preço que veio não bastava ser bom, teria de ser muito bom, hoje volto a dizer o mesmo de roberto e espero não me enganar. A venda de di maria nos moldes que já li dará na pior das hipóteses 34 milhões ao benfica, o que não é de todo mau negócio visto o paupérrimo mundial que fez numa altura que que devia ter realmente entusiasmado de forma a acentuar a sua clausula. Espero que tenha muita sorte por madrid mas sinceramente não acredito muito. Gaitan pelo que vejo e leio parece-me bom, muito bom alias. Nas mãos de jesus que sabe não seja melhor que di maria. Fala-se em ronaldinho, simão e huntellar pela blogosfera, Cardozo realmente deveria ter saído pelos 25, ronaldinho se o barrarem nas discos é reforço capaz de muita coisa boa, huntellar também, mas simão acho que já vem tarde, e espero que não se concretize. abraço a todos vós. João Veiga. Numero Dez

Rui Alves 6 de julho de 2010 às 15:36  

boa análise.agora estou curioso para ver a análise do tomas ao novo sporting!ahaha
este Satélite Clube do Porto está fortissimo!

Pedro Veloso 7 de julho de 2010 às 12:29  

João estás bom?

Olha em relação à cláusula do Saragoça é o que dizem...por outro lado, temos agora a história da oferta do Arsenal pelo Roberto. Confesso que - como a maioria - pensei que fosse "encomendada" quando saiu em A Bola, mas agora tem vindo em todos os jornais e com diversas fontes, por isso se calhar até é mesmo verdade.

Rui Alves obrigado e não há como não concordar com esse novo nome que dás à sigla "SCP" - ou então não, porque a nova moda é considerar o negócio "um sinal de maturidade do futebol português" lol

Anónimo 10 de julho de 2010 às 23:57  

o moutinho é uma merda gigante, foi bem vendido.

Anónimo 11 de julho de 2010 às 00:02  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo 11 de julho de 2010 às 00:02  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
lnaslb 12 de julho de 2010 às 00:52  

Boa análise. Mal o Roberto foi comprado, cheirei logo borrasca porque dar 8.5 milhões pelo 3º guarda-redes do atlético madrid não cabe na cabeça de ninguém.. Para além disso põe-se uma pressão em cima do "Sr. 8.5 milhões" que ele terá dificuldade em lidar ainda para mais depois dos frangos (um deles para a lista dos maiores de sempre de um guarda-redes nosso) de hoje, todos os olhos estarão em cima dele.

Em 2º lugar, penso que pelo menos até agora o plantel tem sido mal construído para a próxima época. Faria não vem acrescentar nada (a não ser que um dos centrais saia, o que duvido). Gaitan não tem muito a ver com Di Maria pois como pudemos ver hoje tem uma grande tendência a vir para o meio.
Falta-nos uma alternativa para lateral-direito porque o Luis Filipe é uma nódoa naquele plantel e o Ruben Amorim é médio.

Espero bem que o Rui Costa se mexa até dia 31 de agosto pois com este plantel não passamos da fase de grupos da champions e arriscamo-nos a perder o campeonato para o FCP.

Saudações Benfiquistas

Pedro Veloso 13 de julho de 2010 às 14:55  

Obrigado Inaslb.

Discordo do argumento de que o plantel tem sido mal construído, pelo contrário, temos contratado pouco e só para o que precisamos (isto considerando que só temos apenas uma saída relevante, a do Di María):

Para a baliza, objectivamente precisávamos de alguém que "desse pontos", o Quim era bom mas insuficiente a meu ver, e também agora acho piada ver tanta gente que o assobiava vergonhosamente ter falhas de memória à primeira falha do Roberto e passar a considerar o Quim o melhor do mundo. Mas quem não conheça o Terceiro Anel (que adoro, mas nestas coisas muitas vezes é péssimo) que o compre...É a mesma coisa com o Eduardo, eu estou à vontade porque sempre gostei dele e gostava de o ver no meu clube, mas quando se falava nisso durante a época todos diziam "é mais um igual ao Quim ou Moreira, não acrescenta nada", agora faz 2 ou 3 jogos bons no Mundial e já passa a melhor do Mundo e cai o Carmo e a Trindade porque o Benfica não o comprou. Dito isto, se o Roberto é o homem certo ou não é outra questão...vamos ver. Até acho que pode ser, mas tenho medo que os €8,5 M (e que espero ver explicados um dia, nem que seja dizerem "achamos que vale isto, e foi o que pagámos", porque assim só se especula sobre outras razões) lhe ponham a pressão toda em cima. Espero que jogue os próximos jogos todos para ganhar confiança.

Fábio Faria sempre achei um excelente central e discordo que não acrescente nada, é esquerdino e estes jogos mostraram já que pode
fazer sem grande problema a posição de lateral esquerda, não é daqueles polivalentes tipo Caneira ou Ricardo Rocha que chegam à linha e depois não há sequência.

Jara é uma alternativa de qualidade a Saviola, já para jogar ele a nº 9 fixo no ataque acho que não serve muito.

Gaitán já mostrou que é muito bom jogador mas sim, ainda tem que provar saber jogar como ala puro.

Obviamente, se sair mais algum dos craques...tem que ser substituído.

João 14 de julho de 2010 às 22:32  

Boa análise Pedro! De momento penso que o benfica pecou por não ter garantido a aquisição do james Rodríguez ou de outroo ala, já que Gaitan ao que parece não o é e apesar de toda a sua qualidade poderá não desenvolver todo o seu potencial ou mesmo enfraquecer a equipa nessa posição.Compreendo que não pagassem o que o Porto ofereceu pelo James, pela sua tenra idade (o tempo dirá se foi um erro ou não), mas não chegaram a arriscar o Leto nem mais ninguém. De resto o benfica parece-me muito equilibrado e afigura-se como o favorito para esta época. Miguel Vítor concordo também que tem que jogar mais sob risco de não estagnar, acho muito bom. Quanto ao Roberto não conheço muito dele, mas certamente terá qualidade pelo o alto valor do negócio.