Fim de linha!

O FC Porto deslocou-se a Lisboa para, no Estádio Alvalade XXI, defrontar o Sporting. Os azuis não podiam escorregar, pois comprometiam, assim, as suas aspirações em relação ao título.O Sporting, com 29 pontos, recebeu os Tetra Campeões Nacionais, com 43 pontos, numa fase em que o título é há muito uma miragem e apenas a Europa é objectivo para os leões.O Sporting entrou melhor, muito melhor, no jogo. Cheios de força e com muita confiança os comandados de Carlos Carvalhal entraram a dominar o jogo e aos 5 minutos já Yannick Djaló, que não marca a ninguém, mas marca sempre ao FC Porto, balançava as redes de Helton. Estava feito o 1-0. Incrivel a facilidade com que João Moutinho passa por Fucile, como se deixa rematar com tanta facilidade dentro daquela área portista.

Aos 7 minutos há um lance duvidoso entre Abel e Falcao, o colombiano cai, mas é um lance normal e sem falta.Decorridos 10 minutos de jogo Helton faz a defesa da noite. Veloso faz (a terceira falta do 24 sportinguista)) falta, desta vez sobre Varela, o árbitro não marca e o Sporting ataca, a bola sobra por lá, mas a defesa portista insistia em não tirar a bola da área, até que surge Liedson que só não marcou porque Helton estava muito atento.Miguel Veloso leva, finalmente, o amarelo, à quarta foi de vez e desta vez foi Ruben Micael a ser rasteirado já sem bola, isto aos 11 minutos.
Um minuto depois é mal assinalado um fora de jogo a Liedson, que corria pela linha. Podia ter sido perigoso.
João Moutinho faz falta sobre Rolando, evitando um contra ataque aos 15 minutos. Viu um amarelo que talvez seja exagerado.
Aos 16 minutos mais um amarelo, desta vez para Bruno Alves. O árbitro mantém o critério que me parece, de todo, exagerado.
Decorridos 23 minutos o FC Porto acorda, de maneira muita lisonjeira, e tenta atacar. Varela desmarca Falcao, mas Carriço faz um grande corte entre Falcao e Rui Patricio.
Quatro minutos depois Alvaro Pereira, num dos poucos cruzamentos, tenta servir Falcao, mas o colombiano não conseguiu desviar para a baliza.
Aos 28 minutos Ruben Micael isola Falcao, mas o fiscal de linha levanta a bandeirola. Fora de jogo mal assinalado, pois o avançado portista estava em linha.
Djaló agarra na bola e chuta-a para a bancada em forma de protesto e leva, aos 29 minutos, um amarelo.
Aos 36 minutos o árbitro assinala um falta por trás de Liedson sobre Rolando, mas esquece-se do amarelo para o Levezinho.
Antes de ir para intervalo Mariano, para não variar, perde mais uma bola, ou sofre falta, não interessa, e permite um cruzamento para a área portista, Bruno Alves corta, mais uma vez, para a entrada da área, onde está Ismailov que espera que Raul Meireles entre de primeira e deslize por ali fora e depois sozinho escolhe o lado e remata colocado para o fundo da baliza de Helton. 2-0. Mais um golo de Ismailov contra o FC Porto. É sagrado.
Chegamos ao intervalo com 2-0 para os leões. O FC Porto tinha 52% de posse de bola, mas de futebol tinha 0%, o Sporting tinha 48% de posse de bola, muita eficácia e superioridade sobre um FC Porto como eu não me lembro de ver. Mais uma vez, os dragões quase não remataram. Se na Luz chegaram ao intervalo sem remates, aqui chegaram com um remate. É impensável.
Jesualdo tira o invisivel Meireles e mete Belluschi, mas o Zero à Esquerda Gonzalez continua em campo. Só Jesualdo percebe isto.
A segunda parte começa com o golo do Sporting. Mais um. Auto estrada que ninguém percebe do lado esquerdo azul e branco, Liedson vai por ali fora e quando já se pensava no 3-0, o 31 manda ao poste, a bola vai para a entrada da área onde, mais uma vez, aparece um jogador do Sporting, no caso Miguel Veloso, sozinho que remata colocado e com muita força para o fundo da baliza de Helton. 3-0.
Aos 55 minutos Jesualdo Ferreira tira Ruben Micael e Mariano e faz entrar Cristian Rodriguez e Guarin.
Passados 5 minutos o uruguaio arranca pela esquerda, ultrapassa Abel, cruza rasteiro e bem para trás, mas Belluschi acerta mal na bola e não cria perigo sequer.
Aos 61 minutos cruzamento para a área portista onde aparece Liedson sozinho, mas sozinho mesmo, e de bicicleta atira para fora.
Fucile sofre aos 64 minutos uma falta clara à entrada da área leonina que o árbitro não marcou.
Aos 70 minutos um livre de Bruno Alves igual a todo o jogo do FC Porto: ridiculo. Para as bancadas.
Volvidos 2 minutos Djaló passa, como passou toda a noite, por Fucile e remata cruzado para a baliza de Helton, a bola passa perto, mas acaba por sair.
Nesse mesmo minuto e sem se perceber como nem porquê, os jogadores do FC Porto enquanto dava a repetição do remate de Djaló, já tinham perdido a bola e ela ficou dentro da área parada. Parece mentira, mas é verdade, ninguém se mexeu: Helton, Alvaro Pereira, Bruno Alves e outros, ficaram a olhar, até que viram Liedson arrancar e o defesa esquerdo portista cortou para fora. Inqualificável.
Aos 76 amarelo para Ismailov e aos 77 para Liedson. Justos.
Aos 85 continua o festival na defesa dos dragões. Rolando quer atrasar para Helton, mas quase que Djaló a apanha. É o descalabro.
Falcao tenta, aos 88 minutos, sozinho dentro da área criar perigo, mas só consegue rematar por cima.
Alvaro Pereira é amarelado aos 89 minutos por falta sobre Liedson. Justissimo.
Termina o jogo, aos 94 minutos, com um 3-0 para o Sporting, que foi a única equipa que fez por vencer o jogo. Um justo vencedor.
Não há palavras para descrever o jogo do FC Porto, numa jornada que se sabia decisiva.
Helton não me parece ter culpa em qualquer golo.
Fucile foi tapete para Djaló pisar. Perdeu todos os duelos.
Rolando andava perdido e desconcentrado.
Bruno Alves não foi patrão, nem foi nada. Ganhou algumas bolas de cabeça. Só.
Alvaro Pereira foi o que nunca se viu. Não atacou, não defendeu e nunca esteve concentrado.
Tomas Costa não deu equilibrio e mostrou-se perdido.
Raul Meireles nem se viu.
Ruben Micael teve pouca bola nos pés, mas quando a teve não a tratou muito mal. Não foi o Ruben que nos habituou, mas também não era dos piores, bem pelo contrário.
Mariano é a vergonha do clube. Pode fazer o que quiser, a mim não me convence. Renovar com ele será dos maiores erros da história do clube. É medíocre.
Varela foi um extremo apático, que nunca foi capaz de ultrapassar nem Grimi, nem Abel. Muito mal.
Falcao foi o melhor dos azuis. Lutou, como sempre, sem parar. Veio atrás, foi às linhas, pressionou os centrais e tentou de tudo para ajudar a equipa. Eu gostava de ver este colombiano se a equipa estivesse a jogar com qualidade e para ele. Não imagino com quantos golos acabaria a época. É injusto para ele ter estado ali hoje.
Belluschi nada acrescentou.
Guarin nunca me convenceu. Tem que ser vendido ou emprestado, mas rápido. É banal.
Cristian Rodriguez vem de uma lesão, tentou acrescentar qualquer coisa, mas sem êxito.
Não se entende como é que Jesualdo faz trocas por trocas num jogo decisivo, não arrisca um milimetro. Como é possível segurar tanto tempo Mariano em campo? Porque é que tirou Ruben Micael? O mal espalhou-se pelo campo, mas também atingiu o banco e por conseguinte o treinador.
Há uma coisa que me chama a atenção, o FC Porto neste momento tem um ponta de lança disponível, é o Falcao, e num jogo destes não pôde jogar com dois pontas de lança. Isto é muito mau para quem queria, queria disse eu, lutar pelo título. Assim não. Os azuis consentiram todos os golos nas alturas em que é completamente proibido fazê-lo. No inicio do jogo, no fim da primeira parte e no inicio da segunda parte.
O Sporting venceu de forma justa, mas muito por culpa de um FC Porto como eu não me lembro de ver. Basta ver que foi a primeira vez esta época que os leões ganharam por 3-0 em Alvalade. Mau demais.
Uma nota para o árbitro: felizmente não influenciou em nada o resultado.
Penso que os dois rivais entregaram o título ao Benfica. O FC Porto venceu o Braga e entregou o primeiro lugar às águias e o Sporting venceu os portistas e terminou com a luta a três.
Nove e oito pontos são um fosso muito grande. Os azuis despediram-se hoje da luta pelo título, e analisando bem, de forma justa. Quem não consegue ser coerente no futebol que pratica e vacila sempre que não pode, não é, de forma alguma, candidato ao título.
Braga e Benfica são os que melhor futebol praticam, são os mais consistentes e são eles que devem lutar pelo ceptro. Boa sorte para ambos e que vença o melhor.
Cumprimentos azuis e brancos.

Read more...

Liga dos Campeões - 1ª Mão dos oitavos-de-final

Jogada noutros moldes, no que a datas de jogos diz respeito, este fase da melhor competição de clubes do Mundo começou no dia 16 deste mês com um dos meus três favoritos (Real Madrid) a entrar em acção.

O Lyon dos "portistas" Lisandro e Cissokho e de (permitam-me o destaque pois gostei bastante da sua exibição, bem ao estilo aguerrido argentino) César Delgado recebeu a turma de CR9 e K8 e, embora o resultado negativo não seja nada que Ronaldo não resolva sozinho e com tranquilidade, os franceses mostraram que esta eliminatória não será uma mera formalidade para os merengues.
1-0 foi o resultado do jogo, tendo sido a expressão dada ao marcador por um golaço do camaronês Makoun.

No outro jogo disputado no mesmo dia, em que David Beckham reencontrava o seu clube do coração, tudo começou com Ronaldinho, em bastante melhor forma esta época - à procura duma vaga nos 23 de Dunga na África do Sul -, a fazer crer que o Milan ia surpreender o Manchester United.
No entanto, Paul Scholes e a sorte (para mim também há ali culpas do guardião Dida), bem como a cabeça de Rooney por duas vezes, encarregaram-se de pôr água na fervura e marcar 3 golos fora, o que lhes dá uma grande vantagem na eliminatória.
Já perto do final do encontro, Seedorf, assistido com mestria (obviamente) por Ronaldinho, faz um golo espectacular de calcanhar. Sempre fui fã do holandês e ele, embora esteja já numa fase descendente da carreira, encarregou-se de dar certezas a quem ainda duvidava que "quem sabe nunca esquece".

No dia seguinte (17), entrava em cena o tetra campeão português, que recebia o Arsenal e procurava aproveitar a sua melhor forma para ganhar um avanço importante para defender em Londres.
Já aqui foi comentado o jogo e, por isso, não direi muito sobre ele. Para a história fica uma vitória merecida do Porto por 2-1, ainda que com golos conseguidos com alguma sorte por Silvestre Varela e Falcao. O "avô" Sol Campbell fez o golo dos londrinos.

Em Munique, o Bayern local recebia a surpreendente Fiorentina (que muito bem tem estado nesta edição da prova). O marcador só foi alterado no segundo tempo, com um penalty convertido por Arjen Robben (que grande exibição do holandês!) aos 48' que teve resposta quase imediata do dinamarquês Koldrup, que igualou aos 50'. Pode ser um golo muito importante no desfecho da eliminatória este!
Ao cair do pano, e de forma escandalosamente ilegal, Miroslav Klose, assistido por Olic, volta a pôr os bávaros em vantagem no jogo e na eliminatória.
Em relação a este jogo, queria destacar a boa exibição do jovem prodígio montenegrino Stevan Jovetic. Não foi uma exibição de aplaudir de pé, mas realmente nota-se que este jovem está a crescer como jogador. Quando ele toca na bola vê-se uma clara capacidade de fazer a diferença e um potencial fora do vulgar. A pouco e pouco, vai correspondendo às expectativas despertadas pelo seu talento inato.


Certamente que muitos amantes do desporto rei não gostaram, tal como eu, de ter que esperar até à semana seguinte para ter que assistir aos outros 4 jogos da mesma mão da mesma eliminatória.
Foi apenas no dia 23 que voltámos a ter "noite de Champions".
Um Barcelona meio apático foi a Estugarda arrancar um empate injusto - a excelente exibição em termos de concentração defensiva, anulação de todos os criativos da equipa catalã e esclarecida e pragmática saída para o contra-ataque através de transições bastante rápidas por parte dos alemães merecia 3 pontos, na minha humilde opinião.
Neste jogo destaco Cacau, Hleb e o poderoso avançado russo Pograbnyak e tinha dois pedidos a fazer: o primeiro é ao treinador dos alemães Christian Gross - gostava que nos mostrasse mais do sérvio Zdravko Kuzmanovic -, e o segundo é ao árbitro - era justo que marcassem penalty quando o Piqué toca com a mão na bola.

No mesmo dia e à mesma hora, o Bordéus confirmava o seu estatuto de favorito, ganhando por 1-0 ao Olympiacos, numa tradicionalmente difícil deslocação a um reduto grego. Michael Ciani foi o autor do único golo da partida, que certamente dará um conforto agradável aos franceses quando receberem os gregos.

Por fim, na 4ª feira, dia 24 de Fevereiro, foi o dia dos meus outros dois favoritos se defrontarem e de o Sevilla ir arrancar um importante empate a um golo em casa do CSKA Moskva.
Na Rússia, foi o internacional espanhol Negredo a pôr os andaluzes em vantagem aos 25'. A resposta viria apenas aos 66' minutos, através dum autêntico coelho tirada da cartola pelo pé do chileno Mark González, grande golo!
Acredito na passagem com alguma facilidade dos espanhóis, pois já estão em vantagem. Mas como estamos a lidar com futebol, nunca se sabe!

Em San Siro, José Mourinho tinha uma prova de fogo (mais uma vez defrontava uma equipa bastante mais forte ainda no início da fase "mata mata") e Carlo Ancelotti regressava ao estádio que também é a casa do clube do seu coração.
Começaram muito bem os pupilos de Il Speciale, ao adiantatem-se no marcador logo aos 3' com um golo (bem ao seu jeito) do grande avançado Diego Milito.
Como já nos tem vindo a habituar em jogos a eliminar, José Mourinho apresentou a sua equipa implacável no processo defensivo. Anulou quase todas as investidas do "seu" Chelsea, sendo apenas traído pelo marfinense Salomon Kalou aos 51'.
A desigualdade voltaria a ser desfeita passados 4 minutos (grande reacção dos milaneses!) por intermédio do experiente argentino Esteban Cambiasso. Um golo de insistência, em que o trinco apenas consegue concretizar o golo ao rematar um ressalto a um remate...seu.
Tudo em aberto para a segunda mão, embora o Chelsea leve de volta para Londres um golo marcado fora.
Destaque para a enorme exibição do experiente capitão do escrete Lúcio. Realmente as imbirrações de Louis van Gaal são ridículas. Gostava que ele me dissesse, quando ler o texto, porque "inventou" que o central brasileiro não servia para a sua equipa em Munique - obviamente não vai responder apenas porque tudo não passou duma mania/birra, bem ao jeito do que os treinadores holandeses nos habituaram ao longo dos tempos.

Read more...

Imparável


Um Benfica fortíssimo puxou ontem dos galões de líder para conquistar mais três pontos na corrída ao título, respondendo à vitória do Braga e colocando mais pressão para a deslocação do FCP a Alvalade.

Foi mais um jogo muito bom do Benfica, dando sequência à excelente exibição frente ao Hertha. A equipa apresentou-se com várias novidades: Airton foi escolhido em detrimento de R. Amorim para substituir Javi Garcia, e mais à frente nem Aimar nem Carlos Martins, mas antes uma ligeira alteração táctica, sem número dez declarado. Saviola e Éder Luiz jogaram quase lado a lado no apoio a Cardozo. Para compensar e garantir os equilíbrios defensivos, Ramires jogou numa posição mais interior do que o habitual.

Desde cedo o jogo assumiu um só sentido, o da baliza de Diego. Logo aos 4 min, David Luiz cabeceia ao poste, na primeira grande ocasião. O ritmo não era muito elevado, mas Airton jogou bastante bem, a um, dois toques, não falhou nenhum passe (é verdade que não arriscou quase nada nesse capítulo, mas fez o que tinha a fazer) e por isso garantiu boa circulação de bola. No ataque encarnado as alterações posicionais também confundiam um pouco a defesa dos anfitriões, que se limitaram a pôr o autocarro e a despejar bolas para o Pouga. Tal como haviam feito contra o FCP, aliás. Tiveram algum azar, também, na lesão de Gallo logo no início da partida.

Depois do auxiliar de Lucílio Baptista se lembrar de anular um golo inacreditável a Di María, temi que isso pudesse afectar a equipa, mas mais uma vez se mostrou a força mental dos jogadores. Como se nada fosse, elevaram o ritmo, viram-se a ganhar num golo com alguma sorte de Éder Luiz (que pouco mais se viu) e até ao intervalo podiam e deviam ter aumentado a vantagem. Ao intervalo, tal como na terça-feira passada, o resultado era escasso para o que se passara, mas novamente o Benfica entrou muito bem na segunda parte, com vários lances flagrantes desperdiçados. Jesus mexeu bem com a entrada de Carlos Martins para aproveitar os espaços que começavam a surgir - até porque o Leixões parecia dar o berro fisicamente - através da sua capacidade de passe e assim resolver o jogo. E assim aconteceu, com o ex-Sporting a participar activamente no 2º e 3º golos.

O resto foi...Di Magía. O génio argentino fez o melhor jogo pelo Benfica em termos de finalização, com um hat-trick fantástico que deve ter feito Maradona saltar da cadeira dourada que tem no La Bombonera em Buenos Aires. Como salientou JJ, está novamente em grande forma, é verdadeiramente desconcertante. Como já aqui escrevi, se às vezes ainda falha na decisão, é não tanto por ainda estar imaturo - acho que cresceu imenso desse ponto de vista - mas porque o seu tipo de futebol se presta a isso. Correr e driblar a alta velocidade nem sempre permite concluir bem, mas quando o faz é demolidor. E por isso eleva o Benfica a uma dimensão superior. Aliás é impressionante a quantidade de bons centros que ele arranca depois dos slaloms, ontem só saiu um disparatado já no fim do jogo.

Para além do anjo argentino e do Airton, que já referi, destacaria o Cardozo, ontem mal na finalização mas com assistências brilhantes, na linha do que anda a fazer ultimamente, e a melhor defesa do campeonato, que ontem esteve impecável.

Como diz a música, a jogar assim à bola tu serás o campeão.

P.S. Parabéns ao Keirrison pelo primeiro golo - a valer um ponto à Fiorentina - em Itália. As coisas não lhe correram bem cá mas sempre foi um excelente profissional e espero que agora confirme o seu potencial.

Read more...

O Dobro da Emoção-Força Benfica!


O "Campeonato" começa agora!
Faltam 10 jornadas para atingir o objectivo principal!

Triste é a forma como muitos querem branquear com mil e um motivos a supermacia do Benfica e a forma como têm sido brindados com os devidos Olés por esses estádios fora!
Força Benfica, tenham na Alma a chama Imensa!
Deixo-vos com mais um excelente vídeo de Guilherme Cabral.

Read more...

Casos da Jornada (20)

Olhanense - Sporting

40': Inspirado por Rúben Micael dias antes, Matías cobra um livre rapidamente e isola Djaló, mas Pedro Proença não permitiu. Como as regras são para todos e é legal, o lance deveria ter sido permitido.
43': Choque aparatoso entre dois colegas nos sub-21, Carriço e Ukra, ao pé da linha lateral, mas foi fortuito, não me parece que se justificasse qualquer admoestação para o central leonino (que aliás seria o 2º amarelo).
52': Fora-de-jogo inexistente assinalado a Carlos Fernandes.
58': Entrada imprudente de Djaló sobre aquele lateral formado em Alvalade. Seria o 2º amarelo, que ficou erradamente por mostrar.
66': Lance entre Tonel e Ukra na área leonina, sem qualquer falta.
Resultado não sofre alteração.

Porto - Braga

7': Mossoró cai na área portista em disputa com Álvaro Pereira. Não há qualquer falta mas também não houve simulação, foi um amarelo injusto (aliás os árbitros parecem nunca ter a competência de saber avaliar estas quedas)
30': Bom, aqui aconteceu o inverso. Deveria ter visto o amarelo (por chutar uma bola bem depois do apito) e não viu.
53': Desentendimento entre Fucile e Paulo César, decidido salomonicamente por Olegário Benquerença: um amarelo para cada. Talvez se pudesse ter poupado o Fucile, o outro é que encosta a cara (mas também não era vermelho ao Paulo, não foi uma agressão apesar do teatro uruguaio).
57': Penalty de Meireles sobre Mossoró por assinalar.
84': Rafael Bastos devia ter sido expulso por entrada bárbara sobre Bellushi.
Vitória do Porto sem discussão.

Benfica-Leiria

Jogo antecipado, não registou grandes casos. Elias foi bem expulso por acumulação.

Classificação Ajustada da Liga

Benfica 49 pontos
Braga 46 pontos
Porto 45 pontos
Sporting 32 pontos

Read more...

Somos Porto!!

Hoje em dia parece que virou moda e ficou fácil atacar o FC Porto e o seu presidente.
Se Pinto da Costa sempre foi motivo de inveja e por conseguinte de ataques gratuitos, já o FC Porto é uma novidade nestas lides.
Hoje, a 10 jornadas do fim do campeonato e com 30 pontos por disputar, há já quem festeje campeonatos, outros há que dizem que o FC Porto luta pelo título impossível. Há uns dias perguntava uma jornalista da RTP1 ao director da Antena 1, no dia do FC Porto-Arsenal, se este seria o jogo que salvaria a época dos azuis. Respondeu-lhe ele e bem que o FC Porto é a única -leram bem, a única - equipa da Europa que ainda luta por todos os troféus. É estranho, mas é verdade.
O FC Porto está em 3º na Liga Sagres, mas ainda não morreu, pode até não chegar ao penta, mas isso é uma coisa que não terá uma confirmação imediata e quem quiser ficar com o título tem que lutar por ele, dentro ou fora das quatro linhas, como der mais jeito. O FC Porto está nas meias finais da Taça de Portugal depois de brindar o Sporting com 5 golos no Dragão. O FC Porto está na final da Carlsberg Cup e chegou lá com os suplentes, com as reservas e com os míudos. Se teve sorte no sorteio, não sei, mas está lá. O FC Porto está nos oitavos de final da Liga dos Campeões e venceu na primeira mão o poderoso Arsenal por 2-1, no Dragão e os comandados de Jesualdo Ferreira são os que mais remates fizeram na Champions, não é o Barcelona, nem o Real Madrid, nem o Manchester, nem o Inter, é o Porto. Parece pouco, mas é muito.
O velho Jesualdo, que agora não presta, construiu equipas, ano após ano, do nada. Todos os fins de época viu os seus diamantes serem vendidos para serem trabalhados por outros ourives. Todos os inicios e meios de época recebeu jogadores desconhecidos e que provavelmente não iriam dar em nada e no fim lá foram eles por milhões, para os maiores clubes do mundo.
O FC Porto vende qualidade, não vende barretes que são devolvidos. No Olival fazem-se craques que saem para brilharem nos melhores clubes do mundo. Pequenos são os que ficam felizes com um ou outro que não tenha resultado, como o já muito falado Ricardo Quaresma, mas isso não é problema nosso, daqui eles saem com o selo de qualidade, se lá não os aproveitam ou não sabem trabalha-los o azar é só deles. Ponham cá o Quaresma e vão ver. Não duvidem.
Há quem se esqueça que competimos com os mais ricos do mundo a nível de transferências, mas um avivar de memória vai ajudar-vos.
- Anderson por 31,5 milhões de euros para o Manchester United;
- Pepe por 30 milhões de euros para o Real Madrid;
- Ricardo Carvalho por 30 milhões de euros para o Chelsea;
- Ricardo Quaresma por 24,5 milhões de euros para o Inter de Milão;
- Lisandro Lopez por 24 milhões de euros para o Lyon;
- Deco por 21 milhões de euros mais Quaresma para o Barcelona;
- José Bosingwa por 20,5 milhões de euros para o Chelsea;
- Paulo Ferreira por 20 milhões para o Chelsea;
- Lucho Gonzalez por 18 milhões para o Marselha;
- Mário Jardel por 16 milhões para o Galatasaray;
- Cissokho por 15 milhões para o Lyon.
Agora eu pergunto: quem eram eles antes de chegarem ao FC Porto? Por muito que custe é preciso saber admitir que o FC Porto é uma escola de talentos de classe mundial.
Passemos agora ao homem que mais inveja provoca em Portugal: Jorge Nuno Pinto da Costa.
Os outros gozam sempre que se lhes atira culpas, dizem que até os sismos são culpa deles, em tom irónico e caracteristico. E pronto, resolvem assim as questões.
Nós não. Nós temos que ouvir e calar porque tudo o que nós ganhamos é algo forjado e revestido de falsidade. Nada valem os troféus que lá temos. Há escutas? Há. Se todos ouvimos Pinto da Costa a, de uma maneira ou outra, tentar controlar árbitros? Ouvimos. Se ele foi a tribunal por isso? Foi. E foi considerado inocente, é importante não esquecer. Este pelo menos sentou-se lá ao contrário de alguns filósofos como Sócrates. Então e as escutas dos outros? Não interessam? Elas existem, investiguem-nas. Só é ilicito o que faz Pinto da Costa? Aos outros basta-lhes, como defesa, dizer que Pinto da Costa também o fez ou fez pior?
Não esquecer:
__________________________________
Partes das escutas telefónicas onde é interveniente Luís Filipe Vieira. Os seus interlocutores são Valentim Loureiro e Pinto de Sousa

Luís Filipe Vieira (LFV) - Eu não quero entrar mais em esquemas nem falar muito... (...)
Valentim Loureiro (VL) - Eu penso que ou o Lucílio... o António Costa, esse Costa não lhe dá... não lhe dá nenhuma garantia?
LFV - A mim?! F.., o António Costa? F... Isso é tudo Porto!
VL - Exacto, pronto! (...) E o Lucílio?
LFV - Não, não me dá garantia nenhuma o Lucílio!
VL - E o Duarte?
LFV - Nada, zero! Ninguém me dá!... Ouça lá, eu, neste momento, é tudo para nos roubar! Ó pá, mas é evidente! Mas isso é demasiado evidente, carago! Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado. (...)
VL - Talvez o Lucílio, pá!
LFV - Não, não quero Lucílio nenhum! (...)
VL - E o Proença?
LFV - O Proença também não quero! Ouça, é tudo para nos f...!
VL - E o João Ferreira?
LFV - O João... Pode vir o João. Agora o que eu queria... (...) Disseram que era o Paulo Paraty o árbitro... O Paulo Paraty! Agora, dizem-me a mim, que não tenho preferência de ninguém (...) à última hora, vêm-me dizer que já não pode ser o Paulo Paraty, por causa do Belenenses.


Pinto de Sousa - A única coisa que eu tinha dito ao João Rodrigues é o seguinte... É pá, há quinze [dias] ou três semanas, ele perguntou-me: "Quem é que você está a pensar para a Taça?"... Eu disse: "Estou a pensar no Paraty"...
VL - Bem, o gajo está f... (...) O Paraty então não consegues, não é?
PS - O Paraty não pode ser. (...) Até para os árbitros restantes, diziam assim: "É pá, que diabo, este gajo tem tantos internacionais e não tem mais nenhum livre, pá?!". (...)
VL - Eu nem dá para falar muito ao telefone, que ele começa para lá a desancar. (...) Mas qual é o gajo que o Porto não quer?! O Porto quere-os todos, pá! Qualquer um lhe serve!
PS - É... Por acaso é verdade...
VL - O Porto quer lá saber disso!
PS - Se é o Lucílio... Se fosse o Lucílio, era o Lucílio, se fosse o António Costa, era o António Costa...
VL - Ao Porto qualquer um serve!

________________________________________

Há ainda, os que nada sabem, que agarram-se aos seis pontos retirados ao FC Porto para dizerem que isso foi uma mea culpa azul, pois, dizem esses que nada sabem, o clube da Invicta nem sequer recorreu, mas recorreu meus senhores, recorreu sim, mas o CD da Liga disse que "por ora" não poderia analisar o processo, isto em Dezembro de 2008, porque não tinha acesso ao processo, fechando assim a gaveta da justiça. Deixo-vos a prova: "O FC Porto pediu à CD da LPFP a revisão dos castigos aplicados no âmbito do processo Apito Final (perda de seis pontos ao clube e suspensão de dois anos ao presidente Pinto da Costa), na sequência da sentença do Supremo Tribunal de Justiça, que impede a utilização de escutas num processo disciplinar a João Bartolomeu, da União de Leiria. ". Espero que esta vossa defesa se cale de vez porque não tem fundamento.

Pinto da Costa é o maior dirigente desportivo de todos os tempos e por muito que alguns tentem, vão morrer por aí, a tentar. Ele que compra tudo e todos, ele que tudo o que vence é corrompido, ele deve ter alguma mina de diamantes, pois só assim poderia comprar 2 Ligas dos Campeões; 1 Supertaça Europeia; 1 Taça UEFA; 2 Taças Intercontinentais; 17 Campeonatos Nacionais, sendo o único clube português a conseguir um Penta; 10 Taças de Portugal; 15 Supertaças Cândido Oliveira; 1 Liga Intercalar; 16 títulos no Andebol; 23 títulos no Basquetebol; 55 títulos no Hóquei em Patins; 4 títulos no Voleibol; 17 títulos na Natação; 3 títulos no Ciclismo; 66 títulos no Bilhar; 4 títulos no Boxe; 2 títulos no Halterofilismo; e dezenas de títulos nas camadas jovens das diversas modalidades. Até cansa ler tudo isto, eu sei, mas que eles existem, existem.
Hoje lê-se nos jornais, cheio de confiança, porque finalmente fala para os seus adeptos sem que eles lhe peçam para sair, que "não se podem branquear certos comportamentos". Finalmente chegou o dia em que concordo com o Sr. Luis Filipe Vieira.
No dia de aniversário encarnado o presidente benfiquista provou a nossa grandeza e passou a maior parte do seu discurso a falar do clube do qual ele é sócio: FC Porto. Obrigado senhor presidente, não era preciso tão grande honra.
Disse, em relação à Comissão Disciplinar da Liga, que "as instituições não são boas ou más consoante decidem a nosso favor ou contra nós, mas sim quando decidem com isenção, independência e verticalidade". Tem razão no que diz, mas, e andando um pouco para trás, recordamos que "o presidente do Benfica foi penalizado por declarações relativas ao Conselho de Justiça da Federação. Em relação ao Conselho de Justiça, Vieira é suspenso por 15 dias e paga 500 euros de multa. Quanto às declarações relativas ao jogo do Bessa, quando pediu a intervenção da Polícia Judiciária no futebol, o dirigente é penalizado com 50 dias de suspensão e multa de 1.500 euros". Pois é, senhor Luis Filipe Vieira, afinal também já se queixou e também já fez o seu circo. Afinal o senhor também teve dias em que não gostava da justiça desportiva do nosso país. Ao fim e ao cabo foi só uma falha de memória porque agora tudo vai bem e quando tudo vai bem em nada se mexe.
Mais.
O Braga "intentou quatro processos sumaríssimos junto da CD da LPFP contra os atletas Javi Garcia, Saviola e Di María, assim como contra o administrador da SAD do Benfica, Rui Costa.
Na base deste processo estão as alegadas agressões de Javi Garcia a Meyong (pontapé na cabeça, aos 17 minutos), de Saviola a Paulo César (cotovelada, aos 78 minutos), e o comportamento de Di Maria à saída para o intervalo que os bracarenses consideram ter desencadeado toda a confusão". Pensei que só eu tinha visto as agressões e pensei que também só eu entendia que Di Maria não podia passar impune. Afinal haviam outros.
O Braga intentou os processos, mas dali não saiu nada. Como se previa.
Rui Costa explicou hoje porque é que os jogadores do Benfica agora entram depois das outras equipa nos túneis de acesso aos balneários, diz ele que "é para evitar comentários, ou que alguém pense que jogamos fora das quatro linhas". Senhor Rui Costa, não entendo esta medida encarnada, afinal de contas nenhum jogador do Benfica, para além de Cardozo, foi apanhado nos túneis. Para quê tanta preocupação?
Uma nota final que já devem estar cansados e a fervilhar para comentar.
Escolher os árbitros do último túnel para os jogos do FC Porto e do Benfica era de evitar, não? Lucilio Baptista, por tudo, e nesta fase, poderia não ir a Matosinhos e João Ferreira, autor do relatório do túnel, também era escusado apitar um derby com a importância que tem o de Alvalade. Mas também admito que ainda seja muito cedo para este tipo de conversas. Podem até nem existir erros, podem, mas que estas nomeações eram de evitar, eram.
O FC Porto merece respeito e não é porque as coisas correm menos bem que os outros adquirem o direito de nos atacar.
Não é portista quem quer, só é portista quem pode!

Cumprimentos azuis e brancos.

Read more...

Convocatória Nacional

Estes são os eleitos para o confronto com a China.
É a última convocatória antes do Mundial da África do Sul.
A estreia de Varela é grande e merecida novidade. Ruben Micael não mereceu a confiança de Carlos Queiroz e integra a convocatória dos sub-23.
Na imagem o equipamento secundário que Portugal irá usar no Mundial de 2010.
Guarda-redes: Hilário (Chelsea) e Eduardo (Sp. Braga)
Defesas: Paulo Ferreira (Chelsea), Ricardo Carvalho (Chelsea), Duda (Málaga), Bruno Alves (F.C. Porto), Rolando (F.C. Porto) e Miguel (Valência)
Médios: Tiago (At. Madrid), Raúl Meireles (F.C. Porto) e Pedro Mendes (Sporting)
Avançados: Simão (At. Madrid), Nani (Man. United), Cristiano Ronaldo (Real Madrid), Hugo Almeida (Werder Bremen), Varela (F.C. Porto) e Liedson (Sporting)

Read more...

O Estofo Europeu

Sporting 3x0 Everton

Com o resultado que trouxe de Goodison Park, o Sporting precisava de ganhar 1-0 ou por diferença de dois caso sofresse um golo. Missão cumprida com sucesso!

O Everton veio a Lisboa muito confiante. Tinha que defender a vantagem que trazia, mas esqueceu-se que pela frente tinha uma equipa muito batida nas competições europeias. Um Sporting que nas últimas três épocas esteve presente na fase de grupos da Liga dos Campeões, numa delas foi até aos 1/8 de Final da Liga dos Campeões, e noutra até aos 1/8 da já extinta Taça Uefa. Os jogadores sportinguistas estão muito habituados a estas andanças, a maioria deles tem mais que 30 jogos europeus já.

Em relação ao jogo, no onze de Carvalhal não houve surpresas. Abel continuou a ocupar o lugar do não-inscrito João Pereira, Izmailov e João Moutinho regressaram ao onze e Yannick continuou a titular. O Sporting apresentou-se em 4-5-1, com Yannick na direita e Izmailov na esquerda. Grimi continuou a sua impressionante série de jogos a titular consecutivos.

Desde que o árbitro apitou para o início do jogo, o Sporting mostrou que estava ali para ganhar a eliminatória, que conseguia fazer bem mais do que tem andado a fazer. Aos 16', João Moutinho de livre directo atirou à barra. Foi o primeiro aviso feito a Tim Howard.

Na segunda parte, o Sporting veio com muito mais garra do intervalo. Aos 59', João Moutinho quase que fez um golo de bandeira. Abel apareceu com grande velocidade pelo lado direito e centrou com peso, conta, e medida para João Moutinho que, com um remate fabuloso à meia volta quase que fez o primeiro da partida. Aos 60', Abel disparou muito forte da quina da área, Howard atrapalhado, só teve tempo de socar a bola.

Aos 62', saiu o ex-rossoneri Grimi e entrou Carlos Saleiro (CS9). O efeito desta substituição ficou logo visível na primeira jogada onde CS9 entrou. Miguel Veloso, agora a defesa esquerdo, entrou com classe pelo flanco esquerdo, e à boa maneira portuguesa tabelou com Carlos Saleiro e disparou de bico para a baliza de Tim Howard. Golaço de Miguel Veloso, o 9º esta temporada. Grande época do internacional luso!

Aos 74', Yannick pela esquerda, trocou as voltas a Phill Neville (não se livra de ser driblado por portugueses, depois de ter deixado o Man Utd por estar farto dos colegas gozarem consigo quando CR7 fazia o que queria dele nos treinos) e rematou muito forte, Tim Howard defendeu para a frente e a bola sobrou para o russo Izmailov, que como é seu cartão de visita, hesitou bastante antes de entregar a Pedro Mendes que disparou colocado para o segundo golo da noite.

Espero que no voo de volta para Liverpool, os jogadores do Everton tenham pedido a David Moyes a contratação de Yannick.
Já sobre a hora, Carvalhal gastou as duas substituições que tinha guardado para as situações de aperto e fez entrar Matías por Izmailov e o campeoníssimo Anderson Polga por Liedson.

Aos 94', o momento da noite. Golo do outro mundo de Matías Fernández. Contra-ataque do Sporting conduzido por Yannick que serviu Matías Fernández. Matías deu espetáculo ao driblar o defesa Tofee e ao sentar Tim Howard antes de empurrar com categoria para o fundo da baliza. Dos melhores golos que já vi! Quem gosta de futebol, tem que amar este golo!

O Sporting mostrou que é uma equipa europeia, não acredito que vá muito longe porque não tem futebol para isso, mas também não é uma equipa qualquer. Como já disse no início da época, a experiência conta muito.

Do Everton, gostei de alguns jogadores. Dois já eram paixões antigas minhas: o lateral esquerdo Leighton Baines e o médio Bilyaletdinov. Arteta tem muito charme a tocar na bola e Pienaar é sempre perigoso, não é muito regular, mas é muito irrequieto, no fundo, é um Di Maria de pé direito com mais nível.

Atlético Madrid

O Sporting vai jogar contra o Atlético Madrid nos 1/8 de Final da Liga Europa e eu, não tenho medo. Já recebi muitas mensages a dizer que não iremos passar a próxima eliminatória, mas como sabem, o Atlético de Madrid, para mim, é a par do Marselha, Paris SG, Benfica (sem ser nesta época) e Newcastle um dos maiores bluffs do futebol europeu. Tem sempre bons jogadores, mas é raro ganhar títulos ou ir longe em quer que seja. O ataque do Atlético de Madrid é de sonho, com uma dupla digna de qualquer colosso europeu, Aguëro e Forlán. Conta também com outros bons jogadores como Jurado, Camacho, Paulo Assunção, Raúl García, Sergio Asenjo e Tiago. Já estivemos para jogar contra eles em 2007/2008 na Taça Uefa, mas foram eliminados pelo Bolton. Além disso tudo, é treinado por Quique Flores, ou seja, futebol zero.

Para mim, o Atlético é favorito apenas e só porque o Sporting não joga nada. Mas não faria um ar admirado se o Sporting passasse a eliminatória porque a defesa do Atlético de Madrid é simplesmente ridícula. É a típica defesa que dá muitas casas quando pressionada, e pela frente terá Liedson.

Costinha

Francisco da Costa, ex Costinha é o novo director do futebol do Sporting. É claramente um tiro no escuro. Costinha é sócio do Sporting desde 1998 e nunca escondeu que o Sporting é o clube do seu coração.

No Sporting não há director desportivo, portanto, Costinha não tratará das novas contratações. Costinha fará a ponte entre o balneário e a direcção. Portanto, continua a haver espaço para Carlos Freitas. Sobre o Costinha, tenho boas referências em termos de liderança. José Mourinho disse isso mesmo no seu livro e Luiz Felipe Scolari também disse que Costinha era muiti importante no balneário. Se será suficiente para ser um bom director de futebol não faço ideia, mas desejo-lhe a maior sorte do mundo.

Read more...

Árbitros da 21ª jornada

Read more...

Anderson KO

O médio defensivo do Brasil e do Manchester United, Anderson, sofreu uma ruptura dos ligamentos cruzados do joelho e terminou a época competitiva, falhando o Mundial de futebol da África do Sul.Anderson tem levantado algumas dúvidas quanto ao seu valor.
Acham que ele realmente não tem valor para estar no Manchester United ou Ferguson, ao adaptá-lo a médio defensivo, tira-lhe brilho? Será o brasileiro um 10 ou um 6?

Read more...

Super Blog Awards



Pessoal, está na altura de votar no Settore Offensivo!
Para isso regista-te no site do Super Blog Awards, e vota no teu espaço diário para que possamos ser cada vez mais uma referência na blogosfera!

Read more...

20ª Jornada

Os amigos do Leão, continuação


O Marítimo recebia o Nacional no derby madeirense, apenas um dia antes da enchurrada que assoulou a Ilha. Quem ganhasse alcançava o Sporting no 4º lugar da tabela (apesar de o SCP só ter jogado no dia seguinte), porém mais uma vez ambas as equipas desperdiçaram a oportunidade e empataram 1-1. A equipa da casa adiantou-se no marcador aos 34 minutos com golo do reincidente Kleber, e já na segunda parte o Nacional empatou pelo central Filipe Lopes, na sequência de canto batido por Pecnik.



O Guimarães recebeu e venceu o Leixões. Apesar de terem começado mal o jogo, os vimaranenses abriram a contagem por Valdomiro, que vai-se confirmando como um bom reforço de Inverno e substituto à altura de Sereno, fechando o jogo já na seguna metade com golo de Rui
Miguel, após grande jogada de Nuno Assis, que vai fazendo uma época de grande nível. O Leixões mantém-se abaixo da linha-de-água.

Guimarães e Leiria apresentam-se neste momento como as maiores ameaças ao 4º lugar do Sporting e, pela qualidade do seu plantel, o Vitória é na minha opinião o maior candidato a conseguir este lugar.


Em Setúbal, o Vitória recebeu a Naval e perdeu por 0-1, golo de Bolívia. Foi a primeira derrota da equipa de Manuel Fernandes, que se encontrava privado de 4 habituais titulares, em 2010. O Vitória aguenta-se, ainda assim, acima da zona de despromoção e aquela que era no início da época uma manta de retalhos, (mal) remendada por Carlos Aze(n/l)ha, parece ser neste momento a mais forte das 3 equipas principais candidatas à despromoção (Setúbal, Leixões e Belenenses), grupo ao qual não se pode ainda subtrair ainda em definitivo a Olhanense, apesar de respirar bem melhor.


O Rio Ave recebia o Paços com apenas um ponto de vantagem e com a possibilidade de subir ao 5º lugar. Venceu o Paços por 2-1, adiantando-se por William na marcação de uma grande penalidade, sendo que o "benfiquista" Fábio Faria empatou para os vilacondenses. Aos 60 minutos, o defesa direito Ricardo fechou a contagem para os visitantes.


Quando Paulo Sérgio rumou ao Guimarães critiquei a escolha de Ulisses Morais para treinador do Paços. Contudo, e após duas vitórias complicadas fora de casa (Guimarães e Rio Ave) intercaladas por um empate caseiro com o Sporting, sou obrigado a dar o braço a torcer e admitir o bom trabalho feito até aqui pelo treinador pacense, que conseguiu, para já, colocar a sua equipa na luta pela Europa.

Para finalizar e sem surpresa, nova derrota caseira do Belenenses, desta vez frente à Académica, por 1-2 (Yontcha; Vouhou, Berger). António (Toni) Conceição não trouxe nada de novo e não se vê fim à vista para o mau momento belenense rumo à segunda divisão. Já a Académica está cada vez mais tranquila, juntando-se ao "pelotão europeu", a apenas 6 pontos do 4º lugar.

Destaque na próxima jornada para um muito interessante U.Leiria-V.Guimarães.

Read more...

Golo da Semana

Read more...

Costinha e Wagner pouco Love

A Atalanta conseguiu, finalmente, livrar-se de Costinha.
O médio de 35 anos foi contratado em 2007, participou apenas num jogo oficial, Atalanta-Parma, durante 54 minutos e não mais voltou a ser utilizado.
Costinha está há dois anos e meio parado e foi afectado por um série de lesões, por isso esta rescisão deve precipitar o fim da sua carreira.
O clube de Bérgamo considerou a contratação do médio português como a mais ruinosa de sempre, isto porque para além de ter custado 2 milhões de euros, o médio era o mais bem pago do plantel. A luta pela rescisão do contrato começou no fim de 2007 e terminou agora, quatro meses antes do fim da ligação contratual.
O brasileiro Wagner Love provou que tem muito mau gosto.
Numa terra onde as mulheres bonitas nascem como ervas daninhas e onde quem tem dinheiro é rei, escolher companhias deste tipo não é grande opção.
Depois de um filme porno caseiro com Pamela Butt, onde se suspeita que Robinho também está na "festa", o avançado das tranças coloridas mostra ao mundo que não é esquisito.
Tanto querem comer que depois admiram-se de levar gato por lebre, como aconteceu com o Fenómeno.
Cliquem nas imagens para as verem em grande. Principalmente a de Wagner Love.

Read more...

Tango à Chuva!

Foi debaixo de grande chuva, as 17 horas da tarde, impossibilitando que o 12º jogador comparecesse em massa, tanto para ajudar o Benfica como para saudar o rei Eusébio mais uma vez homenageado, que o Benfica carimbou a passagem aos oitavos de final da Liga Europa.
Depois de uma exibição menos conseguida na Alemanha, que fez com que o treinador do Hertha acreditasse que o Benfica estava ao seu alcance, Jesus não teve meias medidas e aplicou o devido correctivo ao atrevido mister do clube lanterna vermelha da Bundesliga.

Muitos suspiravam por uma exibição paupérrima em que o nível exibicional do Benfica continuasse aquém daquilo que este ano já apresentaram. Enganaram-se, assistiram a uma exibição repleta de grandes notas artísticas, de um Benfica consistente, demolidor, com uma excelente circulação de bola, como que a castigar a ousadia de um Hertha que nada pode fazer perante tamanha superioridade.

Colectivamente o Benfica esteve muito bem, todos cumpriram e de que maneira o que lhes foi pedido, mas o maior destaque vai para Di Magia! O astro argentino que com toda a certeza fará a última época de águia ao peito mostrou que é craque. É daqueles que não engana, ali há puro talento! “Entrou” nos três dos quatro golos da tarde. Será muito difícil segurar um jogador que continua a deixar a Europa do futebol rendida aos seus encantos.

O Benfica depois desta noite vencer por 4-0, entrou para um grupo restrito de 10 equipas que tem 150 vitórias na Uefa na história do futebol europeu.

Segue-se o perigoso Marselha de Lucho Gonzalez. Este jogo é esperado há 20 anos pelos adeptos do clube francês, em que anseiam por vingar a meia-final perdida em 1990 a contar para a Taça dos Campeões Europeus.
O Benfica jogava nessa noite com grandes nomes do seu historial como Chalana, Ricardo Gomes, Aldair, Thern, Valdo, Paneira, Magnusson e… Vata!

A primeira mão foi em França e o Benfica tinha perdido por 2-1. Na segunda mão o velhinho estádio da Luz vestiu-se de gala e encheu até ao topo para ajudar o Benfica a chegar a mais uma final europeia.
O resultado teimava em estar empatado sem golos até que a 5 minutos do fim Vata meteu a mão a bola, o árbitro não viu, e colocou o Benfica pela 7 vez na final da competição mais importante de clubes da Europa levando os cerca de 120mil adeptos a uma enorme explosão de alegria.

Perspectiva-se um grande jogo entre duas grandes equipas do futebol europeu.
Segue-se agora Matosinhos onde é imperativo vencer.
Javi Garcia estará de fora a cumprir castigo.

Read more...

Recordando...Pauleta

Mais do que simplesmente recordar, este post homenageia um dos melhores avançados que vi jogar com a camisola da Selecção Nacional.
Na minha opinião, o seu melhor cartão de visita é, sem dúvida, ser o melhor marcador de sempre (obviamente que com as devidas proporções) da Selecção dum país que o Rei Eusébio representou.
Pedro Miguel Carreiro Resendes - vulgo Pauleta - nasceu algures no arquipélago dos Açores em 1973, tendo dado o seu nome a conhecer na época 90/91 ao serviço do Santa Clara.
A sua última época nas ilhas foi em 94/95, ao serviço do União Micaelense, tendo ainda defendendo as cores do Operário (dos Açores) em 92/93 e 93/94 (época que acabou a jogar pelo Angrense).

Parte então para o continente em 95/96 para representar o Estoril Praia, que na altura jogava na 2ª divisão de honra. A sua veia goleadora esteve bem patente, tendo conseguido um interessante número de 19 golos nesta primeira época a um nível superior.
No clube da linha, partilhou o balneário com nomes como o mítico e lendário Agatão, Litos (ex-treinador do Estoril e não o assassino ex-Boavista), Curcic, Artur Jorge Vicente , os dois jovens (na altura) Marco Paulo e Nuno Abreu e fez dupla de ataque ainda hoje recordada com saudade com Luís Cavaco.

A sua passagem por Portugal continental foi curta, tendo chamado prontamente a atenção de Espanha e assinado um contracto com o Salamanca no início da época de 96/97.
Na sua primeira época de estreia em Espanha, actuando na 2ª divisão, apontou 19 golos que, não só lhe valeram o troféu Pichichi da segunda liga espanhola - prémio que dividiu com Yordi do Atlético Madrid B -, como também muito contribuíram para a subida do Salamanca ao primeiro escalão do futebol espanhol.
Sem dúvida um projecto de sucesso este do Salamanca mais português de todos os tempos, liderado pelo mestre João Alves.
Tomislav Ivkovic, Bogdan Stelea, Paulo Torres, Miguel Serôdio, Taira, (Manuel) Tulipa, Giovanella, Gabriel Popescu, César Brito e Catanha foram seus colegas de equipa nesta passagem de duas épocas pelo clube de Leão e Castela.

O seu constantemente insaciável instinto goleador e a sua segunda época ao serviço dum primo-divisionário Salamanca, na qual facturou nada-mais-nada-menos que 15 golos, foram um bilhete de passagem (em classe executiva, diga-se) para um poderoso Depor(tivo da Corunha), no início da época 98/99.
Representou o clube galego por duas épocas, tendo marcado 33 golos em 92 jogos e sagrando-se campeão espanhol na época de 99/00 - primeiro título da história do clube, para o qual contribuiu bastante.
Ao serviço do Deportivo da Corunha, teve a honra de jogar ao lado de ícones como Mauro Silva (que ainda hoje se pergunta como é que a sua longevidade não lhe permitiu a transferência para o AC Milan) e Djamlinha e de nomes conhecidos de todos nós como Manuel Pablo, Romero, Naybet, Donato, Hélder (Cristóvão), Flávio Conceição, Mustapha Hadji, Fran e Turu Flores.

Após o seu primeiro título (do qual a maioria dos portugueses não se pode gabar de ter ganho), rumou a França para representar o Bordéus - tendo "mostrado quem mandava" logo na sua estreia, ao apontar um hat-trick.
Esteve três épocas em Bordéus, tempo suficiente para marcar 65 golos em 98 jogos, ser eleito por duas vezes o futebolista do ano em França e jogar ao lado de Dugarry, Smertin, Bruno Basto, Marc Wilmots, Alain Roche, Dhorasoo, Marco Caneira e o, ainda jovem, marroquino Marouane Chamakh.

Na época de 03/04 assinou por aquele que viria a ser o seu último clube, o Paris SG. Assinou inicialmente um valioso contrato de 3 anos, que lhe renderia a módica quantia de 12 milhões de euros, mas acabaria por jogar 5 épocas pelo clube do qual se tornou uma figura histórica e muito admirada.
Ao serviço do clube da capital francesa ganhou um Taça de França, apontou 76 golos em 168 jogos e jogou na mesma equipa de Gabriel Heinze, Juan Pablo Sorín, Hugo Leal, Déhu, Ibisevic, Cardetti, Yepes, Mendy, Carlos Bueno, Luyindula e Cristian Rodriguez.

A nível de Selecção, realizou 88 jogos, marcou os 47 golos que ainda hoje lhe valem o "prémio" de melhor marcador de sempre da história da Selecção Nacional e esteve presente em dois europeus (2000 e 2004) e dois mundiais (2002 e 2006).
Ao longo de todos os anos em que representou o seu país jogou com Luís Figo, Rui Costa, João Vieira Pinto, Fernando Couto, Vítor Baía e Rogério Matias.

Retirou-se do futebol profissional com 35 anos repletos de golos e de sucessos, com a "frustração" de nunca ter jogado pela primeira liga do seu país. Falta de reconhecimento injusta a meu ver, pois tinha tudo para ter sido o matador de qualquer um dos três grandes.

Nome completo: Pedro Miguel Carreiro Resendes
Alcunha: Pauleta; Ciclone dos Açores
Nacionalidade: Portuguesa
Data de Nascimento: 28 de Abril de 1973
Carreira como jogador:

90/92 - Santa Clara
92/94 - Operário/Angrense
94/95 - União Micaelense
95/96 - Estoril Praia 30(19)
96/98 - UD Salamanca 71(34)
98/00 - Deportivo 58(18)
00/03 - Bordéus 98(65)
03/08 - Paris SG 168(76)

Selecção Portuguesa: 88(47)

Títulos:
Campeão Espanhol em 2000
Vencedor da Taça da Liga Francesa em 2002 e 2008
Vencedor da Taça de França em 2004 e 2006

Read more...

Borrego Vivo

Olhanense 0-0 Sporting

Ainda não foi desta que o Olhanense ganhou ao Sporting e deixem-me que diga que não terá uma oportunidade destas tão cedo.

Tonel foi o capitão na ausência de João Moutinho e Anderson Polga. Abel continuou no lugar do castigado João Pereira. Matías Fernandez e Yannick jogaram nos lugares do lesionado João Moutinho e de Marat Izmailov. Na frente, Saleiro voltou à titularidade no lugar do (outra vez) lesionado Florent Sinama-Pongolle.

O Sporting foi a primeira equipa a criar perigo, aos 2', Miguel Veloso rematou colocado de pé direito, mas o remate saíu com pouca força. Aos 26', Djalmir fez o mais difícil. Após excelente cruzamento do capitão Rui Duarte, Daniel Carriço ficou aos papéis e a bola sobrou para o melhor marcador da Liga Vitalis que falhou o remate quando o golo era mais que certo.

Aos 29' , cheirou a golo. Miguel Veloso cobrou um livre lateral do lado esquerdo do ataque leonino para a zona de penalty onde Tonel e Grimi, ambos sem marcação,chegaram atrasados. Aos 36' história repetiu-se: um livre lateral igual, só que desta vez o capitão verde e branco chegou a tempo e cabececeou muito perto da baliza de Ventura.

Aos 36', mais uma vez de livre directo o Sporting esteve perto do golo. Matías disparou muito forte com a bola a bater no chão antes de chegar a Ventura que não conseguiu agarrar à primeira.

Do resto do jogo pouco há para dizer. Não houve situações de perigo em nenhuma das balizas. Mais uma vez li em algum lado que Bruno Pereirinha e Hélder Postiga entraram, mas sinceramente nem me lembro de os ter visto em campo.

O Sporting continua em 4ºlugar pois beneficiou do empate no derby madeirense e da derrota da U.Leiria com o agora líder Benfica. O Vit. Guimarães já é o novo 5º classificado.

Sporting x Everton

O Sporting perdeu no Goodison Park por 2-1. O golo, mais uma vez inventado por Liedson foi o melhor que trouxemos para Lisboa. Mesmo sem jogarmos rigorasamente nada, a verdade é que bater o Everton ou quem quer que seja em Lisboa, na nossa casa e perante os nossos adeptos por apenas 1-0 está muito ao nosso alcance. A verdade é que o Sporting costuma dar-se bem com equipas medianas do futebol inglês: Newcastle,Bolton e Middlesbrough são os casos mais recentes. Ah, é verdade, quem tem Liedson arrisca-se a passar...

As boas notícias são os regressos do nosso capitão João Moutinho e de Sinama-Pongolle aos treinos. Era bom também termos um Vukcevic em bom nível e Grimi e Pedro Silva longe da convocatória, se possível longe do estádio para não dar azar. O Everton vem de Liverpool motivado com a vitória no fim-de-semana sobre o Man Utd. Pode ser que a aventura na Liga Europa fique por aqui.

Read more...

Não esquecer: os campeões somos nós!!

O FC Porto recebeu esta noite a estrela do campeonato: o surpreendente Braga e tentava vingar a derrota sofrida no Minho, aquando da 1ª volta. Mas era muito mais que uma vingança que estava em jogo. Em jogo estava um campeonato, pois a derrota significava um fosso do tamanho do fim das aspirações portistas na revalidação do título e o consequente penta.
O Braga deslocou-se à Invicta para tentar vencer e assim assumir a liderança a 2 pontos do Benfica e a 11 do FC Porto.
Uma coisa é certa: ninguém previa o resultado final.
O FC Porto brindou o Braga com uma goleada à antiga. Os arsenalistas que chegaram ao Dragão com 8 golos sofridos em todo o campeonato, regressam a casa com, nada mais, nada menos, que 13 golos sofridos.
Antes de começar a análise ao próprio jogo, gostaria de aplaudir a entrada de toda a equipa do FC Porto com camisolas de apoio a Hulk e a Sapunaru. Foi bonito de se ver e é sempre de salutar a união do grupo. Em segundo lugar, a atitude bonita do madeirense Ruben Micael, que entrou no relvado emocionado, como é natural, com a bandeira da Madeira nas mãos.
Agora o jogo.
O FC Porto entrou forte, confiante, com muita qualidade, a dominar o jogo desde o inicio e a mostrar que não estava ali para fazer de figurante, nem está no campeonato a fazer figura de corpo presente. Os dragões mostraram hoje ao país que estão vivos...e bem vivos!!
Os azuis fizeram do Braga o que nenhuma outra equipa tinha feito durante esta época: fizeram dos minhotos uma equipa banal.
Num jogo com alguns casos, que analisarei mais à frente, mas, a meu ver, sem influência no resultado, que poderá, como sempre nestes casos, ter sido algo exagerado.
Alvaro Pereira e Silvestre Varela parecia que tinham Via Verde e aquele lado esquerdo esteve sempre em altas rotações. Que grande jogo dos dois!
Radamel Falcao, mais uma vez, letal. O colombiano não pára de marcar golos, é já um vicio que ele não consegue controlar e hoje foram mais dois para a sua conta pessoal, que já leva 16.
Ruben Micael, é mesmo o maestro que o FC Porto tanto procurou. Quase não se dá conta, mas ele não pára, é decisivo, sabe o que faz e tem classe, muita classe. A análise que não é minha deixa-vos, de certeza, com uma melhor noção da importância do madeirense neste jogo.
Raul Meireles, abriu o marcador e já mostrou um pouco mais do Meireles que nós conhecemos. Importante.
Fernando, voltou a ser o recuperador de bolas e o equilibrio da equipa. Muito bem.
Fucile, é sempre constante e aprecio-o acima de tudo por isso.
Bruno Alves e Rolando são dois centrais dificeis de ultrapassar, mas as bolas paradas têm que ser trabalhadas e bem.
Mariano, esteve em bom plano, mas no melhor pano cai a nódoa e o argentino isolado, desde o meio campo, atira ao lado. Foi pena.
Helton mostrou-se seguro. Sem culpas no golo, na minha maneira de ver.
O Braga foi surpreendido por um FC Porto poderoso e com vontade de impôr respeito. Sentiu a falta de Vandinho e nem Hugo Viana apareceu no jogo, o médio formado no Sporting ficou no balneário no intervalo. Moisés e Paulão pagaram caras as distrações, tanto com as entradas dos médios, como o irrequieto e infalivel Falcao. Os laterais quase não subiram, Mariano e principalmente Varela não permitiram. O meio campo esteve sempre mais preocupado em destruir jogo ofensivo do Porto, que era muito, do que em construir ataques. Alan, Paulo Cesar e Mossoró quase não tiveram oportunidades de se mostrar.
O FC Porto cedo mostrou ao que vinha e ao minuto e aos 15 minutos, depois de uma boa jogada, Varela serviu Raul Meireles que apareceu bem no coração da área e empurrou para o fundo da baliza de Eduardo. Passados 20 minutos surge o esquecido Alvaro Pereira que, quase do meio campo, enche o pé e fez um grande golo. Um minuto depois Varela volta a entregar de bandeja a bola para o coração da área minhota e eis que surge Radamel Falcao para fazer o 3-0 com que chegou o intervalo. Na primeira parte o Futebol Clube do Porto quase só trabalhou na sua ala esquerda e que bem se trabalha por lá.
Voltou o segundo tempo, num jogo estranho, pois o 3-0 permitia o descanso aos azuis e tirava força aos de vermelho. Contudo o Braga foi crescendo e foi atacando com algum perigo, porém, aos 73 minutos, voltaram a esquecer-se do matador Falcao e isso não pode acontecer, surge o 4-0 após cabeçada de Falcao, que ganhou a Moisés nas alturas. O jogo prosseguia numa toada morna, mais ao jeito dos dragões e com alguns olés no ar, e numa jogada meia confusa a bola acaba por sobrar para Belluschi que, em frente à baliza, remata decidido e faz o 5-0. O Braga e por Alan fez o golo de honra aos 91 minutos, de cabeça, e mostrou mais uma vez que os lances de bola parada têm que ser trabalhados no dia a dia do Olival.
Casos do jogo houve alguns. Os normais num jogo de futebol e três que mereciam outro olhar por parte do árbitro, todos eles depois do resultado estar já em 3-0. O primeiro é um penalty nitido de Raul Meireles sobre Mossoró; o segundo é uma cabeçada de Paulo Cesar a Fucile que tem que lhe valer o cartão vermelho; e por fim, a entrada assassina de Rafael Bastos sobre Belluschi, que foi punida com um amarelo.
O FC Porto, foi um justo vencedor e mostrou que ainda tem uma palavra a dizer neste campeonato. Isto ainda não acabou, vamos com calma.
Não esquecer que os Campeões Nacionais somos nós. Tetra Campeões Nacionais. O Braga esqueceu-se e pagou caro por isso.
Cumprimentos azuis e brancos.

Read more...

Madeira

O Settore Offensivo está de luto e solidário com a Madeira.
O que se viveu naquela nossa ilha era impensável.
A natureza sacudiu a vida de todos os que lá habitam e roubou para sempre a de 42 pessoas.
O futebol é, para nós que o amamos, de extrema importância, mas há coisas bem maiores que a bola saltitante e que nos deixa loucos. A vida vai muito para além das 4 linhas de cada campo.
Nestes momentos não há clubes, somos todos do mesmo, somos todos portugueses solidários com aquelas gentes.
A mãe natureza mostrou que nós, enquanto seres humanos, nada valemos e o nosso fim é quando Deus quiser.
Eu e todos os membros do Settore Offensivo prestamos a nossa homenagem às vitimas e aos seus familiares.


Read more...

Vender ou não vender Izmailov?

Vender ou não vender Izmailov agora?

Esta é a pergunta do momento para os lados de Alvalade. A maioria dos adeptos sportinguistas não querem que o internacional russo seja vendido porque é um dos nossos melhores jogadores.

Para mim é bem claro: por 6M€ é de vendê-lo.

A minha opinião é simples: Izmailov é um dos nossos melhores profissionais, nunca refila, nunca mostra desagrado com nada, não é vedeta, sempre disse que está muito bem em Lisboa, mas também não o vejo alegre. É um bom jogador sem dúvida, mas temos que pensar na próxima época. Se queremos jogar em 4-3-3, alguém me diz qual é a posição dele nesse sistema? É um extremo puro que possa fazer uma das 3 posições da frente como o Derlei, C.Ronaldo, Varela ou Hulk? É um box-to-box para jogar nas duas posições mais avançadas do meio-campo como o João Moutinho, Frank Lampard, Raúl Meireles, Maniche, Xavi ou Gerrard? Acho que a resposta a estas duas perguntas é a mesma: não. Izmailov é um médio-ala, é bom para o 4-4-2 losango ou clássico. Também é bom lembrar que Izmailov, nas quase três épocas que cá esteve, passou cerca de metade do tempo lesionado. É um jogador demasiado frágil para jogar épocas inteiras e até foi por isso que foi vendido para o Sporting. A mim interessa-me mais os jogadores que podem jogar todos os jogos.

Espero que os sportinguitas que digam que ele tem que ficar porque nos sobra a Liga Europa pensem melhor nisto. Não vamos perder 6M€ agora para chegar no máximo aos 1/4 de final. Esta época está perdida, não sejemos irrealistas.

Como a maioria dos sportinguistas, defendo a revolução no plantel no próximo Verão, mas isso tem que começar a ser decidido já, com o novo treinador, para que seja tudo bem feito. É preciso contratar os novos jogadores cedo para que façam a pré-época e não venham só no último dia de Agosto como acontece muitas vezes e para isso é preciso dinheiro. Os 6M€ que o Izmailov pode render, pode ajudar e muito a financiar a nova equipa técnica e os reforços que esta quererá.

Para os que dizem que ele vale mais que 6M€, pergunto: então mas com que idade é que ele vai valer mais que 6M€? É bom não esquecer que ele já tem 27 anos e não se vai valorizar muito mais. Ninguém dá muito mais por ele.

Esta proposta do Lokomotiv é uma excelente oportunidade que o Sporting tem para se redimir de golpes antigos como foram os do Rodrigo Tello ou do Marius Niculae.

Por fim, por respeito ao Izmailov que sempre foi um excelente profissional, devemos aceitar a proposta. Izmailov, que custou 3,5M€ se não me engano, tem a oportunidade de regressar ao seu país para ganhar 2M€ por ano (aqui só ganha 400 mil € ano) e se ele quiser sair, deveríamos deixar ir se houver uma boa proposta (e parece que há).

Read more...

A Luz ao fundo do túnel

Pois bem, caros leitores, apareceu, finalmente, a luz ao fundo do túnel.
Depois de dois meses de espera, o país soube qual o tamanho do castigo aplicado a Hulk, a Sapunaru e ao Benfica.
Hulk foi punido com 4 meses de suspensão e 2 250 € de multa, Sapunaru foi punido com 6 meses de suspensão e 4 750 € de multa e o Benfica foi multado em 1 500 €.
Valerá a pena falar disto? Vale. Vale sempre a pena.
Por ironia do destino Hulk volta a ser livre para jogar nas competições internas a 25 de Abril, no dia da liberdade.
Sapunaru só voltará a jogar na próxima época. Espero eu que longe de Portugal. Não é jogador que me agrade, nem um pouco.
O Benfica, esse, continuará de vento em popa, embora gravemente prejudicado a nível económico, é que, parecendo que não, 1 500 € são 300 contecos. É duro.
O dia de hoje marca, acima de tudo, o fim de um circo (circo, não ciclo) e acaba como todos prevíamos. Aliás, acho que se previa mais e acredito que para alguns a noite de hoje seja complicada porque vão dormir como vitimas injustiçadas.
Chega ao fim mais um episódio dos túneis mágicos e mais uma vez o mal do Benfica foram batatas. Ainda hoje me pergunto como foi que conseguiram castigar o Cardozo em Braga. Ele e o Leone. Convém lembrar, que quase ninguém se lembra que também Leone não aparece em momento algum das imagens a agredir quem quer que seja e apanha tantos jogos quantos os do avançado encarnado, porém o mundo aclama apenas e só pela inocência do paraguaio, mas convém que a justiça seja igual para todos.
Pois bem, analisemos as coisas tal como elas são.
É do conhecimento de todos que estas confusões não nascem do nada, no futebol não há malucos a esse ponto - haverá nas bancadas -, há sim seres humanos que têm reações comuns a todos nós e que também atingem os seus limites, que não têm nervos de aço, que não gostam de ser feitos de palhaços, enfim, que são, antes de tudo, seres humanos.
Analisemos os túneis e como foi que eles começaram.
Na época passada, quando ainda ninguém conhecia a magia dos túneis, já o Benfica se aproveitava da inocência de quem por lá passava. O senhor José Fernando Silva, que vos apresento na foto, primo do afamado José Veiga, pontapeou um elemento do staff portista e deu, assim, inicio à saga dos túneis. A agressão do senhor, que por sinal foi o mesmo que agrediu Moretto no aeroporto de Lisboa, foi filmada, foi também visto que os seguranças "controlavam" as cameras conforme lhes convinha e? E não sei. Ah, sei sei, o mal foi o de sempre: batatas. Melhor, este senhor continua funcionário do Sport Lisboa e Benfica, embora há quem queira, e muito, desmentir tal facto. Neste video podemos ver o impávido Rui de mãos nos bolsos a assistir a tudo e a equipa do Benfica não mostrou a minima curiosidade em ver o que se passava do lado de fora da porta do seu balneário, afinal de contas é um barulho que se deve assistir com frequência naquele estádio, até mesmo nos treinos, para quê ficarem curiosos?
O Nacional foi à Luz e o túnel voltou a receber convidados para mais um sessão de provocações. Ruben Micael e Manuel Machado, os únicos que falaram na flash interwien, pediram a quem de direito para visionar as imagens de mais um filme do túnel da Luz. Ruben Micael teve a infeliz ideia de relembrar o país de tal episódio quando já vestia de azul e branco e logo perdeu a credibilidade toda, porque a partir do momento que assina pelo FC Porto ele deveria saber que não mais poderia voltar a falar do túnel dos famosos. Pois bem, o madeirense afirma que Rui Costa, que aparece nos vídeos como um homem sereno, tranquilo e pronto a acalmar os animos, o insultou e que Jorge Jesus, o que agora proíbe os jogadores de entrarem no túnel ao mesmo tempo que os jogadores da outra equipa, não vá o feitiço virar-se contra o feiticeiro, lhe colocou dois dedos na cara e por mais que uma vez.
As investigações, ao que tudo indica, prosseguem, resta-nos aguardar e ir todos os dias, religiosamente, ao Youtube, que é o local onde guardam os segredos de justiça deste país, para ver se o video do túnel Benfica-Nacional já está disponível.
Em Braga tudo começa, por muito que custe a alguns, quando Di Maria pontapeia a bola para o banco de suplentes do Braga, eu sei que não foi em força, foi em jeito...de provocação, mas o menino timido e educado armou a tenda e fugiu do acampamento, por aquele túnel fora a uma velocidade tal que mais ninguém o viu. O que lhe aconteceu? Arquivaram-lhe o processo.
Voltamos ao Estádio da Luz para mais um episódio, desta vez com o FC Porto, novamente, como interveniente. Com o fim do jogo voltam as confusões ao sitio do costume e nas imagens vê-se Hulk, sem mais nem menos, como que à espera de alguém, porém, e depois de muitos pedidos, o brasileiro dirige-se para o balneário. Passados uns minutos, ou talvez, nem tanto, a equipa do FC Porto sai toda porta fora e regressa ao local do crime, isto, atenção, sem mais nem menos, e aí dá-se inicio a mais uma bela confusão recheada de empurrões e agressões por parte daqueles loucos que saíram, sem qualquer motivo, do seu balneário para começar a agredir os funcionários do SL Benfica. Pelo que dizem os que castigam houve, por parte dos Stewards, uma "actuação fisica menos própria e menos adequada", afirmam que as provocações "não resultaram de um único acto, mas de uma conjugação de actos", em suma, é pacifico para eles que "houve uma conduta negligente, excessiva e inadequada" por parte dos funcionários do clube da Luz. Fiquem os adeptos descansados, no FC Porto não jogam loucos, jogam homens que têm coração e nervos. Infelizmente.
Neste vídeo volta a aparecer o impávido Rui, que desta vez, e depois de ver o mar a arder, aparece com as mãos fora dos bolsos a pedir calma aos que foram mal tratados, como que a pedir-lhes que deixem de ser gente e passem a ser bichos que aceitam maus tratos humanos.
A saga, ao que parece, acabou. Mau era. Mas, nunca fiando.
Depois de quatro longos episódios podemos ver que o clube da capital é o actor principal de todas as sagas dos túneis e que tem pago multas elevadissimas a punir um comportamento que há muito deixou de ser reincidente, para passar a ser desavergonhado e desrespeitador.
Não contesto os castigos aplicados a Hulk, Sapunaru, ou mesmo Vandinho, porque se os puniram como puniram é porque a lei lhes permite e porque eles não tiveram o discernimento necessário para sobreviver nos túneis movediços.
Com tudo isto abriram, talvez sem notar, um precedente perigoso. O Benfica ainda vai ao Dragão e lá também há túnel, e lá também há homens, e lá também há cameras que podem ser "controladas", e lá vai estar gente com raiva, muita raiva, e lá vai haver sede de vingança, e lá pode até não se decidir nada, mas podem acertar-se contas.

Cumprimentos azuis e brancos.

Read more...