Esclarecimento

Tomas Costa:
«Antes que me perguntem alguma coisa, em meu nome e em nome do Bruno Alves quero dizer que é uma grande mentira que tenhamos trocado agressões durante um treino como é noticiado pela comunicação social. Não se passou nada entre nós. Não sei como saiu essa notícia. Tenho uma relação muito boa com o Bruno Alves, com o Raul Meireles e com todos os jogadores mais antigos do plantel. Para mim é uma lástima saber que a minha família leu isso nos jornais. Não sei por que é que isso passou cá para fora. O Bruno Alves é um jogador muito temperamental, às vezes tem reacções estranhas, mas desta vez não se passou nada. Juro que não.»
_______________
Se isto é verdade ou não, não sei, mas que o devia publicar devia. É um esclarecimento importante e que ajuda a repor a verdade, pelo menos eu acredito que sim, sobre algo que eu noticiei e comentei aqui no Settore.
Se realmente não aconteceu nada, eu pergunto: porque raio veio esta noticia a público?
As palavras do argentino parecem sinceras.

Cumprimentos azuis e brancos.

29 Passes de rotura:

Pedro Veloso 3 de fevereiro de 2010 às 13:09  

De facto parecem sinceras. Mas depois o pai do Bruno Alves falou como se efectivamente tivesse havido alguma coisa. Enfim, como dizíamos ontem vale o que vale.

Manú 3 de fevereiro de 2010 às 13:15  

as palavras do deco tambem pareciam sinceras quando o vosso presidente lhe pediu q mentisse

Alfredo Barbosa 3 de fevereiro de 2010 às 13:18  

Pode não ter havido agressões, mas aconteceu qualquer coisa, de certeza. O Bruno Alves não ia ficar de fora do jogo sem mais nem menos...

Cristiano Moreira 3 de fevereiro de 2010 às 13:45  

Mas lembras-te assim tão bem das palavras do Deco, Manu?
Já agora, transcreve-me.
As instruções eram não comentar a situação. Será isso um crime tão grande? Achas que é melhor suspender o Deco? Vê lá...

Manú 3 de fevereiro de 2010 às 13:53  

nao disse que seria melhor suspender o deco nao leste isso em lado nenhum.

o que digo é que como o pinto da costa influenciou o que o deco (nao) disse, tambem pode perfeitamente ter pedido ao tomas costa para fazer isto para acalmar os animos na imprensa em relaçao a este caso.

Paulo Rodrigues 3 de fevereiro de 2010 às 14:07  

Sim, têm razão. O pessoal do Porto é um bando de malfeitores e mentirosos. Aliás, é curioso que assim que alguém atravesse uma das pontes da invicta para entrar no burgo e aqui viver, desenvolvem-se características físicas, emocionais e intelectuais que as aproxima dos algozes descritos em Dante na sua obra de eleição.
Somos pior que o refugo, somos selvagens e violentos, corruptos como ninguém e sujos também (porque não)! Tomamos banho uma vez por ano e mesmo assim mal. Nada do que dizemos é verdade porque temos uma necessidade patológica de mentir, mas esta situação é sempre passageira. Porque assim que alguns de nós (os traidores) mudam de afectos e entregam o seu coração a uma outra cidade, de imediato são transformados em anjos incapazes de qualquer mal.
Existem casos documentados, como os de Derlei, Helder Postiga, João Manuel Pinto, Zahovic, Drulovic, mas os mais interessantes, os verdadeiros case study são os de Carolina Salgado e Luis Filipe vieira.
Carolina era uma senhora de alterne que assim que mudou de cidade se transformou numa princesa escritora e LFV, esse senhor que no estádio das Antas costumava receber os jogadores do SLB com insultos, é agora o anjo dos anjos! E mesmo quando surge em escutas a escolher árbitros, o que ele está a fazer é a ajudar o pobre Major que estava com dúvidas e não sabia o que fazer! A Morgado (esposa de um compincha do LFV mas isso não interessa porque todos são santos) achou que era caridade o que o honesto senhor fazia e não achou por bem não o investigar.
Tenham juízo e aprendam a ver para lá da intoxicação que os media (todos sediados em Lisboa) promovem.

LMC 3 de fevereiro de 2010 às 15:12  

O Saldanha Sanches é compincha do LFV?Deve ser, foram colegas na faculdade de Direito , não?
Já disse e repito, não tragam para o fórum coisas que não sabem, pois só lhes fica mal.

Obviamente que se passou alguma coisa, e obviamente que o Tomás Costa teve instruções para dizer que não se passava nada.O que eu acho lindamente, pois os problemas internos são para se resolver, tal como o nome indica, internamente!
Não vejo qualquer problema nisto.

J. Ferreira 3 de fevereiro de 2010 às 16:33  

Então para se ser compincha de alguém é necessário andar na faculdade? Pode muito bem ser compincha de negócios (por exemplo, negócios menos claros).

Jornal i 3 de fevereiro de 2010 às 16:48  

O ambiente está de cortar à faca no futebol português. No FC Porto, depois de se conhecerem as suspensões de Hulk e Sapunaru, Ruben Micael veio dizer que também já tinha sido provocado por Jorge Jesus e Rui Costa, quando jogou na Luz, pelo Nacional. A reacção do Braga, ontem, surgiu na boca do director-desportivo Carlos Freitas. "Como não nos derrotam no campo, agora querem enfraquecer-nos."

João S. Barreto 3 de fevereiro de 2010 às 17:09  

Cristiano esta noltícia é relevante porque assim podemos conhecer todos os lados em questão, tal como aconteceu com o Sá Pinto e Liedson. Como já disse noutro post, considero normal este tipo de situações e também considero normal que o Tomás Costa enha dizer isto, afinal é um jogador com muito menos peso no balneário e fica-lhe bem não acusar um jogador com o peso que tem o Bruno Alves. Claro que alguma coisa há de ter acontecido para Bruno Alves não ter sido convocado, mas isso são coisas que só ao Porto interessam e que deviam ter ficado no balneário. O que estranho é que o Porto costumava ser blindado a este tipo de situações, nada passava cá para fora e ultimamente começam a haver mais fugas de informação. Não sei se concordam comigo...

Manú 3 de fevereiro de 2010 às 17:24  

eu concordo que andam a sair mais informaçoes e nao sei porque.

mas tambem concordo que seja normal o tomas costa ter vindo dizer isto para acalmar os animos, nao me vendam é que isto é verdade porque o bruno alves, um dos melhores jogadores a jogar em portugal, nao ia ficar de fora por opçao num classico (no qual nem fez falta mas podia ter feito)

João S. Barreto 3 de fevereiro de 2010 às 17:27  

Veloso um assunto um bocado ao lado. Como tinhas deixado a pergunta no ar, o "cabelo branco" ontem não de facto esteve no estádio, provavelmente para evitar inconvenientes!

LMC 3 de fevereiro de 2010 às 17:30  

J.Ferreira,
Obviamente que não, estava a ser irónico.
Quero então que o Paulo Rodrigues me prove onde está a ligação entre o Doutor José Luís Saldanha Sanches, e o Sr. Luís Filipe Vieira. Não sei se existe alguma ligação entre ambos, e desconfio que não exista.

Luís 3 de fevereiro de 2010 às 17:32  

Jornal i, as punições aos jogadores do Braga mas são ou não são justas?
É que agora cada vez que um agressor é condenado, fazem uma choradeira enorme, que qualquer dia eu penso que agredir é uma coisa super natural.

Luís 3 de fevereiro de 2010 às 17:33  

http://www.youtube.com/watch?v=odz_FonzVKQ

Sumaríssimos? Zero, repito, zero!

Bruno_Mega 3 de fevereiro de 2010 às 19:31  

Então não se vê logo que foi o Benfica que inventou tudo!

Há alguma coisa em Portugal que não seja culpa ou em benifício do Benfica..?

Até o Jesualdo acreditou! Tanto é que o deixou fora da convocatoria (depois de ter cumprido castigo no último jogo)...

Justissima a punição ao Javi Garcia! Mas Há 4 anos que os sumarissimos só têm uma cor... E ainda nós controlamos tudo! O k faria se não fosse assim...

Enfim...

Duarte 3 de fevereiro de 2010 às 21:12  

Bruno Mega, não precisas que te relembre os sumaríssimos aos jogadores do Porto nos tempos do Cunha Leal, pois não?

Faz bem Tomás Costa em desmentir o desentendimento. Até pode realmente ter acontecido alguma coisa, para o Bruno não jogar provavelmente aconteceu mesmo. No entanto também acredito que a situação tenha sido empolada. Não me admira que tenha havido uma zaragata provocada pelo Bruno Alves, mas já tenho as minhas dúvidas quando se diz que ele deu dois socos no Tomy.

Luís 4 de fevereiro de 2010 às 00:05  

Mas ainda ninguém comentou que se Mossoró e Vandinho tivessem sido expulsos, o Sporting de Braga jogaria a 2ª parte contra o Benfica com 8 jogadores contra 10 do Benfica.

Porque será que ninguém comenta isto?

Pedro Veloso 4 de fevereiro de 2010 às 01:43  

Porque não interessa Luís. Só dá jeito ver com palas, não percas o teu tempo com isso. Respondemos no campo como fizemos mais uma vez hoje.

LMC o que eu me ri também com essa do Saldanha Sanches ser compincha do LFV. Acredito que seja companheiro de alguma coisa do foro não-profissional mas também gostava que o Paulo Rodrigues já agora nos satisfizesse a curiosidade. Ou o J. Ferreira, segundo o qual o Saldanha Sanches, que nem é fiscalista nem nada, pode andar em negócios pouco claros. Só revelações.

Pedro Veloso 4 de fevereiro de 2010 às 01:46  

João S. Barreto parece que o JEB foi de férias para o Brasil...

João S. Barreto 4 de fevereiro de 2010 às 02:17  

tá explicado então!

LMC 4 de fevereiro de 2010 às 04:08  

Veloso,
Não há explicações para essa do Saldanha Sanches, enfim...

Um abraço

Miguel Sousa Tavares 4 de fevereiro de 2010 às 09:59  

O futebol português parece ter entrado agora na fase dos túneis. Tem em comum com as anteriores — a fase das cotoveladas e a dos sumaríssimos — o mesmo alvo, mal escondido com o rabo de fora: o FC Porto. No passado, como se recordarão, só havia sumaríssimos para jogadores do FC Porto e também só eles é que usavam os cotovelos, mesmo que imaginariamente. Incontáveis programas de televisão gastavam horas a passar ao ralenti imagens envolvendo jogadores portistas até conseguirem «provar» que tinha havido cotovelada. Não por acaso, os alvos predilectos foram sempre jogadores que, numa ou noutra época, eram decisivos no plantel azul-e-branco: McCarthy, Deco, Quaresma. Não sei se já repararam mas, assim que eles se foram embora, desapareceram as cotoveladas do futebol português e morreram os sumaríssimos.

E eis então que chegamos à fase do túnel. O alvo principal desta vez chama-se Hulk — que, embora esteja em crise de exibições, tem o potencial por todos bem conhecido de, quando lhe dá na gana, virar a história de um jogo. E quem tem esse potencial também pode virar a história de um campeonato. O Sapunaru ou o Helton todos sabem que não incomodam por aí além. Mas o Hulk, sim: tirar o Hulk ao FC Porto até final do campeonato é o mesmo que tirar o Di María ao Benfica. Vale a pena, então, empreender na nova teoria dos túneis e criar doutrina — a qual, como de costume, nascerá e morrerá depois de cumprida a sua função de diminuir drasticamente o potencial competitivo do FC Porto.

O mais curioso disto tudo é que o tuning começou na época passada, com o Benfica, e assim continuou esta época. As confusões nos túneis envolveram sempre jogadores do Benfica e jogos onde o Benfica participou. Pura coincidência. Já no ano passado, depois de um jogo na Luz, o nacionalista Rúben Micael (que bem que ele ficava de azul-e-branco!) desabafou: «Passam-se coisas estranhas no túnel do Estádio da Luz, que mereciam ser investigadas». Investigar o túnel da Luz? Está quieto, nessa não cairia o CD da Liga!

Durante toda esta semana, no rescaldo do Benfica-FC Porto, os jornalistas conotados com os interesses do Benfica foram preparando o terreno para uma «justiça exemplar», adequada aos horrendos crimes que três jogadores portistas terão cometido no túnel da Luz. Primeiro, sentenciando que a coisa era tão grave que, no mínimo, iria haver jogadores suspensos por seis meses e, no máximo, por seis anos! E na terça-feira já estavam municiados com a informação de que a suspensão preventiva dos jogadores portistas era de duração indeterminada— porque assim tinha sido estatuído, por proposta do próprio FC Porto, aliás, com a abstenção do Benfica. Esta informaçãozinha bem oportuna, escorregada para os jornais, deixou-me logo de sobreaviso do que se prepara. Pinto da Costa faz bem em ir já ao mercado ou ao Olhanense, porque tudo está a ser devidamente montado para que o Hulk não jogue mais esta época. Há, sobretudo, uma coisa impensável e inaceitável: que o Benfica não seja campeão este ano. Porque se isso acontece, a própria falência é uma hipótese bem séria.

Antes, porém, de os justiceiros habituais entrarem em acção — além do mais, com um longamente reprimido desejo de vingança da vergonhosa e total derrota dos seus planos de encostar o FC Porto, despojá-lo dos títulos conquistados, retirá-lo da Europa e enviá-lo para a segunda Liga para melhor desimpedir o caminho ao Benfica, graças ao fabricado «Apito Dourado» — convém, talvez, parar para pensar um pouco. Ou, ao menos, para fazer umas perguntas, que julgo pertinentes para a investigação. A saber:

Miguel Sousa Tavares 4 de fevereiro de 2010 às 10:00  

(Continuação)

1 Os seguranças (stewards) têm ou não o direito de estar no túnel de acesso aos balneários? Se têm esse direito, a que título lhes é concedido? E, se o não têm, será que, da parte do Benfica, tudo se resolve com uma multa de 250 euros?

2 Houve ou não provocação dos seguranças a membros da comitiva azul-e-branca, no dito túnel, e antes ou após o jogo?

3 Nomeadamente, é verdade ou não que o segurança alegadamente agredido por Sapunaru começou logo por provocar Reinaldo Teles antes do jogo se iniciar, quando os jogadores foram para o aquecimento? E voltou a fazê-lo depois do jogo terminado?

4 Se houve provocações, eles partiram espontaneamente do ou dos seguranças ao serviço do Benfica, ou foram premeditadas e por quem?

5 Se o relato da imprensa desportiva está certo, isso implica que os jogadores do FC Porto, todos eles, atravessaram o túnel após o jogo e recolheram-se na sua cabine, sem quaisquer incidentes, só depois tendo saído da cabine para verem o que era a confusão que decorria no túnel? Ou seja: não agiram nem premeditadamente nem por iniciativa própria, mas apenas por reacção a qualquer coisa que viram ou ouviram?

6 E que tremenda confusão se terá então armado no túnel que chamou a atenção dos jogadores portistas, que já estavam recolhidos à sua cabine? E porque não chamou também a atenção dos jogadores ou elementos da comitiva do Benfica?

7 O filme de terror, tão propagandeado pela imprensa próxima do Benfica, contém apenas cenas escolhidas, ou antes tudo o que aconteceu no túnel, desde que o FC Porto chegou às instalações da Luz?

8 Existe alguma disposição penal ou disciplinar em toda a ordem jurídica portuguesa que preveja a suspensão prévia sem limite de tempo de um suspeito ou arguido? Se existe, resta alguma dúvida de que ela é, obviamente, inconstitucional?

9 De igual modo, existe alguma pena disciplinar (seja pena principal ou acessória) que suspenda o direito ao trabalho durante mais do que trinta dias? E se o Tribunal Constitucional for chamado a julgar um estatuto disciplinar tão idiota como o que foi parido pelos juristas do futebol português, com penas de impedimento de jogar por seis meses ou seis anos, num País onde a Constituição estabelece que ninguém pode ser privado do direito ao trabalho, o que acham que os juízes farão à coisa?

10 Faz algum sentido para alguém (tirando para estas luminárias jurídicas do nosso futebol), que, se um jogador agride outro, durante o jogo e à vista de toda a gente, seja expulso e fique um ou dois jogos sem jogar, se agride um árbitro fique seis meses sem jogar, mas que, se agride alguém que não faz parte do jogo, fora dele e longe da vista de todos, possa ser suspenso de seis meses a seis anos? Qual é a lógica desta absurda disparidade de critérios? Agredir um segurança num túnel é cem vezes mais grave do que agredir um adversário ou o árbitro durante o jogo? E a agressão é mais grave se cometida perante cinco testemunhas do que se cometida perante cinquenta mil?

Xisacto 4 de fevereiro de 2010 às 10:02  

Falemos nos célebres casos dos sumarissimos aos jogadores do FC Porto que apesar da infracção ter ocorrido há muitos meses atrás esses sumarissimos só eram aplicados quando haviam jogos com equipas directamente concorrentes, como o caso do Deco cujo castigo foi aplicado no jogo contra o SL Benfica.
Lembram-se?

Cristiano Moreira 4 de fevereiro de 2010 às 10:56  

Partilho isto convosco. Já não há limites!
O Jogo:
"Podem apontar-se muitos defeitos à Comissão Disciplinar da Liga, mas não se pode negar que tem um enorme, rebuscado e hiperactivo sentido de humor. E nem sequer estou a falar da graça que tem referir-se a Sapunaru como jogador da Sporting de Braga SAD na nota de culpa enviada ao jogador na sequência do caso do túnel da Luz de que hoje damos conta. Esse deve ter sido um mero lapso involuntário: afinal, já todos percebemos que para a CD tanto faz castigar um jogador do FC Porto como um jogador do Braga porque, no fundo, vai tudo sempre dar ao mesmo. Percebem? Vai tudo sempre dar ao mesmo... Adiante. O que me deu mesmo vontade de rir e me roubou um aplauso entusiástico para a melhor peça de comédia dos últimos tempos - os humoristas sérios que me perdoem - foi a convocatória de Rúben Micael para prestar declarações na condição de testemunha arrolada pelo FC Porto no caso do túnel da Luz na terça-feira, umas horas antes do clássico com o Sporting. Melhor, só se o convocassem para testemunhar à hora do jogo. E depois, se ele não aparecesse - o malandro! - acusar o FC Porto de atrasar o processo e espetar-lhe com um procedimento disciplinar. Isso é que era. "

Anónimo 4 de fevereiro de 2010 às 11:10  

A demora da notificação, quando o plenário da CD foi dia 29 de Janeiro, quatro dias antes.


Habitualmente as reuniões são no Porto, mas desta vez mudou-se o local: foi em Lisboa.


Hermínio Loureiro esteve no Estádio AXA, dia 29, e comunicou ao departamento jurídico da SAD que desconhecia o processo.


No dia do fecho do mercado, a SAD contactou a Liga para saber se havia decisão. Esta respondeu que não.

João S. Barreto 4 de fevereiro de 2010 às 15:29  

Miguel Sousa Tavares agradecemos a contribuição mas esse texto vem atrasado...os videos tao no youtube se quiseres ver a verdade. Obrigado

Andre 4 de fevereiro de 2010 às 15:34  

Miguel Sousa Tavares, ninguém tirou o Hulk do campeonato. Ele é que se tirou a ele próprio.

Se não tivesse agredido um steward, a esta hora, continuaria a jogar.

E continuaria a jogar para felicidade de todos os Benfiquistas, pois o Hulk proporciona quase sempre cenas de comédia em campo, além de que o Varela é um jogador muito mais colectivo e perigoso.